Professores da rede pública punidos chegam a 215 no Japão

Entre as ações censuráveis e outras criminosas cometidas por esses professores se destacam o assédio sexual e atos obscenos, cuja maioria das vítimas são de dentro das escolas.

Imagem ilustrativa de professor escrevendo no quadro negro (Wikimedia)

O Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia do Japão (MEXT) informou na segunda-feira (26) que um total de 215 professores da rede pública, do primário, ginásio e colegial, foram punidos por diversas ações criminosas e censuráveis, entre elas, atos obscenos e assédio sexual, no ano letivo de 2021.

Publicidade

Segundo o MEXT houve um aumento de 14 em relação ao ano letivo anterior, mas inferior comparando com o recorde de 2018, quando foram 282 professores.

Gráfico: Mainichi

Foram investigados os casos nas escolas de 20 cidades das 47 províncias, em relação aos crimes sexuais, como violência e assédio. Dos 140 punidos por esses crimes, constatou-se que em 93 casos as vítimas foram crianças. Os que cometeram assédio sexual foram 75 professores.

Foram constatados outros casos como tocar o corpo dos alunos e colegas, voyeurismo, relações sexuais com alunos, beijos e outros.

Os prejudicados foram crianças e alunos da própria escola (93 casos) e pessoal docente da instituição (40 casos), representando 60% do total. Dos professores punidos, 213 são do sexo masculino, ou 99%.  

As punições aplicadas foram:

  • 118 demitidos
  • 50 suspensos
  • 21 tiveram seus salários reduzidos
  • 26 receberam reprimendas 

Por faixa etária, 44 professores têm idade na casa dos 20 anos, 69 na casa dos 30 anos, 42 na faixa dos 40 anos e 60 na casa dos 50 anos ou mais.

Esse tipo de punição, chamada de disposição, é reconhecida legalmente por afetar diretamente os direitos e obrigações do funcionário público ou do povo, sendo que nesse caso, se aplica aos professores que transgrediram a lei.

Dependendo do caso, se for criminal, além de responder na Justiça, é o fim da carreira pública do professor. 

Fonte: Mainichi

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Tradição do dinheiro para as crianças: ‘otoshidama’

Publicado em 27 de dezembro de 2022, em Tradições do Japão

Conheça mais essa tradição de Ano Novo do Japão, saiba como se proceder e sobre a quantia em dinheiro.

Envelope próprio para oferecer um ‘otoshidama’ de ¥10 mil (PM)

Com a ocidentalização as famílias costumam trocar presentes no Natal mas não deixam de preservar a antiga tradição do otoshidama (お年玉). 

Publicidade

A história mostra que na antiguidade o chefe da família dividia o omochi, aquele bolinho de arroz, entre os familiares, em pedaços para cada um, no Ano Novo. Com o tempo isso foi mudando para moedas – no sentido de dinheiro.

Hoje em dia a tradição continua. É oferecido dinheiro em espécie dentro dos envelopes (pochibukuro) com a escrita お年玉 (otoshidama). Não são compreendidos como presente, mas para seu uso pessoal ou para poupança. O importante é a intenção, pois todas as crianças ficam muito agradecidas pelo gesto.

Se tem filhos ou sobrinhos frequentando a escola japonesa certamente ficarão contentes em receber o envelope otoshidama

Para cada faixa etária e laços familiares os valores são diferentes. Nesta matéria serão informados os valores médios da sociedade considerando que são crianças, filhos, sobrinhos ou netos, da família. E quando se diz crianças, incluem-se até os estudantes universitários. 

Pode escolher envelopes decorativos como esses da Sanrio (PM)

Antes de mais nada a recomendação é ir a uma papelaria ou até mesmo na loja de ¥100 para comprar os envelopes. Outra dica é passar no banco e trocar as cédulas já usadas pelas novas. 

Otoshidama para os filhos, sobrinhos e netos

  • De 0 a 2 anos: tem famílias que costumam entregar ¥1.000 mas o comum é uma moeda de ¥500. Convém guardar – muitas vezes na poupança – porque nessa tenra idade pode até nem entender
  • De 3 a 6 anos: o comum é uma cédula de ¥1.000 mas há quem dê até ¥3.000 
  • Do primeiro ao terceiro ano primário: em geral costuma-se colocar ¥3.000
  • Do quarto ao sexto ano primário: ¥3.000 ou ¥5.000, mas jamais ¥4.000 porque não é um bom número no Japão
  • Ginasial: pelo menos ¥5.000
  • Colegial: em geral, ¥10.000
  • Universitário: ¥10.000 ou mais

Otoshidama para filhos de conhecidos

Em geral os valores não mudam muito dos filhos dos parentes. Mas hoje em dia não se costuma oferecer aos universitários.

Verso dos envelopes com nomes de quem entrega e quem recebe (PM)

Etiqueta da entrega

O envelope tem frente e verso. Em geral, na frente se escreve o nome de quem vai receber e no verso o nome de quem oferece, sempre em kanji ou katakana e na vertical. Há envelopes que vêm com o espaço para o destinatário e remetente no verso como os da foto.

Outros modelos de envelopes para otoshidama (PM)

Como não se sabe se receberá visitas no Ano Novo a recomendação é deixar comprado os envelopes extras e, claro, dinheiro na carteira.

Outro detalhe importante é que mesmo sendo uma cédula nova, se não dobrá-la não caberá no invólucro. A etiqueta recomenda colocar a cédula na sua frente, com o lado direito voltado para cima e dobrar, da esquerda para a direita.  

Na era digital

No momento atual pode-se entregar, no lugar das cédulas, cartões como Quo Card ou do iTunes, Amazon e outros. Desde que não tenha o número 4 na soma, como por exemplo 4 mil, 9 mil ou 14 mil ienes, pois trazem mau agouro.

Leia também outras matérias sobre as tradições do Japão tocando aqui.

Feliz Ano Novo!

Fontes: Quo Card e O-Uccino

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros