Kishida anuncia medidas emergenciais para o aumento dos preços

O pacote das medidas emergenciais considerou 4 frentes: sustento das famílias, combustíveis, energia e matérias-primas, além das pequenas e médias empresas.

Primeiro-Ministro do Japão, Fumio Kishida, em coletiva de imprensa na noite de terça-feira (ANN)

No começo da noite de terça-feira (26) o Primeiro-Ministro do Japão, Fumio Kishida, realizou uma coletiva de imprensa para anunciar o pacote de medidas emergenciais em face ao aumento dos preços devido à situação na Ucrânia.

Publicidade

Explicou que preparou um orçamento suplementar para este ano e instruiu a prosseguir com o trabalho o mais rápido possível para o estabelecimento na atual Dieta ou Câmara dos Representantes.

1 – Apoio às famílias necessitadas

O governo decidiu alocar cerca de 1,3 trilhão de ienes para apoiar as famílias que enfrentam o aumento dos preços devido às consequências da epidemia do coronavírus e estão com dificuldades para viver.  

Decidiu-se pelo benefício de 50 mil ienes por criança para as famílias isentas do imposto residencial e também as monoparentais. O outro benefício será de 100 mil ienes para as famílias igualmente isentas do imposto residencial. As famílias recém-isentas desse imposto também poderão recebê-lo.

Além disso, estenderá o prazo do subsídio chamado Fundo de Apoio à Independência para as Pessoas Necessitadas (生活困窮者自立支援金, lê-se seikatsu konkyusha dokuritsu shienkin). O subsídio é destinado às pessoas que não podem mais usar o sistema nacional de empréstimos pessoais e há 2 requisitos: comprovar que está procurando uma colocação através da Hello Work e que está com queda ou restrição de renda. 

Para saber mais sobre este subsídio toque aqui para abrir a página web do governo, em japonês.

Mais um subsídio, o de empréstimo emergencial de fundo temporário (緊急小口資金, lê-se kinkyu koguchi shikin), o qual empresta até 300 mil ienes, com carência de 1 ano e prazo de pagamento em 2 anos, também teve o prazo prorrogado até o final de junho. Para saber detalhes desse programa, em português, toque aqui.

2 – Medidas contra o aumento dos preços do petróleo bruto

Para conter o aumento dos preços dos combustíveis, como a gasolina, o governo irá aumentar o subsídio aos distribuidores de petróleo dos atuais 25 ienes por litro para 35 ienes.

Além disso, o pagamento se faz quando o preço médio da gasolina comum ultrapassa 172 o litro, mas será reduzido para 168 ienes.  

Espera-se que estas medidas tenham o efeito de suprimir o aumento do índice de preços no consumidor em cerca de 0,5 ponto.

As empresas de táxi também receberão apoio para conter o aumento de preços do gás usado nos veículos.

3 – Medidas para fornecimento estável de energia, matérias-primas e alimentos

Cerca de 500 bilhões de ienes serão destinados a medidas para o fornecimento estável de matérias-primas e alimentos.

Como medida contra o aumento dos preços do trigo, o governo incentivará os fabricantes a trocar as matérias-primas do trigo importado pelo de produção nacional, arroz e farinha de arroz nacionais, bem como apoio à expansão da produção doméstica de trigo.

Dará suporte aos custos de transporte para aumentar a produção de madeira nacional, a qual tem alta demanda.

Existe a preocupação de que as importações de matérias-primas de fertilizantes químicos da Rússia e de outros países sejam adiadas. Será destinado um subsídio aos fabricantes de fertilizantes para os custos associados à mudança de fontes de importação. Em relação aos preços dos grãos usados ​​para a ração do gado, os pecuaristas poderão contar com um fundo para compensá-los quando esses custos ultrapassarem um determinado nível. 

Em relação aos gases como o criptônio, indispensáveis para a indústria de semicondutores, importados da Rússia e Ucrânia, o governo tomará medidas, como migrar para a produção nacional, para que o fornecimento não seja interrompido.  

4 – Medidas para pequenas e médias empresas

Será alocada uma verba de cerca de 1,3 trilhão de ienes como medida de apoio às pequenas e médias empresas afetadas pelo aumento dos preços das matérias-primas. Também reduzirá as taxas de juros e criará uma linha de empréstimos praticamente sem juros e sem garantia. Além disso, a resposta à crise gerada pela epidemia do coronavírus, será estendida do final de junho até o fim de setembro.

Pedido especial no feriado de Golden Week

“Será um feriado prolongado sem as medidas prioritárias como prevenção de disseminação e estado de emergência pela primeira vez em 3 anos. Mas, devemos continuar alertas. Enquanto tomamos todas as medidas de prevenção e peço sua contínua cooperação, necessitamos recuperar as atividades econômicas.

Antes da viagem de volta à terra natal ou outras, recomendou se vacinar e realizar o teste de PCR ou de antígeno oferecidos gratuitamente pelos governos locais. 

Fontes: ANN e NHK

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Ucrânia omite Japão de lista de países que ela agradeceu em vídeo no Twitter

Publicado em 26 de abril de 2022, em Sociedade

Porta-voz do governo japonês diz que a omissão pode ser resultado de Tóquio não fornecer armas letais para a Ucrânia.

Ucrânia não incluiu Japão na lista de países que ela agradeceu pelo suporte que recebeu em sua luta contra a Rússia (banco de imagens)

O Japão não estava entre as nações que a Ucrânia agradeceu em um vídeo na mídia social destacando o suporte que recebeu em sua luta contra a Rússia, com o alto porta-voz do governo japonês dizendo nesta terça-feira (26) que a omissão pode ser resultado de Tóquio não fornecer armas letais.

Publicidade

“Presumimos que a gratidão foi mostrada no contexto de (agradecendo países que forneceram) assistência militar”, disse o secretário-chefe do gabinete Hirokazu Matsuno.

O Japão não forneceu armas letais para a Ucrânia, embora ele tenha decidido enviar equipamento de defesa incluindo coletes à prova de balas e vestimentas que protegem contra armas químicas.

“Estamos confirmando com o lado ucraniano”, disse Matsuno em uma coletiva de imprensa em Tóquio.

O vídeo de 34 segundos publicado no Twitter pelo Ministério de Relações Exteriores da Ucrânia mostra uma mulher usando roupa militar com uma locução dizendo, “A Ucrânia é grata pelo seu suporte nessa época difícil”, enquanto listava 31 nações, incluindo EUA e Reino Unido.

O governo japonês disse que não tem planos de oferecer armas letais devido aos seus três princípios sobre transferência de equipamento de defesa que proíbem tais exportações a um país que é “parte de um conflito” sob a Constituição Pacifista do país pós- Segunda Guerra Mundial.

Matsuno também disse que o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky e outros altos funcionários do governo já agradeceram ao Japão pelas suas contribuições.

Fonte: Mainichi

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - junto a comunidade no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!