Parentes brigam por custódia das 4 crianças que sobreviveram à queda de avião na Colômbia

Autoridades estão entrevistando familiares das crianças que sobreviveram 40 dias na selva sozinhas para determinar quem deveria cuidar delas.

Os irmãos, com idades entre 1 e 13 anos, continuaram no hospital na segunda-feira (12) e devem permanecer lá por vários dias (NHK)

Uma batalha por custódia surgiu entre parentes das 4 crianças indígenas colombianas que sobreviveram a uma queda de avião e 40 dias sozinhas na selva amazônica, com o pai de duas delas enfrentando acusações de violência doméstica.

Publicidade

Os irmãos, com idades entre 1 e 13 anos, continuaram no hospital na segunda-feira (12) e devem permanecer lá por vários dias, tempo durante o qual a agência de proteção infantil da Colômbia entrevistará familiares para determinar quem deveria cuidar delas após a mãe ter morrido no acidente em 1º de maio.

Astrid Cáceres, chefe do Instituto Colombiano de Bem-Estar da Família, disse em uma entrevista junto à rádio BLU que um assistente social foi atribuído para as crianças a pedido de seus avós maternos, que estão brigando pela custódia com o pai das duas mais novas.

No domingo (11), o avô, Narciso Mucutuy, acusou Manuel Ranoque, pai das crianças, de abuso doméstico contra a mãe, Magdalena Mucuty, dizendo aos repórteres que os netos se escondiam na floresta quando brigas ocorriam entre os dois.

Ranoque reconheceu que eles tinham problemas em casa, mas ele os caracterizou como questões particulares de família e não “fofoca para o mundo”.

Questionado se ele havia atacado sua esposa, Ranoque disse: “Verbalmente, às vezes, sim. Fisicamente, muito pouco. Tínhamos mais brigas verbais”.

Ranoque disse que não teve permissão para ver as duas crianças mais velhas, das quais ele não é pai biológico.

As crianças estavam viajando com sua mãe do vilarejo amazônico de Araracuara para a cidade de San Jose del Guaviare em 1º de maio quando o piloto do avião Cessna declarou emergência devido a uma falha no motor. A aeronave sumiu dos radares pouco tempo depois e uma operação de busca foi iniciada por 3 adultos e 4 crianças que estavam a bordo.

As crianças sobreviveram comendo farinha de mandioca e sementes

Por mais de 1 mês, as crianças sobreviveram comendo farinha de mandioca e sementes, assim como algumas frutas que elas encontraram na selva, as quais elas já conheciam por serem membros do grupo indígena Huitoto.

Elas foram finalmente encontradas na sexta-feira (9) e transportadas de helicóptero para a capital, Bogotá, e então para um hospital militar onde receberam atendimento psicológico e outros suportes.

As crianças contaram aos parentes detalhes angustiantes dos momentos na selva. A mais velha contou que a mãe ficou viva por cerca de 4 dias após a queda, disse Ranoque no domingo.

O avião foi encontrado 2 semanas depois após o acidente em um trecho denso de floresta. Os corpos dos 3 adultos foram recuperados, mas não havia sinais das crianças, levando a esperanças de que elas poderiam estar vivas.

As crianças foram encontradas a 5Km do local da queda do avião

Durante a busca de semanas, soldados em helicópteros jogaram caixas de comida na selva e aviões lançaram luzes durante a noite para iluminar o solo para equipes de busca. Membros de resgate também usaram alto-falantes para transmitir uma mensagem gravada pela avó das crianças dizendo a elas para ficarem em apenas um lugar.

As crianças foram finalmente encontradas a cerca de 5Km do local da queda do avião em uma clareira pequena. Autoridades disseram que equipes de resgate haviam passado dentro de 20 a 50 metros do local em várias ocasiões, mas não as viram.

Fonte: The Guardian

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Dirigir na chuva: 3 pontos importantes para sua segurança

Publicado em 13 de junho de 2023, em Dicas Especiais

Com a chegada da época chuvosa, confira 3 pontos importantes do seu carro para ter segurança.

Foto ilustrativa de veículos sob a chuva forte (JNN)

Chegou a estação chuvosa e provavelmente as possibilidades de dirigir aumentam. O especialista da sucursal de Ehime da Japan Automobile Federation (JAF), mostra 3 pontos importantes para dirigir sob a chuva de forma segura, tomando cuidado com a má visibilidade e com a derrapagem.

Publicidade

O primeiro ponto é a prevenção da má visibilidade, portanto com o limpador de para-brisa. Se a borracha estiver com rachadura ou danificada, precisa ser trocada.

O segundo ponto é a água ou o líquido limpador do reservatório do para-brisa. É importante conferir e reabastecê-lo. Além disso, é importante retirar os resíduos de óleo do vidro. Para isso, leia a matéria sobre um produto para ajudar a limpar com eficiência.

E o terceiro ponto são checar os pneus, vitais para evitar acidentes. Portanto, verifique a profundidade das ranhuras.

Especialista mostra o triângulo a ser procurado para verificar a profundidade da ranhura do pneu (reprodução da JNN/ITV)

Os pneus têm uma marca importante que sinalizam se ainda estão seguros para rodar. Procure um sinal de triângulo e na sua extensão tem uma ranhura. Se tiver uma profundidade igual ou inferior a 1,6 milímetro sinaliza que já está no limite e precisa ser trocado. É muito perigoso dirigir nessa condição.

Ranhura com 1,6 milímetro de profundidade sinaliza perigo, precisa trocar o pneu (JNN/ITV)

De acordo com 3 testes realizados pela JAF, ao dirigir em pista molhada a 100 km/h e frear bruscamente, foi constatada uma diferença de 23 metros na frenagem, entre pneus novos e desgastados ou que só estão com 20% na ranhura.   

Testes de frenagem com pneus novos, meia-vida e desgastados mostra o perigo de rodar com os pneus em má condição (JAF via JNN/ITV)

Com a chegada da estação chuvosa, o especialista da JAF adverte os motoristas para que verifiquem os limpadores de para-brisa e pneus, evitando as passagens subterrâneas e outros locais com risco de inundação em casos de previsão de chuva intensa.

“Primeiramente, evite saídas desnecessárias e não urgentes. Entretanto, há pessoas que necessitam dirigir até o trabalho ou até a escola, então, se o fizer, verifique cuidadosamente os limpadores de para-brisa, faróis e pneus”, advertiu Hiroshi Gonnazu, gerente de promoções da sucursal de Ehime da JAF.

Se ainda não leu a matéria com teste em vídeo, de limpador de faróis, toque aqui.

Fonte: JNN/ITV

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - junto a comunidade no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!