Empresário russo oferece 1 milhão de dólares para quem prender Putin

Os seus posts nas redes sociais geraram matérias, comentários e compartilhamentos em massa.

Vladimir Putin (Wikimedia)

Na quinta-feira (3) um post na rede Linkedin chamou a atenção da imprensa internacional. Um empreendedor e empresário russo que ofereceu uma recompensa, no dia anterior, para quem prender o presidente russo Vladimir Putin, no valor de 1 milhão de dólares, se justificou porque gerou uma certa confusão.

Publicidade

O empresário Alex Konanykhin esclareceu: “Alguns comentários sugerem que prometi pagar pelo assassinato de Putin. Não está correto. Embora tal resultado seja aplaudido por milhões de pessoas em todo o mundo, acredito que Putin deve ser levado à justiça”, destacou.

No post que gerou dezenas de comentários, no Linkedin de dias atrás, diz o seguinte:

Prometo pagar US$ 1.000.000 ao(s) oficial(is) (no sentido de policiais) que, cumprindo seu dever constitucional, prender(em) Putin como criminoso de guerra sob as leis russas e internacionais. Putin não é o presidente russo quando chegou ao poder como resultado de uma operação especial de explodir prédios de apartamentos na Rússia, depois violou a Constituição ao eliminar eleições livres e assassinar seus oponentes. Como russo étnico e cidadão russo, vejo como meu dever moral facilitar a desnazificação da Rússia. Continuarei minha assistência à Ucrânia em seus esforços heróicos para resistir ao ataque da orda de Putin”.

Ele postou também no Facebook, mas a imagem foi banida. Provavelmente porque na imagem tem a frase “Dead or Alive”, como nos pôsteres antigos dos EUA, quando os bandidos eram procurados pelos mocinhos. Mas, no texto não há nenhuma menção de “morto”, apenas que seja preso. O post continua lá, só em texto. Até a noite de quinta-feira (3) já tinha mais de 1,1 mil comentários e 3,3 mil compartilhações.

Disse que vai continuar apoiando a Ucrânia, país que foi invadido pelo exército de Putin, no dia 24 de fevereiro.

“Orda” é uma palavra russa que significa aquele que viaja de um lugar para outro, pilhando para guerra ou fazendo pilhagem, de acordo com The Century Dictionary and Cyclopedia.

Quem é o empresário russo   

De acordo com a KATV, que publicou uma matéria sobre o assunto, na quinta-feira (3), dos Estados Unidos, Konanykhin tem uma história controversa com seu país natal, a Rússia. Nascido em 1966, foi expulso da escola porque dirigia uma empresa quando era estudante na Universidade de Física e Tecnologia de Moscou.

Depois disso, entrou na onda de reformas econômicas sob o governo Gorbachev, tornou-se presidente de uma grande empresa de construção em apenas alguns anos e também começou a administrar um banco – Russian Exchange Bank – e, em 1992, era uma das pessoas mais ricas da Rússia.

Em 1996, ele e sua esposa foram presos nos Estados Unidos por supostamente terem violado a lei da imigração, mas aparentemente foi provocação das autoridades russas, alegando que ele teria desviado fundos do Russian Exchange Bank, de Moscou. Depois ficou tudo resolvido e o casal obteve um asilado político nos Estados Unidos. 

Konanykhin montou uma empresa de serviços de gerenciamento de trabalho remoto, a TransparentBusiness, e aparece no programa de mídia social Unicorn Hunters, onde empreendedores vendem suas ideias para investidores.

Reprodução do post original

Fontes: KATV, Facebook e Linkedin

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Ikea e H&M fecham lojas na Rússia

Publicado em 4 de março de 2022, em Notícias do Mundo

Dezenas de companhias ocidentais saíram ou suspenderam operações na Rússia em resposta à invasão na Ucrânia.

Ikea e H&M suspendem operações temporariamente na Rússia (banco de imagens)

Duas grandes empresas, a Ikea e a H&M, estão temporariamente pausando as operações na Rússia por causa da invasão da Ucrânia.

Publicidade

A Ikea, a maior empresa especializada em móveis do mundo, tem 17 lojas na Rússia.

A companhia disse que o conflito está tendo um “impacto humano imenso, resultando em graves interrupções a redes de fornecimento e condições de comércio”. Como resultado, ela decidiu pausar todas as operações na Rússia, assim como todo o comércio com o país e seu aliado, Belarus.

Dezenas de companhias ocidentais saíram ou suspenderam operações na Rússia em resposta à invasão, às sanções necessárias e a interrupções no fornecimento.

A Ikea disse que 15 mil trabalhadores seriam afetados diretamente pelos fechamentos na região. Contudo, a companhia continuará a pagar os salários a eles, pelo menos por enquanto.

A compahia H&M, que tem 168 lojas na Rússia, disse na quarta-feira (2) que também decidiu fechar temporariamente lojas na Rússia.

“O Grupo H&M se importa com todos os colegas e se junta a todos no mundo que estão pedindo por paz”, disse a varejista da moda sueca em uma declaração.

O vídeo abaixo mostra russos em peso em loja da Ikea após a notícia de suspensão de operações no país.

Fonte: CNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância