China pediu que Rússia adiasse invasão da Ucrânia até depois das Olimpíadas

Autoridades dos EUA veem o relatório amplamente como credível, mas seus detalhes estão abertos a interpretação.

Nas imagens, o presidente russo Vladimir Putin e seu homólogo Xi Jinping (banco de imagens)

Um relatório de inteligência ocidental indicou que autoridades chinesas, no início de fevereiro, pediram a altos funcionários russos que esperassem até depois das Olimpíadas de Pequim antes de começar uma invasão da Ucrânia, disseram os EUA na quarta-feira (2).

Publicidade

Autoridades dos EUA veem o relatório amplamente como credível, mas seus detalhes estão abertos a interpretação, de acordo com uma fonte junto à inteligência.

Embora o pedido tenha sido feito na época quando o presidente Vladimir Putin visitou Pequim para a cerimônia de abertura das Olimpíadas – onde ele se encontrou com seu homólogo Xi Jinping – não está claro no relatório se Putin endereçou o assunto diretamente com Xi, disse a fonte.

O jornal New York Times foi o primeiro a divulgar a existência do relatório.

Oficiais da inteligência ocidental observaram atentamente o acúmulo de tropas de Putin na fronteira ucraniana na época e haviam antecipado que ele poderia adiar qualquer ação militar até após as Olimpíadas para evitar enfurecer a China.

Após o encontro de Putin e Xi nos bastidores dos Jogos, Moscou e Pequim emitiram uma declaração conjunta dizendo que suas parcerias “não tinham limites” e condenaram a expansão da OTAN – um pilar fundamental na justificativa de Putin para atacar a Ucrânia.

A declaração aumentou as preocupações do Ocidente sobre uma aliança em desenvolvimento entre a China e a Rússia.

“As afirmações mencionadas nos relatórios relevantes são especulações sem qualquer base e destinadas a transferir a culpa e difamar a China”, disse o porta-voz para a embaixada chinesa em Washington, Liu Pengyu.

Fonte: CNN

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Brasileiro, motorista de caminhão, é preso pela suspeita de fraude no pedágio

Publicado em 3 de março de 2022, em Sociedade

Segundo a polícia o motorista brasileiro teria passado com um tíquete de pedágio obtido de forma ilegal.

Polícia da Província de Tochigi (Tochigi TV)

A Polícia da Província de Tochigi informou, na quarta-feira (2), sobre a prisão de um brasileiro, 61 anos, motorista de um caminhão basculante, residente em Oyama. 

Publicidade

Segundo as informações, por volta do meio-dia de dia 26 de janeiro, teria passado de forma fraudulenta pelo pedágio de Iwatsuki da via expressa Tohoku, quando dirigia o caminhão. 

Saiu lucrando 2.980 ienes, por que teria passado com um tíquete de pedágio obtido ilegalmente, sem pagar o valor integral.

Na delegacia, o brasileiro negou a suspeita dizendo que “não trapaceei”.

Fonte: Tochigi TV

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros