Noventa por cento das empresas no Japão veem expansão econômica em 2022

Apesar da perspectiva otimista das companhias, preocupações permanecem em relação ao avanço da pandemia.

Cédulas de iene (banco de imagens)

Noventa por cento das principais empresas japonesas esperam que a economia do país expanda em 2022, na esperança de que o golpe em decorrência da pandemia de coronavírus diminua, mostrou na quinta-feira (12) uma pesquisa conduzida pela agência de notícias Kyodo.

Publicidade

A pesquisa com 111 companhias, incluindo a Toyota e Sony, também mostrou que empresas estão cada vez mais se juntando a esforços globais para reduzir os gases de efeito estufa e se empenhando para garantir segurança econômica em meio a uma intensa rivalidade entre EUA e China, com foco em redes de fornecimento para chips e recursos de energia.

A pesquisa descobriu que 75% das empresas esperam crescimento econômico moderado no próximo ano, seguidas por 15% as quais disseram que a terceira maior economia do mundo expandirá em 2022.

Cinco por cento disseram que esperam que as condições econômicas continuem inalteradas, enquanto nenhuma projetou um declínio moderado ou contração.

Com várias respostas permitidas, 93% das empresas que estão prevendo expansão econômica acreditam nisso devido ao progresso nas vacinações contra Covid-19, enquanto 83% citaram a recuperação no consumo privado e 72% colocaram esperanças em um abrandamento das restrições pelo coronavírus sobre atividades econômicas.

Apesar da perspectiva otimista das companhias, preocupações permanecem em relação ao avanço da pandemia, com a campanha de inoculação do governo continuando lenta e a variante Delta altamente contagiosa conduzindo os casos de infecção a nível nacional, dizem analistas.

A pesquisa foi conduzida entre o início de julho e início de agosto, visando grandes companhias em cada setor.

Fonte: News and Culture

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Japonesa presa 6 anos por espionagem é libertada na China

Publicado em 13 de agosto de 2021, em Ásia

O que a japonesa, ex-executiva de escola de idiomas fez para ser presa por espionagem, ainda continua desconhecido.

Ilustrativa (banco de imagens)

Uma japonesa acusada de espionagem na China foi solta após cumprir uma sentença de 6 anos em Xangai, disse uma fonte privada a relações bilaterais na quinta-feira (12).

Publicidade

A mulher foi detida em Xangai em junho de 2015. A então executiva de uma escola de língua japonesa sediada em Tóquio foi indiciada em julho do ano seguinte. A fonte, entretanto, disse que os detalhes do que ela fez continuaram desconhecidos.

O Tribunal Popular Intermediário de Xangai condenou a japonesa a 6 anos de prisão por espionagem em dezembro de 2018.

Desde 2015 mais de 10 cidadãos japoneses foram detidos na China por várias acusações, incluindo espionagem. Ela é a terceira japonesa desde aquela época a ser libertada após condenação.

A China tem aumentado seu controle de organizações estrangeiras e indivíduos para proteger a segurança nacional desde 2013, quando o presidente Xi Jinping assumiu o poder.

Não somente japoneses, mas vários outros estrangeiros foram detidos na China, principalmente após uma lei antiespionagem ter entrado em vigor no ano de 2014 e uma lei de segurança nacional em 2015.

Fonte: Mainichi

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - junto a comunidade no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!