Dois anos de covid-19: OMS alerta que a pandemia está ‘longe de acabar’

A OMS lamentou que após 2 anos o vírus ainda está evoluindo e aumentando em algumas partes do mundo.

Pessoas de máscara em Bangkok, Tailândia (banco de imagens)

A pandemia está longe de acabar, insistiu o líder da OMS na quarta-feira (9), dois anos após ele ter usado o termo pela primeira vez para acordar o mundo sobre a ameaça emergente da covid-19.

Publicidade

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, descreveu a covid-19 como pandemia pela primeira vez em 11 de março de 2020.

Dois anos se passaram e ele lamentou como o vírus ainda estava evoluindo e aumentando em algumas partes do mundo.

“Dois anos depois, mais de 6 milhões de pessoas morreram”, disse Tedros em uma coletiva de imprensa. Enquanto cerca de 444 milhões de casos foram registrados.

“Embora casos reportados e mortes estejam diminuindo globalmente, e vários países tenham suspendido as restrições, a pandemia está longe de acabar”.

O número de novos casos caiu 5% no mundo em comparação à semana anterior, enquanto o número de mortes diminuiu 8%.

Entretanto, Maria Van Kerkhove, líder técnica da covid-19 da OMS, alertou que a taxa de casos era certamente uma subestimativa devido à queda dramática de testes.

A OMS disse que a ômicron contou por 99,7% das amostras coletadas nos últimos 30 dias que foram sequenciadas e transmitidas para a iniciativa de ciência global GISAID.

Sobre vacinas, os números mais recentes da OMS mostram que 23 países ainda precisam concluir imunização completa de 10% de suas populações, enquanto que 73 nações ainda precisam alcançar os 40% da meta de cobertura para o início de 2022.

Fonte: Channel News Asia

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Gunma: queda de residentes estrangeiros pela primeira vez em 9 anos

Publicado em 10 de março de 2022, em Sociedade

Isso não acontecia desde 2012, ano seguinte à crise global desencadeada pelo Lehman Brothers.

Vista da cidade de Ota (Wikimedia)

Segundo informações do governo da província de Gunma, é a primeira vez em 9 anos que o número de residentes estrangeiros teve queda, do total levantado em dezembro de 2021 em relação a 2020. 

Publicidade

Um dos motivos foi a restrição de entrada de imigrantes e trabalhadores do exterior por causa da epidemia do novo coronavírus.  

A queda foi de 712 pessoas, pois o número total de residentes estrangeiros até 31 de dezembro é de 67.949. Desde 2012, ano seguinte à crise dos Lehman Brothers, não se via redução.

Província de Gunma, na região Kanto (Wikimedia)

Os brasileiros perderam posição de top na província de Gunma:

  • 12.394 verde amarelos
  • 19.945 vietnamitas
  • 7.830 filipinos

Por cidade, Isesaki tem 13.405 estrangeiros, são 11.619 em Ota e 7.834 em Oizumi. O percentual de residentes estrangeiros em relação à população da província é de 3,1%.

“Este ano, iniciamos um sistema para certificar as empresas consideradas excelentes e que empregam estrangeiros. Espero que os residentes estrangeiros escolham Gunma para viver e trabalhar”, disse o representante da Divisão de Promoção de Avanço de Vida e Estrangeiros.

Fonte: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Aprenda NIHONGO com o Kumon!