Dentes de ouro foram arrancados da boca de ucranianos vivos e mortos, afirma Kiev

A descoberta foi relatada à Comissão de Crimes de Guerra para investigação.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Ilustrativa (banco de imagens)

Dentes de ouro arrancados das bocas de vítimas ucranianas foram descobertos em território recapturado da Rússia por tropas de Kiev, de acordo com funcionários do governo ucraniano.

Publicidade

Uma caixa de plástico com mais de 200 coroas dentárias de ouro e dentaduras foi descoberta por combatentes no vilarejo de Pisky-Rad’kivs’ki no norte da Ucrânia, ao leste da cidade de Izyum, levando autoridades a acreditarem que elas haviam descoberto o local de uma câmara de tortura russa.

O Ministério da Defesa da Ucrânia tuitou sobre a descoberta chocante, afirmando que a caixa foi encontrada junto com instrumentos de tortura.

A contraofensiva de sucesso da Ucrânia nas regiões sul e nordeste do país fez com que faixas de território que anteriormente estavam sob controle das forças russas fossem retomadas.

Quando tropas ucranianas recuperaram controle de várias regiões, uma série de descobertas chocantes, notavelmente os corpos de civis torturados alinhados nas ruas de Bucha e enterrados em valas comuns em Izyum, começaram a surgir.

Os dentes de ouro abandonados por tropas russas que recuaram são a mais recente descoberta a levar a uma investigação sobre potenciais crimes de guerra cometidos pelas tropas do presidente Vladimir Putin.

Residentes confirmaram que durante a ocupação, forças russas estavam roubando “tudo”, incluindo dentes de ouro, “dos vivos e mortos”, de acordo com a Associação de Consultores Políticos da Ucrânia, que fez alegações anteriores de crimes de guerra contra a Rússia e sua liderança.

O Dr. Denis Bohush, presidente da associação, disse que a descoberta dos dentes de ouro foi reportada à Comissão de Crimes de Guerra para investigação.

Fonte: The Independent

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Conselho de Segurança da ONU não consegue emitir resposta única para sancionar Coreia do Norte

Publicado em 6 de outubro de 2022, em Notícias do Mundo

Embora a maioria dos países do Conselho de Segurança da ONU tenham condenado o lançamento de míssil, a China e a Rússia defenderam a Coreia do Norte.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Bandeiras da China e da Rússia (Flickr)

O Conselho de Segurança da ONU se reuniu, na quarta-feira 5), para discussão sobre a não-proliferação de armas nucleares na República Popular Democrática da Coreia ou Coreia do Norte, após o lançamento de um míssil balístico sobre o Japão, que caiu no Oceano Pacífico, na manhã de terça-feira (4).

Publicidade

Isso fez com que o governo japonês emitisse um alerta para a população se proteger. 

O secretário-geral assistente das Nações Unidas, Khaled Khiari, condenou veementemente o ato como uma clara violação das resoluções relevantes do Conselho de Segurança sobre o tema.

O conselho é composto por 15 países, sendo que a Rússia e a China defenderam a Coreia do Norte e se opuseram fortemente, por isso, não foi possível emitir uma resposta única de sanção a esse lançamento.  

Após a reunião, 11 países, incluindo Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Japão e Coreia do Sul, divulgaram uma declaração conjunta condenando a Coreia do Norte.

O chefe da ONU apelou ao país que tome medidas para retomar o diálogo que conduza à desnuclearização completa e comprovada. Ele também pediu que a Coreia do Norte pare imediatamente quaisquer “outros atos desestabilizadores” e cumpra integralmente suas obrigações internacionais de acordo com as resoluções relevantes do Conselho de Segurança.

Em maio, o Conselho de Segurança votou uma resolução para fortalecer as sanções contra a Coreia do Norte, mas China e Rússia exerceram seu poder de veto e a resolução foi descartada. 

Secretário-geral assistente das Nações Unidas, Khaled Khiari, condenou o ato da Coreia do Norte (UN)

A última resolução de sanções do Conselho de Segurança da ONU contra a Coreia do Norte foi adotada em 2017. Desde então, o Conselho de Segurança está paralisado devido à oposição da China e da Rússia, e a Coreia do Norte lançou dois mísseis balísticos na manhã de quinta-feira (6) e final da reunião.

O silêncio não é uma opção

A situação atual é que a Coreia do Norte lançou mísseis repetidamente como se ignorasse o Conselho de Segurança.

O embaixador do Japão nas Nações Unidas, Kimihiro Ishikane, que participou como país participante, disse: “Devemos ter em mente que o Conselho de Segurança está sendo testado e sua credibilidade está em jogo. O silêncio não é uma opção“.

“Se não pudermos expressar nossas intenções de maneira unificada, isso incentivará ainda mais o desenvolvimento nuclear e de mísseis”, lamentou Ishikane.

A China e a Rússia pedem a flexibilização das sanções contra a Coreia do Norte, mas o lançamento de um míssil balístico sobre o Japão foi o primeiro desde 2017. Os Estados Unidos, Europa, Japão e Coreia do Sul estão criticando cada vez mais a China e a Rússia por continuarem defendendo a Coreia do Norte.

Fontes: Mainichi e UN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância