Influenza teve epidemia histórica: mais de 20 milhões de pacientes

A última temporada da epidemia de influenza no Japão teve registro histórico de pacientes ultrapassando 20 milhões.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Janeiro, em Ginza, Tóquio, durante o pico da epidemia de influenza as pessoas usam máscara (Sankei)

Na temporada de epidemia da influenza – setembro a abril – foram registrados 22,3 milhões de pacientes, divulgou o NIID-Instituto Nacional de Doenças Infecciosas na quarta-feira (25).

Publicidade

Nos últimos 10 anos, a temporada anterior encerrou com 16,72 milhões de pacientes.

Na temporada 2009-2010 houve um pico de pacientes por conta do novo tipo de vírus H1N1. Na época foram registrados 21 milhões de pessoas com influenza.

Nesta última temporada o que se observou é que a epidemia começou mais cedo, na segunda quinzena de novembro. Entre janeiro e fevereiro, o país teve 3 semanas críticas, com pico de pacientes.

A análise é de que ocorreu epidemia simultânea dos vírus dos tipos A e B, o que foi a principal causa para o aumento de pessoas infectadas.  

Segundo o representante do instituto, a epidemia não foi só no Japão. Ocorreu nos Estados Unidos, Europa e Ásia, por isso é preciso verificar as condições climáticas e ambientais.

Fonte e foto: Sankei

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Kobe Steel sob investigação da polícia por escândalo de falsificação de dados

Publicado em 26 de abril de 2018, em Sociedade

Falsificação de dados de décadas sobre alumínio e outros produtos desencadeou preocupação em todo o mundo.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Falsificação de dados de qualidade deixaram a Kobe Steel em maus lençóis (ANN/reprodução)

A polícia e a promotoria iniciaram uma investigação que envolve a Kobe Steel Ltd por causa de sua falsificação de dados de décadas sobre alumínio e outros produtos que desencadeou preocupação em todo o mundo, disseram fontes.

Publicidade

Investigadores junto ao Escritório de Promotoria Pública do Distrito de Tóquio e o Departamento de Polícia Metropolitana vão investigar juntas as possíveis violações da Lei de Prevenção de Competição Injusta, segundo fontes.

Funcionários da empresa serão questionados para determinar por que a longa história de falsificação de dados de qualidade teve permissão para continuar.

A Kobe Steel emitiu uma declaração em 25 de abril se negando a comentar, mas se comprometeu a cooperar com a investigação.

A ação ocorre em meio a várias medidas tomadas nos EUA e Europa para garantir a segurança dos produtos da Kobe Steel usados em automóveis e aeronaves.

Ações judiciais buscando indenização da Kobe Steel foram apresentadas a tribunais americanos e canadenses.

Produtos usados em vários setores

Em março, a Kobe Steel divulgou resultados de sua própria investigação, mostrando que dados de qualidade falsificados para alumínio e cobre tiveram início nos anos 1970 em 23 plantas no Japão e no exterior.

Os produtos foram usados em uma ampla variedade de campos, incluindo automóveis, trens-bala, trens e aeronaves.

Em apenas um ano desde 2016, os produtos da Kobe Steel foram vendidos a 688 empresas no Japão e no exterior.

Funcionários de alto perfil envolvidos na falsificação

A investigação interna descobriu que cerca de 40 funcionários de alto perfil da empresa, incluindo aqueles que se aposentaram, estavam envolvidos em instruir trabalhadores a falsificar dados para atender às condições estabelecidas em contratos assinados com os clientes da empresa.

Algumas plantas tinham terminologia específica para o ato de entregar produtos após resulatdos de testes serem falsificados.

E alguns produtos foram enviados com carimbos dos Padrões Industriais Japoneses mesmo sem a inspeção necessária ter sido realizada.

Penalidades

A Lei de Prevenção de Competição Injusta inclui penalidades criminais em casos onde falsa rotulagem ou outras medidas  são realizadas  para enganar clientes ao fornecer produtos ou serviços.

Indivíduos que forem considerados culpados podem enfrentar penas máximas de cinco anos de prisão ou uma multa de cinco milhões de ienes ($46 mil dólares). A multa máxima para uma empresa é de 300 milhões de ienes.

Fonte: Asahi
Imagem: ANN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância