Rússia condena ataque na Síria e pede reunião de emergência da ONU

A Rússia pediu reunião imediata do Conselho de Segurança da ONU para discutir as “ações agressivas” dos EUA e seus aliados.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Os ataques foram lançados às 21h, enquanto grande parte da Europa e do Oriente Médio estava envolta na escuridão (BBC/CNN)

A Rússia condenou os ataques realizados pelos EUA, Reino Unido e França contra alvos na Síria pelo alegado uso de armas químicas, enquanto os  aliados no ocidente argumentam que eles foram essenciais para impedir o uso futuro de munições ilegais.

Publicidade

Os ataques atingiram três locais – um em Damasco e dois em Homs – os quais o presidente dos EUA Donald Trump disse estarem “associados às capacidades de armas químicas do ditador sírio Bashar Al-Assad”.

A ação seguiu uma semana de ameaças de retaliação por causa de uma alegado ataque com armas químicas a civis em Douma.

O presidente da Rússia Vladmir Putin chamou os ataques de mísseis de um “ato de agressão contra o Estado soberano” e disse que estavam contra o estatuto das Nações Unidas.

A Rússia – um aliado fundamental do governo Assad – está pedindo por uma reunião imediata do Conselho de Segurança das Nações Unidas para discutir as “ações agressivas” dos EUA e seus aliados, disse Putin.

O Ministério de Relações Exteriores da Síria pediu à comunidade internacional que “condenasse veementemente esta agressão”, alertando que ela representaria “uma ameaça à paz e segurança internacional como um todo”, em uma declaração publicada pela agência de notícias Árabe Síria.

O general Joseph Dundorf,  chefe de Estado Maior das Forças Armadas dos Estados Unidos, disse aos repórteres em uma conferência no Pentágono que o primeiro ataque conjugado tinha como alvo um centro de pesquisa científica na grande Damasco envolvido no desenvolvimento e produção de armas químicas.

O segundo local alvo foi uma instalação de armazenamento de armas químicas no oeste de Homs, enquanto o terceiro era uma instalação de armazenamento de equipamento químico e importante posto de comando.

Os ataques – a ação conjunta mais articulada já realizada por forças ocidentais na Síria – foram lançados às 21h de sexta-feira (13), enquanto grande parte da Europa e do Oriente Médio estava envolta na escuridão.

As Forças Armadas sírias disseram em uma declaração que 110 mísseis foram lançados sobre alvos sírios e que os sistemas de defesa do país “interceptaram a maioria deles, mas alguns atingiram alvos incluindo o Centro de Pesquisa em Barzeh”.

Três civis ficaram feridos em Homs após “vários” mísseis terem sido interceptados por sistemas de defesa aérea da Síria, disse a rede de televisão estatal.

A agência de notícias estatal russa TASS divulgou que nenhum dos mísseis disparados pelas três nações ocidentais havia atingido áreas perto de suas bases naval e aérea na Síria. Essas bases estão sob proteção de unidades de defesa aérea russa.

Theresa May: “Não se trata de mudança de regime”

Em uma declaração transmitida na televisão no sábado, a primeira-ministra britânica Theresa May disse que as forças do Reino Unido haviam realizado um “ataque limitado e específico” e que “não havia alternativa viável ao uso da força para degradar e impedir o uso de armas químicas pelo regime sírio”.

Enquanto uma avaliação completa ainda não tenha sido concluída, “acreditamos que a ação teve êxito”, disse ela. “Não se trata de interferir em uma guerra civil. E isso não se tratou de mudança de regime”.

Resposta internacional

A Turquia, um importante interveniente no conflito sírio, disse que viu os ataques aéreos como “uma resposta apropriada” ao ataque à Douma.

O Ministério da Defesa da Austrália emitiu uma declaração em apoio aos ataques, chamando-os de “uma reposta calibrada, proporcional e específica”.

Um oficial israelense disse à CNN que os ataques forçaram a linha vermelha traçada pelo presidente Trump no ano passado. “A Síria continua a se engajar e fornecer base para ações bárbaras, incluindo aquelas do Irã, que coloca seu território, suas forças e sua liderança em risco”, disse o oficial.

No entanto, o Irã- outro aliado fundamental do governo Assad – condenou os ataques. “O ataque é a violação óbvia das leis internacionais, assim como ignorar a soberania e integridade territorial da Síria”, disse Bahram Qasemi, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores iraniano, de acordo com a mídia estatal do país.

Fonte e imagem: BBC

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Terremotos em Aichi: um foi de magnitude 4,6

Publicado em 14 de abril de 2018, em Informações

Foram registrados três terremotos em Aichi neste sábado. O primeiro foi pela manhã e mais dois a tarde, um com magnitude 4,6.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Publicidade

De acordo com a Agência de Meteorologia do Japão, ocorreram 3 tremores na província de Aichi. O primeiro foi às 10h36, neste sábado (14), de magnitude 3,5.

O segundo tremor ocorreu às 13h54, com epicentro no oeste, a cerca de 40Km de profundidade e magnitude 3,1. Tremor de intensidade 2 foi registrado em Shinshiro.

O segundo ocorreu às 15h13, de magnitude 4,6 e tremores de 1 a 4 de intensidade, em ampla área.

O epicentro foi na parte oeste da província, com cerca de 10Km de profundidade.

As cidades de Takahama, Nishio e Kota tiveram abalos de intensidade 4.

Tremores de intensidade 3 foram sentidos em Midori-ku (Nagoia), Okazaki, Handa, Toyokawa, Hekinan, Kariya, Toyota, Gamagori, Tokoname, Tokai, Obu, Chita, Chiryu, Miyoshi, Agui-cho, Higashiura-cho e Mihama-cho.

As províncias de Aichi, Gifu, Nagano, Shizuoka, Mie, Fukui e Yamanashi tiveram tremores de 1 e 2 de intensidade.

Não há risco de tsunami em decorrência do terremoto.

Às 4h04 ocorreu um terremoto de magnitude 5,4 na Península de Nemuro (Hokkaido).

Terremotos ocorridos neste sábado: um forte em Hokkaido e 3 em Aichi

 

Fonte e imagens: JMA

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância