Tempestades solares: governo japonês as inclui nas estimativas de danos nas contramedidas de desastre

Sabia que o seu smartphone pode ficar até duas semanas com falha de comunicação? Essa e outras situações serão incluídas no plano de contramedidas do governo.

Imagem ilustrativa de tempestade solar (Piqsels)

O Ministério de Assuntos Internos e Comunicações do Japão (MIC) informou na terça-feira (26) que anunciará um esboço em breve em relação às tempestades solares

Publicidade

São explosões anormais na superfície do sol que geram partículas de alta energia e grandes quantidades de radiação que são prejudiciais ao corpo humano. Quando atingem a Terra, podem causar falhas de comunicação e quedas de energia em grande escala.

Danos causados ​​por explosões solares já ocorreram. A SpaceX, empresa norte-americana de exploração espacial, lançou 49 satélites em fevereiro, mas 40 deles caíram na atmosfera e desapareceram. Em 2017, o rádio de um avião comercial francês foi interrompido por cerca de 90 minutos. Em 2003, uma queda de energia em larga escala ocorreu na Suécia devido a danos à rede elétrica, afetando cerca de 50 mil pessoas.

Contramedidas aos desastres 

Desta vez, a estimativa de danos causados ​​por uma tempestade solar em grande escala foi calculada com base na suposição de que ocorre uma vez a cada 100 anos. Falhas de telefones celulares, comunicação por rádio e TVs poderão ocorrer intermitentemente por várias horas durante o dia e por duas semanas em algumas áreas do país.

O Sistema de Posicionamento Global (GPS) também sofre deterioração intermitente e interrupção da precisão do posicionamento durante um período de duas semanas. Há um erro de até várias dezenas de metros nas informações de posição de veículos autônomos e drones (pequenos veículos aéreos não tripulados).

Também destacou que muitos satélites perderão a função do sistema. A precisão das previsões meteorológicas cairá e as comunicações por satélite não estarão disponíveis. Aeronaves e navios que usam comunicação e GPS continuarão suspendendo a operação e reduzindo voos por duas semanas.

A infraestrutura de energia elétrica pode sofrer interrupções generalizadas devido ao mau funcionamento dos equipamentos. Acrescentou que os transformadores podem ser danificados e a fonte de alimentação pode ser interrompida.

Prejuízos de centenas de bilhões de ienes

O Instituto Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicações do Japão (NICT) é responsável pela observação e previsão das explosões solares. Em 2022, planeja estabelecer um novo Centro de Operações como uma organização especializada em emissão de alertas e sistema de previsão.

O impacto na infraestrutura social e na vida cotidiana é grande. De acordo com estimativas do Lloyds do Reino Unido, que opera o maior mercado de seguros do mundo, o valor total dos danos causados ​​pelas explosões solares é de 65 bilhões de dólares (cerca de 8 trilhões de ienes) em todo o mundo. Tóquio, onde a população está concentrada, é a maior entre as grandes cidades, com 2,4 bilhões de dólares (cerca de 300 bilhões de ienes).

O MIC afirmou que é necessário posicionar os danos causados ​​por erupções solares da mesma forma que terremotos e tsunamis sob a Lei Básica de Contramedidas de Desastres ao estimar os danos. Quer acrescentar as medidas contra os danos causados ​​pelas tempestades solares por meio de planos de continuidade de negócios formulados por empresas e governos locais.

Fontes: Asahi e Nikkei 

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Rússia adverte Japão por exercícios militares com os EUA

Publicado em 27 de abril de 2022, em Notícias do Mundo

‘Vemos tais ações pelo lado japonês como uma ameaça à segurança de nosso país’, teria dito o ministro de Relações Exteriores russo.

Ilustrativa (Wikimédia Commons)

Moscou advertiu Tóquio que uma expansão de exercícios navais conjuntos entre EUA e Japão perto do território russo a forçaria a tomar “medidas retaliatórias”, disse o ministro de Relações Exteriores russo Igor Morgulov na terça-feira (26).

Publicidade

Morgulov disse à agência de notícias russa RIA Novosti que a intensidade aumentada de exercício navais conjuntos com os EUA na área levou “a um aumento nas tensões”.

“Vemos tais ações pelo lado japonês como uma ameaça à segurança de nosso país”, teria dito ele.

“Alertamos Tóquio diretamente sobre isso através de canais diplomáticos. Eles deveriam estar preparados para o fato de que se tais práticas expandirem, a Rússia tomará medidas retaliatórias nos interesses de fortalecer suas capacidades de defesa”, acrescentou ele.

De 8 a 17 de abril, os destróieres da Força Marítima de Autodefesa Kongo e Inazuma se juntaram ao Grupo de Ataque do Porta-Aviões USS Abraham Lincoln para exercícios militares conjuntos no Mar do Japão, Mar do Leste da China e Mar Filipino.

Morgulov disse que enquanto exercícios militares em questão tenham sido integrados por outras nações, incluindo membros OTAN, e são geralmente descritos como defensivos, eles “são potencialmente ofensivos em natureza”.

Os exercícios ocorreram quando o Japão protestou contra o anúncio de 14 de abril de Moscou que havia testado avançados mísseis de cruzeiro Kalibr de dois submarinos russos no Mar do Japão, o mais recente em uma série de exercícios militares de alto perfil na região pela Rússia desde a invasão à Ucrânia no fim de fevereiro.

De acordo com o Ministério da Defesa japonês, as forças militares russas usaram exercícios no Mar do Japão, Mar de Okhotsk e perto de ilhas disputadas para destacar seu armamento avançado e habilidade de operar em cenários europeu e asiático simultaneamente em meio à guerra na Ucrânia.

As relações entre Moscou e Tóquio afundaram para novas baixas em meio à guerra na Ucrânia.

Fonte: Japan Times

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - faça remessas com segurança!
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!