O pesado destino dos 40 mil ucranianos raptados e levados para os campos da Rússia

Entre os mais de 40 mil ucranianos há pelo menos 2 mil crianças, as quais sofrerão dias amargos nos campos russos, junto com os adultos.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Cena da cidade de Mariupol (Ukrinform)

Segundo uma matéria publicada na revista online Friday do Japão, na Rússia foram criados locais chamados de “campos de filtragem”, para onde são levados os mais de 40 mil civis raptados da Ucrânia, durante a invasão, desde 24 de fevereiro. 

Publicidade

“A primeira coisa que fazem é confiscar os passaportes desses raptados da Ucrânia, para que não possam fugir para outro país. Em seguida, verificam seus corpos em busca de tatuagens como a bandeira ucraniana. Também são questionados sobre sua ideologia e crenças, com a finalidade de determinar se a pessoa é adversa em relação a Rússia”, explicou um jornalista internacional.

Muitos desses campos estão localizados perto da muito fria Sibéria, das minas de carvão no extremo oriente de Sakhalin, onde a temperatura no inverno chega a -20ºC, ou locais de mineração de gás natural. Mesmo de Mariupol, no sul da Ucrânia, que fica perto da Rússia, são mais de 7 mil km em linha reta. Ou seja, bem longe da terra natal.

Trabalho forçado por 2 anos

Para os ucranianos raptados são encontrados locais para o trabalho, através de uma central de emprego e são proibidos de deixar a Rússia por dois anos, explicou o jornalista.

Para a Rússia, os ucranianos raptados são uma poderosa “arma”. Isso porque pressiona o governo ucraniano como reféns. De acordo com a vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, pelo menos 40 mil civis foram sequestrados, incluindo mais de 2 mil crianças.

Em 29 de março, de uma maternidade da cidade de Mairupol invadida pela tropa russa, 70 pessoas, entre pacientes e funcionários, foram levados à força pelos soldados. 

Violação dos direitos humanos

A Câmara Municipal enfatizou que “as tropas russas vêm deportando cinicamente civis para seu território. Acredita-se que mais de 20 mil moradores de Mariupol foram raptados para a Rússia contra sua vontade. Os cidadãos têm suas identidades retiradas antes de serem enviados para os chamados campos de filtragem. Em seguida, são redirecionados para cidades remotas em toda a Rússia. O princípio da distribuição e os motivos da deportação permanecem obscuros”, diz o relatório, cujas informações são basicamente as mesmas do jornalista internacional.

De acordo com o prefeito de Mariupol, Vadym Boychenko, o que a Rússia está fazendo hoje viola os direitos humanos reconhecidos internacionalmente.

“Não serão forçados a viver tão terrivelmente quanto foi durante a Segunda Guerra Mundial, mas para a Rússia, esses raptados ajudam no declínio populacional e à reposição de mão de obra”, analisa o jornalista.

Fontes: Ukrinform e Friday

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky faz discurso no Grammy 2022

Publicado em 4 de abril de 2022, em Notícias do Mundo

Volodymyr Zelensky fez um discurso que começou: “A guerra. O que é mais oposto à música”.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Zelensky aparece em vídeo no Grammy 2022 (Twitter/@matthew stasoff)

O presidente ucraniano trouxe um momento comovente ao 64º Grammy Awards 2022 no domingo (3).

Publicidade

Volodymyr Zelensky fez um discurso que começou: “A guerra. O que é mais oposto à música”.

“O silêncio de cidades arruinadas e pessoas mortas. Nossas crianças desenharam mísseis, não estrelas cadentes”, disse ele. “Mais de 400 crianças foram feridas e 153 morreram. E nunca as veremos desenhando”.

Zelensky tem sido expansivo em reunir suporte internacional para seu país desde fevereiro, quando a nação foi invadida pelas forças russas.

Ele ligou isso à maior noite da indústria musical ao dizer, “A guerra não nos deixa escolher quem vive e quem fica em silêncio eterno”.

“Nossos músicos usam armaduras ao invés de smokings”, disse ele. “Eles cantam para os feridos. Em hospitais”. Ele acrescentou que “a música vai avançar de qualquer maneira” e falou sobre seu país defendendo sua liberdade para viver, para amar, para tocar”.

Zelensky implorou àqueles escutando que “Digam a verdade sobre guerra. Em nossas redes sociais. Nos apoie de qualquer maneira que você puder. De qualquer forma. Mas não em silêncio”.

“E então a paz virá. Para todas as nossas cidades que a guerra está destruindo”, disse ele. “Chernihiv, Kharkiv. Volnovakha. Mariupol e outras. Elas já são lendas. Mas eu tenho um sonho de vida para elas. E livres. Livres como vocês no palco do Grammy”.

Seu discurso foi seguido por uma performance de “Free” pelo cantor John Legend, que se juntou às artistas ucranianas Mika Newton, Lyuba Yakimchuk e Siuzanna Igidan.

Fonte: CN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência