Ciclone em Moçambique: número de mortos pode passar de mil

O ciclone tocou o solo em Beira na quinta-feira (14) com ventos de até 177Km/h, mas as equipes de resgate só conseguiram chegar ao local 3 dias depois.

O presidente Nyusi sobrevoou algumas das áreas mais atingidas na segunda-feira e disse que viu corpos flutuando nos rios (BBC)

O número de mortos em Moçambique, na África, em decorrência do ciclone Idai pode passar de mil, disse o presidente Filipe Nyusi.

Publicidade

Nyusi sobrevoou algumas das áreas mais atingidas na segunda-feira (18). Ele disse que viu corpos flutuando nos rios.

O ciclone tocou o solo perto da cidade portuária de Beira na quinta-feira (14) com ventos de até 177Km/h, mas as equipes de resgate só conseguiram chegar até lá no domingo (17).

Um membro da equipe de ajuda das Nações Unidas disse ao BBC que todos as casas em Beira – lar para 500 mil pessoas – haviam sido danificadas.

O número oficial de mortos em Moçambique situa-se a 84 após inundações e forte ventania. O ciclone deixou pelo menos 180 vítimas fatais em todo o sul da África.

A Sociedade da Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC) descreveu os danos como “massivos e horríveis”.

Pessoas tiveram que ser resgatadas do alto de árvores, disse Jamie LeSeur, chefe da equipe de avaliação da IFRC, ao BBC.

No Zimbábue, pelo menos 98 pessoas morreram e 217 pessoas estão desaparecidas no leste e no sul, disse o governo.

O Malawi também foi atingido. A inundação na área, causada pelas chuvas antes do ciclone tocar o solo, causou pelo menos 122 mortes, divulgou a Reliefweb.

O governo britânico disse que forneceria ajuda humanitária no valor de oito milhões de dólares a Moçambique e Malawi.

Fonte: BBC

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Governo quer incentivar crianças estrangeiras a frequentar escola

Publicado em 19 de março de 2019, em Sociedade

Através do ministério, as prefeituras das 47 províncias receberam notificação para promover a matrícula das crianças estrangeiras nas escolas.

Foto: Public Domain Picture

O Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia emitiu uma notificação na segunda-feira (18) para solicitar às prefeituras das 47 províncias que promovam a matrícula das crianças estrangeiras, a fim de compreender a situação delas.

Publicidade

Assumindo que o número de crianças estrangeiras aumentará como resultado da revisão da Lei de Imigração, a ser implementada a partir de abril, o governo quer promover melhoria no sistema de aceitação das crianças estrangeiras, de modo que não percam a oportunidade de frequentar a escola.

Em cooperação com os respectivos departamentos de imigração o governo pede aos pais das crianças que forneçam as informações quando da chegada ao país.

Embora a lei japonesa estabeleça a obrigatoriedade do ensino até o ginásio para todas crianças, as estrangeiras não precisam cumpri-la. Mas, o governo quer que as crianças estrangeiras tenham o mesmo direito. Para isso deseja que os respectivos conselhos de educação informem adequadamente sobre o ensino, matrícula e materiais aos pais.

Em função dessa notificação será a primeira vez que o país obterá um resultado do quadro da atual situação de escolarização das crianças estrangeiras.

Fontes: Mainichi e Livedoor

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - promoção Torcida BB!
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!