Gifu: produto que acaba com as baratas continua famoso por 40 anos

O pesquisador e criador faleceu logo depois de começar a fabricar, mas o seu sócio deu continuidade e contribuiu para acabar com esse indesejado inseto em casa.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Barata morta (Wikimedia) e o produto (Gifu Shimbun)

Um dos problemas que a população enfrenta no verão é a visita das baratas, na cozinha ou no banheiro. Mesmo mantendo a higiene, esse inseto onívoro, entra por várias vias, até pela mangueira do ar-condicionado

Publicidade

Tem uma cidade em Gifu que se livrou delas na década de 80, graças aos bolinhos anti-barata, desenvolvidos há cerca de 40 anos, os quais continuam fazendo sucesso em todo o país, mas poucos sabem que são originários de Ikeda-cho.

Nessa ocasião, foi realizada uma campanha para expulsá-las da cidade usando esse inseticida em formato de bolinho e foram exterminadas. Rapidamente tornou-se popular.

Pesquisador descobriu a fórmula

O pesquisador e desenvolvedor do produto foi Shigeo Tanisake (谷酒茂雄, 1919 – 1988), porque sofria com as baratas dentro de sua casa e queria dar um jeito nessa situação.

Ele sabia que o ácido bórico causa desidratação nesse inseto e é eficaz em exterminá-lo, mas como resultado de pesquisas de cerca de 7 anos, descobriu que é facilmente atraído pelo cheiro da cebola. Então, desenvolveu um bolinho, usando farinha e esses ingredientes. 

As baratas comem o bolinho atraídas pelo cheiro e morrem por desidratação.

Embalou esses bolinhos em um invólucro plástico para que o consumidor não ter contato direto com os dedos, colocou-os em uma caixa de papel, colocou o nome comercial de ゴキブリキャップ (lê-se gokiburi kyappu) e começou a vender pela empresa Tanisake. 

Eficiência do extermínio das baratas da cidade 

Na ocasião, o atual conselheiro da Tanisake, Hiroshi Matsuoka, 78, era dono de um supermercado, e ele também esquentava a cabeça com as baratas no seu estabelecimento. Soube desse produto e começou a usá-lo. Ficou espantado com o resultado e foi o que colocou toda a energia para a difusão dele.

Atual presidente Shimizu e um dos fundadores, Matsuoka (Gifu Shimbun)

De acordo com o livro As baratas desapareceram de Ikeda-cho (池田町からゴキブリが消えた), lançado em 1988, há registros do extermínio desse inseto na cidade, de uma forma extraordinária.

Por causa disso, a imprensa de todo o país quis saber desse produto inseticida e Matsuoka foi convidado para rodar o país para ensinar a prepará-lo. No entanto, com o resultado muito bom, as pessoas que aprenderam começaram a pedir o produto pronto. Assim, tiveram que montar um laboratório com fábrica para atender os consumidores, em 1985

Continua sendo muito vendido em todo país

Através do boca-a-boca foi se espalhando sem que a empresa precisasse investir em publicidade. Taiwan foi um dos grandes compradores e nesses 40 anos a empresa já vendeu mais de 650 milhões de unidades (caixas) do inseticida, pois o hábito de usá-lo foi passado para outra geração.

Se quiser experimentá-lo, pode comprar uma caixa através das lojas online como Amazon e Rakuten (toque sobre um dos nomes para abrir o link). Basta retirar os invólucros e deixá-los nos locais da casa onde as baratas possam aparecer. Em cerca de 2 semanas desaparecerão.

Fonte: Gifu Shimbun 

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Ato de vandalismo? Escola em Aichi teve danos nas janelas e piscina

Publicado em 6 de julho de 2022, em Sociedade

A escola teve que denunciar a ocorrência dos danos nas vidraças e piscina. A investigação já começou.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Vidro de uma das janelas (Nagoya TV)

Por volta das 6h30 de terça-feira (5), ao chegar na escola, um professor descobriu que duas vidraças na entrada do prédio estavam quebradas na Escola Primária Obayashi, na cidade de Toyota (Aichi).

Publicidade

Depois disso, quando os funcionários foram fazer a verificação em toda a escola, descobriu-se que 13 janelas com os vidros quebrados, incluindo a sala de reunião e as classes.

Também foram constatados cones de trânsito e guarda-chuvas jogados na piscina, a qual fica no terreno da escola.

Por questões de segurança, a escola informou que suspendeu temporariamente as aulas na piscina para reposição da água.

Só de água para a piscina a escola irá gastar 600 mil ienes a mais. Os prejuízos causados pelos danos vão além, pois teve que pedir para fazer a reposição dos vidros das janelas, cuja reparação foi feita até o final do dia.  

O caso foi denunciado à polícia e foi aberta investigação na escola.

Guarda-chuva e cones jogados na piscina (CBC TV)

Fontes: Nagoya TV e CBC TV

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência