Japonês processa clube de golfe por discriminação: recusado como associado por ser ex-estrangeiro

O japonês entrou com uma ação por ter sido recusado como associado do clube de golfe por ser ex-estrangeiro.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Foto meramente ilustrativa de martelo do juiz (PxHere)

Um japonês, na faixa dos 40 anos, residente na cidade de Kuwana (Mie), processou o Aichi Country Club, situado em Kani (Gifu), por ter sido recusado como associado pelo motivo de ser ex-estrangeiro.

Publicidade

Entrou com uma ação de danos pelo abalo psicológico sofrido, de 3,3 milhões de ienes, e a primeira sessão do julgamento foi realizada no Tribunal de Yokkaichi, sucursal do distrital de Tsu (Mie), na segunda-feira (11).

A parte do clube de golpe pediu indeferimento e mostrou vontade de lutar. “Senti a pior discriminação da minha vida. Quando serei japonês? Surgiram várias emoções como aborrecimento, compaixão e tristeza”, lamentou o que entrou com a ação.   

Ele era um cidadão sul-coreano e obteve a nacionalidade japonesa em 2018. De acordo com a denúncia, em fevereiro deste ano, foi convidado por um conhecido para uma partida de golfe no Aigi Country Club e solicitou a adesão. No entanto, depois disso, foi informado pelo clube que recusou a adesão, por telefone. Há uma cota de estrangeiros para se associar e nela estão incluídos os que adquiriram a nacionalidade japonesa.   

Ele alegou que o clube violou o artigo 14 da Constituição, que estipula “igualdade perante a lei“. Além disso, teve que explicar sua origem aos seus conhecidos, os quais o apresentaram ao clube de golfe e isso lhe causou danos emocionais.   

À medida que se difundem os esforços para eliminar a discriminação e almejar uma sociedade que respeite a diversidade, esse julgamento chama a atenção.

Fontes: Mainichi e Asahi

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Toyota suspenderá produção de uma linha por 10 dias

Publicado em 12 de julho de 2022, em Economia

Essa suspensão parcial em uma linha afetará a produção, mas o plano para julho continua inalterado.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Veículo elétrico bZ4X da Toyota (reprodução HP)

A Toyota Motor anunciou na segunda-feira (11) que estenderá o período de suspensão de uma linha da fábrica de Motomachi, na cidade de Toyota (Aichi), por 10 dias em julho, para investigar a causa do recall do novo veículo elétrico (VE) bZ4X.

Publicidade

Essa suspensão parcial afetará a produção de cerca de 4 mil unidades. Mas o plano de produção global para julho, de cerca de 800 mil unidades, será mantido.

Ao mesmo tempo, além da sua marca, a produção do VE Solterra da Subaru, que também foi objeto de recall, também será afetado pois é produzido nessa planta de Motomachi. 

Os veículos da marca Toyota, Noah, Voxy e o de célula de combustível (FCV) Mirai, também terão produção afetada.  

A Toyota já havia anunciado sobre a suspensão das operações em julho devido à escassez de peças como impacto dos fornecedores infectados pela epidemia do novo coronavírus em Xangai, na China. 

A linha da planta de Motomachi também estava incluída. Segundo o anúncio, os 10 dias da linha a ser paralisada são entre 18 e 29 de julho.

Fontes: Sankei e Response

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência