Dois anos de covid-19: OMS alerta que a pandemia está ‘longe de acabar’

A OMS lamentou que após 2 anos o vírus ainda está evoluindo e aumentando em algumas partes do mundo.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Pessoas de máscara em Bangkok, Tailândia (banco de imagens)

A pandemia está longe de acabar, insistiu o líder da OMS na quarta-feira (9), dois anos após ele ter usado o termo pela primeira vez para acordar o mundo sobre a ameaça emergente da covid-19.

Publicidade

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, descreveu a covid-19 como pandemia pela primeira vez em 11 de março de 2020.

Dois anos se passaram e ele lamentou como o vírus ainda estava evoluindo e aumentando em algumas partes do mundo.

“Dois anos depois, mais de 6 milhões de pessoas morreram”, disse Tedros em uma coletiva de imprensa. Enquanto cerca de 444 milhões de casos foram registrados.

“Embora casos reportados e mortes estejam diminuindo globalmente, e vários países tenham suspendido as restrições, a pandemia está longe de acabar”.

O número de novos casos caiu 5% no mundo em comparação à semana anterior, enquanto o número de mortes diminuiu 8%.

Entretanto, Maria Van Kerkhove, líder técnica da covid-19 da OMS, alertou que a taxa de casos era certamente uma subestimativa devido à queda dramática de testes.

A OMS disse que a ômicron contou por 99,7% das amostras coletadas nos últimos 30 dias que foram sequenciadas e transmitidas para a iniciativa de ciência global GISAID.

Sobre vacinas, os números mais recentes da OMS mostram que 23 países ainda precisam concluir imunização completa de 10% de suas populações, enquanto que 73 nações ainda precisam alcançar os 40% da meta de cobertura para o início de 2022.

Fonte: Channel News Asia

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Gunma: queda de residentes estrangeiros pela primeira vez em 9 anos

Publicado em 10 de março de 2022, em Sociedade

Isso não acontecia desde 2012, ano seguinte à crise global desencadeada pelo Lehman Brothers.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Vista da cidade de Ota (Wikimedia)

Segundo informações do governo da província de Gunma, é a primeira vez em 9 anos que o número de residentes estrangeiros teve queda, do total levantado em dezembro de 2021 em relação a 2020. 

Publicidade

Um dos motivos foi a restrição de entrada de imigrantes e trabalhadores do exterior por causa da epidemia do novo coronavírus.  

A queda foi de 712 pessoas, pois o número total de residentes estrangeiros até 31 de dezembro é de 67.949. Desde 2012, ano seguinte à crise dos Lehman Brothers, não se via redução.

Província de Gunma, na região Kanto (Wikimedia)

Os brasileiros perderam posição de top na província de Gunma:

  • 12.394 verde amarelos
  • 19.945 vietnamitas
  • 7.830 filipinos

Por cidade, Isesaki tem 13.405 estrangeiros, são 11.619 em Ota e 7.834 em Oizumi. O percentual de residentes estrangeiros em relação à população da província é de 3,1%.

“Este ano, iniciamos um sistema para certificar as empresas consideradas excelentes e que empregam estrangeiros. Espero que os residentes estrangeiros escolham Gunma para viver e trabalhar”, disse o representante da Divisão de Promoção de Avanço de Vida e Estrangeiros.

Fonte: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância