EUA pedem que gigante da moda Shein seja investigada por trabalho forçado

Legisladores nos EUA pedem que Shein seja investigada por afirmações de que trabalho forçado uigure está sendo usado para fabricar algumas das roupas que ela vende.

Um centro de distribuição da Shein (banco de imagens)

Um grupo de legisladores dos EUA pediu que a marca de fast fashion (moda rápida) Shein seja investigada por afirmações de que trabalho forçado uigure está sendo usado para fabricar algumas das roupas que ela vende.

Publicidade

A carta ao fiscalizador do Wall Street vem em meio a expectativas de que a empresa pode vender suas ações nos EUA.

“Temos zero tolerância com trabalho forçado”, disse a Shein à BBC.

A carta, que foi assinada por duas dezenas de legisladores Republicanos e Democratas, citou “alegações credíveis de utilização de trabalho mal remunerado e forçado”.

Ela também pediu que a Securities Exchange Commission (SEC) force a Shein a examinar e verificar de forma independente “que a companhia não usa trabalho forçado uigure”, antes de ela ter permissão para vender ações nos EUA.

Em resposta à carta, a Shein disse à BBC: “Estamos comprometidos em respeitar os direitos humanos e aderir às leis locais e regulamentos em cada mercado que operamos”.

“Nossos fornecedores devem aderir a um código restrito de conduta que está alinhado com convenções de base da Organização de Trabalho Internacional”, acrescentou.

Grupos de direitos humanos e governos no Ocidente, incluindo os EUA e Reino Unido, acusaram a China de trabalho forçado e confinamento de uigures, uma minoria étnica muçulmana.

Em dezembro de 2020, pesquisa vista pela BBC mostrou que até meio milhão de pessoas estavam sendo forçadas a colher algodão em Xinjiang. Pequim nega quaisquer abusos de direitos.

Algumas marcas do Ocidente removeram o algodão de Xinjiang de suas redes de fornecimento e os EUA aprovaram novos regulamentos sobre a importação de produtos de Xinjiang o que exige que empresas provem que eles não foram produzidos usando trabalho forçado.

A Shein, que foi fundada em Nanjing, na China, em 2008, é agora sediada em Singapura.

Ela vem conquistando consumidores jovens nos EUA, Reino Unido e Europa e em outros lugares ao produzir moda rápida e geralmente a preços mais baratos, em comparação a suas rivais como a Boohoo ou Asos.

A Shein alegadamente depende de milhares de fornecedores terceirizados na China para produzir lotes de roupas.

Fonte: BBC

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Menino de 3 anos se fere na creche, com corda no pescoço

Publicado em 2 de maio de 2023, em Acidentes

Ele já foi transportado para o hospital em estado de inconsciência por causa do acidente durante a brincadeira.

Parquinho na área da creche onde o menino se acidentou e está inconsciente (FNN)

Por volta das 10h30 de terça-feira (2), um menino de 3 anos, aluno de uma creche na cidade de Kuki (Saitama), ficou inconsciente depois de se ferir em um brinquedo.

Publicidade

Foi socorrido imediatamente pois a creche chamou a ambulância, a qual o levou ao hospital, em estado grave.

Ele estava em um dos brinquedos do parquinho e ficou com o pescoço enrolado com uma corda

Segundo a polícia, há uma pequena montanha feita de terra, com uma corda esticada entre as estacas cravadas, para segurar nela e subir.  

A polícia está investigando as circunstâncias na creche e ainda não forneceu detalhes.

Fontes: FNN e NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - junto a comunidade no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!