Voo do Japão para o Brasil em apenas 3 horas?

Com o novo modelo de hipersônico da companhia Boeing, com salto de cerca de 800 Km/h para mais de 6.000 Km/h, seria possível.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Hipersônico em desenvolvimento pela Boeing (DARPA)

A companhia Boeing é uma das maiores fabricantes de aviões do mundo. Dentre tantos lançamentos, soube-se que ela lançará uma aeronave hipersônica.

Publicidade

Se tudo ocorrer de acordo com o cronograma, até 2019 serão concluídos ensaios estáticos de motores e, em 2020, serão iniciados testes de voo. Supõe-se que seja a primeira aeronave a atingir a velocidade média de 6.125km/h a 12.250km/h.

Assim, um voo do Japão para o Brasil poderia ser realizado em apenas três horas.

Entretanto, a proposta não é para voos comerciais. A perspectiva é da Agência de Desenvolvimentos Militares (DARPA) – agência do Departamento de Defesa dos Estados Unidos –  que assinou um contrato com a Boeing para um protótipo de avião espacial, Phantom Express, no programa XS-1, que pode colocar em órbita cargas de até 1.361kg.

Phantom Express é uma classe de hipersônico que usa combustível criogênio. Ele decolará como um foguete, atingirá camadas acima da atmosfera e lançará um foguete e um satélite descartáveis no segundo estágio. Depois voltará como um avião na pista de aterrissagem.

Contudo, a JAL-Japan Airlines fechou uma parceria com a Boom, para a construção do supersônico comercial que fará 2.335Km/h. Saiba mais tocando aqui.

Fontes: Daiky Mail e 24-My Info
Foto: DARPA

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Vendas de cigarro comum em queda

Publicado em 22 de janeiro de 2018, em Economia

Em relação a 1985 a queda é brusca e pela primeira vez vendeu abaixo de 100 bilhões de unidades de cigarro convencional.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Cigarro comum vem perdendo espaço entre os fumantes (Wikimedia/My Navi)

Pela primeira vez desde que foi privatizada, em 1985, a JT-Japan Tobacco registrou vendas abaixo de 100 bilhões de unidades de cigarro no ano, anunciou na sexta-feira (19).

Publicidade

Segundo a fabricante que detém 60% da fatia do mercado, as vendas de 2017 foram de 92,9 bilhões de unidades. Convertidas em maços foram 4,645 bilhões.

Representam declínio de 12,5% em relação a 2016. E o pior, queda brusca em relação a 1985 quando as vendas atingiram o pico de 303,2 bilhões de unidades ou 15,2 bilhões de maços.

Cigarro eletrônico cresce

A queda nas vendas pode ter dois motivos. O primeiro é a consciência dos usuários em relação à saúde, deixando o vício do fumo. O segundo é o crescente aumento dos usuários de cigarro aquecido ou eletrônico, como Ploom, iQos, Vape e Glo. A JT analisa o mercado e acredita que atualmente 18% da fatia dos fumantes consome a nova versão, menos poluente.

A própria JT tem sua marca de cigarro eletrônico, a Ploom Tech. A tendência indica declínio nas vendas do comum.

O governo já anunciou que mesmo os eletrônicos ou aquecidos serão alvo de aumento de imposto. Isso provocará mais rigidez no mercado e a JT se prepara para conter a queda nas vendas através da criação de novos produtos.

Fontes: Mainichi, Yomiuri e JNN
Fotos: Wikimedia e MyNavi

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância