Especialista alerta para terremotos extremamente fortes

Especialista alerta sobre terremotos de longa duração que podem abalar a estrutura de prédios altos no Japão. Entenda o assunto.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Estragos do Grande Terremoto do Leste do Japão (Imagem: Kobe Shimbum via Yahoo)

“Abalos sísmicos de longos períodos” refere a tremores de longos ciclos que podem balançar ou derrubar prédios altos. Durante a ocorrência do Grande Terremoto do Leste do Japão há 6 anos, arranha-céus de Tóquio e Osaka continuaram tremendo por mais de 10 minutos, mesmo estando a centenas de quilômetros de distância do epicentro.

Publicidade

Nesse momento, não houve danos à estrutura dos prédios. Contudo, o professor Yuuki Sakai da Universidade de Tsukuba alerta para a incidência desses terremotos de longa duração. Segundo o professor, durante os últimos 21 anos, foi constatada a incidência de 6 desses terremotos em 21 dos 512 sismógrafos em todo o país.

A análise do professor inclui o terremoto de fossa oceânica da Baía de Takachi, que ocorreu em 2002, o Sismo de Chuetsu de 2004, que atingiu Niigata, e o Terremoto de Kumamoto do ano passado.

Segundo Sakai, caso um “abalo sísmico de longa duração” atinja um arranha-céu de 120m de altura construído com pilastras de ferro, há a possibilidade de danos gravíssimos na estrutura e nas pilastras de apoio.

“Tivemos sorte que os locais atingidos por abalos sísmicos de longa duração extremamente fortes não sofreram danos graves porque não possuíam arranha-céus.”, disse o professor. Sakai enfatiza a necessidade do estudo de novas medidas preventivas que levem em consideração o risco desses terremotos.

Fonte: NHK News

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Mais de 26 mil crianças à espera de vaga na creche no Japão

Publicado em 4 de setembro de 2017, em Sociedade

Apesar do governo ter aumentado 110 mil vagas no ano passado, a espera por vagas em creches aumentou pelo terceiro ano consecutivo.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Falta vaga nas creches do Japão (imagem ilustrativa)

Pelo terceiro ano consecutivo o número de crianças à espera de uma vaga na creche aumentou. É de 26.081 no total, em levantamento fechado em abril deste ano. O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar informou nesta sexta-feira (1.º) que houve aumento de 2.528 mães esperando por uma vaga na creche, para seus filhos, em relação ao ano anterior.

Publicidade

As maiores filas de espera são em Setagaya-ku, na capital japonesa, seguida por Okayama (província homônima) e Meguro-ku, igualmente em Tóquio.

Sob o ponto de vista da idade, 70% da espera é de crianças de 1 e 2 anos.

Creche: aumento de vagas não atende à demanda

No ano passado o governo aumentou 113 mil vagas, em creches e jardins de infância autorizados e certificados. Porém, houve muito mais candidaturas do que as ofertas. As instituições não conseguem atender à grande demanda. Neste ano o total de vagas oferecidas foi de 2,836 milhões.

A capital – Tóquio – tem quase 9 mil crianças na espera. Depois vem Okinawa com 2.247, Chiba com 1.787, Hyogo com 1.572 e Fukuoka com 1.297.

Por outro lado, há províncias com zero de espera: Aomori, Toyama, Ishikawa, Fukui, Yamanashi, Nagano e Tottori.

Fontes: JNN e Sankei News
Foto: Kaze to Hikari

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância