7 atitudes para evitar hipertermia neste período de coronavírus

É preciso redobrar os cuidados com a hipertermia e desidratação na época do período de coronavírus, seja usando máscara ou passando mais tempo dentro de casa.

Tomando água e com máscara, duas situações neste período (Pexels)

Com o calor um dos cuidados com o corpo é o risco de hipertermia e pode ser silenciosa. Um dos motivos de não senti-la é por estar dentro de casa nesse período de isolamento social. Assim, há grande risco de desidratação. 

Publicidade

Outro fator que colabora negativamente é o uso da máscara. Com ela no rosto é mais fácil para o corpo reter o calor. E o agravante é que com o aumento da umidade na máscara a pessoa sente dificuldade em sentir sede.

Por que se prevenir

No ano passado, sem isolamento social, foram socorridas mais de 70 mil pessoas no período entre maio a setembro, com hipertermia.

Mas este ano os hospitais estão passando por um momento delicado. “As instituições médicas estão sob pressão por causa do novo coronavírus. Se mais pacientes com insolação ou hipertermia chegarem, elas entrarão em colapso. Portanto, é preciso evitar firmemente a hipertermia fazendo autoprevenção“, explicou o médico Hideki Taniguchi.

Além disso, é preciso pensar que as pessoas correm risco de contágio se forem encaminhadas para um hospital. 

7 formas fáceis para se prevenir 

Pesos para exercício físico e copo de água (PxFuel e Piqsels)

O médico explica como se prevenir de modo a passar bem nesse período de cuidados para evitar o contágio e passar de forma saudável, zelando o corpo com alimentação nutritiva, exercícios físicos e sono. 

Veja os 7 pontos a cuidar.

  1. Se alimentar bem: fazer as 3 refeições do dia, bem nutritivas
  2. Hidratação: importantíssima neste período, nem é preciso tomar grande quantidade de água de uma vez só. Basta tomar pouco mais da metade de um copo a cada hora, pelo menos
  3. Solução para reidratação oral: esse tipo de bebida é vendida nas farmácias e supermercados (経口補水液, lê-se keikohosuieki). Sem exagero, pode tomar uma garrafinha quando se sentir levemente desidratado
  4. Sono de qualidade: dormir bem, de forma que acorde descansado. Ter uma rotina para dormir e acordar todos os dias no mesmo horário
  5. Ar-condicionado: procurar ficar em local refrescante
  6. Transpiração: esse processo é importante para o corpo. Mesmo no isolamento social é preciso movimentar o corpo e suar. Isso pode ser feito dentro de casa com exercícios físicos leves ou caminhada evitando locais com muita gente. É preciso criar esse hábito, o de fazer o corpo transpirar
  7. Ventilação: ambiente bem ventilado é importante. Se está usando ar-condicionado verifique com o fabricante como pode usar bem o modo de ventilação. Mas, o ideal é criar um caminho para o vento passar pela casa, abrindo uma porta e a janela do lado oposto ou duas janelas. Cuidar também para não deixar o ambiente com muita umidade 

Com a gestão desses 7 cuidados passará bem os dias de calor mesmo no período de disseminação do coronavírus.

Exemplos das bebidas para reidratação oral (Rakuten)

Fonte: Nagoya TV

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Salvação da Toyota pode ser fenômeno na China

Publicado em 13 de maio de 2020, em Ásia

A China voltou à vida normal, depois de apresentar queda de novos casos em meio à pandemia do coronavírus. Por lá acontece um fenômeno favorável para Toyota.

Toyota em Pequim (Tokai TV)

A equipe de reportagem da Tokai TV, de Nagoia (Aichi), esteve na China, onde começou a pandemia do novo coronavírus. Na reportagem de terça-feira (12) mostrou imagens que podem favorecer a montadora japonesa Toyota. 

Publicidade

O Pequim Motor Show que costuma ser realizado bienalmente em abril foi transferido para o outono por causa da pandemia. Mas foi liberado para ser visitado virtualmente e o número de acessos ultrapassou a casa dos 90 milhões. As pessoas podem ver os veículos desejados em 360 graus, abrir as portas e verificar detalhes do interior, ver as cores e todas as informações. 

Esse número de visitantes tem uma explicação, segundo a reportagem. 

Em relação ao ano anterior houve uma queda brusca de 80% nas vendas de veículos novos em fevereiro, na China, reflexo da crise. No entanto, em abril as vendas voltaram ao normal. Ou melhor, tiveram aumento de 4,4% em comparação ao ano passado. No caso da Toyota o aumento ainda foi tímido, de 0,2% mas há uma tendência de crescimento. 

Em azul comportamento das vendas de veículos em geral, na China, e em vermelho dos carros da Toyota (Tokai TV)

Suas 4 plantas na China voltaram a todo vapor desde o final de março. E a expectativa é grande. 

Segundo observou a reportagem os ônibus e metrôs trafegam com pouquíssimos passageiros. Nas entrevistas descobriu o motivo. As pessoas relataram que o pós-coronavírus o comportamento mudou, entre eles, a forma de ir e vir do trabalho. Estão preferindo ir de carro para garantir segurança de higiene, ao invés de metrôs lotados. Preferem não ter contato com outros por causa do vírus e há muitas empresas que pedem para não usar o transporte público, com queda de mais de 50% dos passageiros.

Com isso, as vendas dos carros vêm subindo. A reportagem constatou concessionárias cheias de clientes mesmo durante o dia. “Alguns clientes que passaram pela experiência do coronavírus querem comprar um carro porque desejam reduzir o contato com as pessoas no transporte público. Estou bastante otimista”, disse um vendedor da concessionária.

O mercado chinês pode ser o salvador da crise que golpeou a Toyota, com a inesperada alta demanda por carros no chamado pós-corona.

Se Pequim já tinha congestionamento a tendência é de aumentar ainda mais (Tokai TV)

Fonte: Tokai TV 

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros