Ataque ao centro da capital da Ucrânia no sábado e aumento de mortes

São quase 200 mortes, incluindo crianças, e mais de mil pessoas feridas por causa dos bombardeios da Rússia. A Ucrânia resiste e se defende, veja os vídeos.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Prédio situado no centro de Kiev, na manhã de sábado (@DmytroKuleb)

De acordo com informações do Ministério dos Assuntos Internos da Ucrânia, na manhã de sábado (horário local), houve um bombardeio da Rússia em um prédio de apartamentos, localizado no centro da capital Kiev. Há notícias de pessoas feridas. 

Publicidade

https://twitter.com/vpnewsodia/status/1497485508007452672

Esse arranha-céu fica a apenas 5km da icônica Praça da Independência, e é uma área densamente povoada, onde há escolas e hotéis nos arredores.

“Kiev, nossa esplêndida e pacífica cidade, sobreviveu a mais uma noite sob ataques de forças terrestres russas, mísseis. Um deles atingiu apartamentos de um edifício residencial em Kiev. Exijo ao mundo: isolar totalmente a Rússia, expulsar embaixadores, embargo de petróleo, arruinar sua economia. Parem os criminosos de guerra russos!“, disse Dmytro Kuleba, Ministro dos Assuntos Exteriores do país. 

Putin quer destruir o governo e o exército da Ucrânia

Mykhailo Podoliak, Conselheiro do Chefe do Gabinete do Presidente da Ucrânia, reiterou que Kiev era uma prioridade número 1 para o agressor, pois o objetivo principal da operação especial da Federação Russa é destruir a liderança política e militar da Ucrânia

Podoliak afirmou que a situação na cidade e seus arredores está sob controle. “A situação na cidade: há grupos inimigos esporádicos de sabotagem e reconhecimento contra os quais os representantes da Polícia Nacional estão trabalhando ativamente e os representantes da defesa territorial estão trabalhando com a mesma eficácia. As Forças Armadas da Ucrânia estão trabalhando ativamente nos arredores de Kiev”, relatou para o jornal Ukrinform.

Ucrânia está se defendendo

Acrescentou que os sinais de alerta aéreo foram ouvidos em muitas cidades da Ucrânia durante a noite porque o exército russo usa artilharia, incluindo de mísseis, bem como aeronaves para atacar.

O post mostra o exército ucraniano destruindo a infantaria russa com coquetéis molotov, em bloqueios improvisados nos arredores de Kiev.

Até as 07h de sábado (26), as Forças Armadas da Rússia não obtiveram nenhuma vantagem tática e operacional, apesar da quantidade de recursos e reservas que haviam sido “envolvidos para as ações ativas da Federação Russa”, explicou.

Isso mostra que a Ucrânia não apenas resistiu, a Ucrânia está vencendo“, disse Podoliak.

Conforme relatado, o chefe do país agressor, Vladimir Putin, anunciou o início de uma operação militar especial em Donbas em 24 de fevereiro.

A lei marcial foi imposta em toda a Ucrânia. O presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky assinou um decreto sobre a mobilização geral. E o presidente se recusa a deixar a capital Kiev, conforme falou pela rede social Twitter.

Quase 200 mortes e ‘duas vidas que já têm a guerra no código genético

“De acordo com os dados mais recentes, 198 pessoas, incluindo 3 crianças, foram mortas pelos invasores. São 1.115 pessoas, incluindo 33 crianças, feridas“, postou o ministro da Saúde Viktor Liashko no Facebook.

Por outro lado, “ontem, dois meninos nasceram em uma maternidade montada em um abrigo antibombas na cidade de Kherson. Duas novas vidas que já têm a Guerra em seu código genético. Nós e eles nunca esqueceremos e nunca perdoaremos! A vida continua, damos nascimento e ninguém pode nos vencer”, enfatizou Liashko.

O Presidente Zelensky disse: “Estou aqui. Não vamos deixar nossas armas. Vamos defender nosso estado”, após o ataque ao prédio no centro da capital.

Fontes: NHK, Ukrinform e Twitter

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Navio cargueiro japonês é atingido por míssil da Rússia, na costa da Ucrânia

Publicado em 26 de fevereiro de 2022, em Notícias do Mundo

Dois navios cargueiros foram atingidos por mísseis do exército russo, na costa da Ucrânia. Um deles, japonês, sofreu incêndio, mas a tripulação está salva.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Imagens cedidas pelo Ministério da Defesa da Ucrânia (ANN)

Segundo informações do Ministério de Defesa da Ucrânia, o navio cargueiro registrado no Panamá, Namura Queen, foi atingido por um míssil do exército russo, na costa ucraniana, do Mar Negro, na sexta-feira (25).

Publicidade

O míssil atingiu a popa, o que desencadeou um incêndio na embarcação.

O Namura Queen é de propriedade de uma empresa transportadora, situada em Imabari (Ehime), a qual foi comunicada por volta das 20h. Os 20 tripulantes, todos filipinos, estão salvos, sendo que somente um teve ferimento no ombro.

O cargueiro estava indo para a cidade portuária Odessa, na Ucrânia, para carregamento de grãos. Mas, depois do ataque, mudou a rota e está seguindo para a Turquia para verificação das avarias.

Estou aliviado que os tripulantes estejam salvos, mas quero transferi-los para um local seguro o mais rápido possível. Como a Ucrânia e a Rússia são bases logísticas, quero que a situação atual melhore logo”, declarou um representante da empresa para a NHK.

Além do cargueiro Namura Queen outro navio foi atacado, informou o ministério ucraniano.

Fontes: NHK e ANN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância