Diferença de 50ºC na temperatura do sul com norte do Japão

Hokkaido que estava com falta de neve, agora tem em abundância, e temperatura baixíssima, com -30ºC, com belíssimos fenômenos.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

À esq. fenômeno de pilar de luz e à dir. praia de Araha com sol (ATB e PM)

Se em Hokkaido a temperatura mais baixa de quinta-feira (6) chegou a -31,6ºC em Asahikawa, uma ilha do extremo sul do arquipélago, Hateruma (Okinawa), teve máxima de 22ºC, portanto, mais de 50 graus centígrados de diferença.

Publicidade

O inverno finalmente chegou com o pior frio da temporada, em quase todo arquipélago, exceto nas Ilhas Amami e Okinawa. 

Se em Naha a temperatura chegou a 19ºC em Ishigaki, um dos destinos mais procurados o sol brilhou e a máxima foi de 22ºC. 

Foram observadas temperaturas mínimas inferior a 0 grau em 676 pontos, o que representa mais de 70% do total do arquipélago. Em Sapporo (Hokkaido) o acúmulo de neve foi 41 centímentros. Em Biei (Hokkaido) foi observado o fenômeno pilar de luz. Em outras cidades o outro muito apreciado o pó de diamante. Esses só se formam quando a temperatura fica bem baixa.

Em Nagoia (Aichi) foi a manhã mais fria desta temporada, com 0,7ºC, enquanto em Kumano (Mie) o registro foi de 1,3ºC e em Hida (Gifu), -5,9ºC.

Não foi diferente em Kansai e em outras regiões, cujas paisagens ficaram brancas. 

Além da epidemia de influenza é preciso tomar cuidado com o novo coronavírus, por isso, é muito importante cuidar da alimentação e sono. 

Veja os fenômenos em Hokkaido.

Fontes: Tenki, HTB e Tokai TV

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Impactos do novo coronavírus: gasolina mais barata e falta de antissépticos

Publicado em 6 de fevereiro de 2020, em Sociedade

Não são só as máscaras que estão em falta por causa do novo coronavírus. O impacto é muito maior do que se imagina.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Combustível mais em conta e falta de antissépticos (ANN)

Embora os fabricantes estivessem com a produção preparada para atender à grande demanda de produtos como máscaras, álcool desinfetante e etanol para as clínicas e hospitais, por causa da epidemia da influenza, não esperavam pelo alastramento do novo coronavírus.

Publicidade

As primeiras a desaparecer das prateleiras das farmácias e supermercados foram as máscaras. Nesta semana começou a faltar antissépticos nessas prateleiras. 

Não só a população é afetada como também clínicas e hospitais. Os fabricantes estão informando que para atender novos pedidos vão levar mais de 3 semanas, enquanto há instituições médicas com estoque baixíssimo nos respectivos almoxarifados. 

Por outro lado, de acordo com a Agência de Recursos Naturais e Energia, o preço médio nacional da gasolina comum em 3 deste mês caiu pela segunda semana consecutiva para 151,20 ienes por litro. 

Os preços do petróleo bruto caíram pela preocupação de estagnação da economia global devido à disseminação da nova infecção pelo coronavírus.  

Indústrias automobilísticas afetadas

As montadoras japonesas com fábricas na China continuam temporariamente fechadas, como Toyota, Nissan e outras. A Mazda afirmou que “efeitos prolongados prejudicarão a produção”. Se as operações continuarem suspensas o fornecimento de peças poderá atrasar e isso resultará em impacto negativo na produção doméstica.

A Hyundai Motor decidiu suspender as operações em suas fábricas da Coreia do Sul porque não consegue adquirir os componentes fabricados na China. Prevê-se que os prejuízos cheguem a 65 bilhões de ienes. 

Não se pode descartar que o mesmo aconteça com as indústrias automotivas japonesas.

A cadeia de restaurantes japonesa, Watami, decidiu se retirar completamente da China nesta primavera. As vendas na China caíram 90% em comparação com o mesmo período do ano passado. Embora esteja com as portas abertas não há clientes que vão a restaurantes pois as cidades estão praticamente paralisadas. 

Fonte: ANN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância