Asteroide de 1Km passará ‘perto’ da Terra na próxima semana

Não há risco de colisão com o planeta, segundo a NASA.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Ilustrativa (banco de imagens)

Um asteroide com estimativa de 1Km de diâmetro passará perto da Terra em 18 de janeiro.

Publicidade

Ele passará dentro de 1.93 milhão de quilômetros, movendo-se a uma velocidade de 76.192Km/h, de acordo com o Centro Para Estudos de Objetos Próximos da Terra, que rastreia cometas e asteroides potencialmente perigosos que poderiam colidir com o nosso planeta.

Ninguém espera que ele atinja a Terra, mas é o mais perto que o asteroide virá pelos próximos dois séculos, de acordo com projeções da NASA.

Enquanto seja improvável que o 7482 possa ser visível a olho nu, astrônomos amadores com pequenos telescópios poderão avistá-lo, de acordo com o site EarthSky.com.

Objetos próximos da Terra – NEOs são asteroides e cometas com órbitas que os colocam dentro de 48 milhões de quilômetros do nosso planeta.

Detectar a ameaça dos NEOs, que poderiam potencialmente causar graves danos, é o foco primário da NASA e de outras organizações espaciais em todo o mundo.

Fonte: CNN

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Governo japonês admite que o aumento da infecção pode ter sido pelas bases americanas

Publicado em 12 de janeiro de 2022, em Sociedade

Pela primeira vez o governo japonês admitiu que as Forças dos EUA contribuíram para aumentar o quadro da infecção no país.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Um dos portões do Camp Hansen, em Okinawa (NHK)

O secretário-chefe do gabinete, Hirokazu Matsuno, foi questionado pelos jornalistas na terça-feira (11) se a causa da propagação infecção pelo coronavírus no Japão pode ter sido pelas bases americanas no Japão. Pela primeira vez admitiu que há essa possibilidade.

Publicidade

Até o final da tarde de segunda-feira (10) havia confirmação de 3.638 casos nas Forças dos EUA, sendo que 2.302 – ou 63% – foram em Okinawa.

Em outras bases foram:

  • 518 em Iwakuni (Yamaguchi)
  • 245 em Yokosuka (Kanagawa)
  • 183 em Misawa (Aomori)
  • 109 em Atsugi (Kanagawa)
  • 93 em Yokota (Tóquio)
  • 86 em Sasebo (Nagasaki)

Matsuno explicou que em 47% dos casos no cluster do Camp Hansen, em Okinawa, não foi encontrada a variedade delta, por isso, tanto o lado japonês quanto americano concordaram que se trata da ômicron.   

Vale lembrar que as bases americanas no Japão estão sob restrições aos militares entre 10 a 24 deste mês.

Fontes: Tokyo Shimbun e NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha oportunidades