Hong Kong planeja abater 2 mil roedores por medo da covid-19

Um funcionário de uma pet shop em Hong Kong e vários roedores testaram positivo para coronavírus.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Entre os animais levados da pet shop pelas autoridades chinesas estavam hamsters, coelhos, porquinhos da índia e chinchilas (ilustrativa/banco de imagens)

Hong Kong vai sacrificar cerca de 2 mil hamsters e outros animais de pequeno porte após um funcionário de uma pet shop e vários roedores terem testado positivo para coronavírus, enquanto a cidade prossegue com uma estratégia zero-covid inflexível após dois anos na pandemia.

Publicidade

O anúncio feito pelo governo de Hong Kong se deparou com a indignação na terça-feira (18) de donos de pets e defensores dos direitos dos animais, com várias petições online pedindo às autoridades que reconsiderem.

Isso ocorre após um novo cluster ligado à pet shop Little Boss, onde um funcionário de 23 anos testou positivo para a variante delta na segunda-feira (17). Um cliente que visitou a loja e interagiu com o trabalhador também testou positivo.

Após investigarem a pet shop, autoridades disseram na terça-feira que preliminarmente 11 hamsters haviam testado positivo para covid-19, aumentando preocupações em torno da possibilidade de transmissão de animal para humano.

Geralmente, autoridades da saúde internacionais dizem que o risco de transmissão de animais para humanos é possível, porém baixo.

Na terça-feira, autoridades levaram todos os animais de pequeno porte da loja, incluindo hamsters, coelhos, porquinhos da índia e chinchilas, para serem testados e abatidos – independentemente dos resultados – citando perigo de saúde ao público.

Todas as pet shops que vendem hamsters na cidade foram ordenadas a entregarem os animais para serem abatidos, com ordens similares a qualquer um que tenha comprado um roedor antes do Natal, com início em 22 de dezembro.

Fonte: CNN

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Medidas prioritárias em mais 13 províncias: quais são e o que muda

Publicado em 19 de janeiro de 2022, em Sociedade

A aplicação das medidas prioritárias em 13 províncias foi aprovada, para frear os números diários e evitar colapso do sistema médico.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Em vermelho, as 3 que já estão e em amarelo e vermelho as que passam a ter aplicação (PM)

O governo aprovou na quarta-feira (19) a aplicação das medidas prioritárias para evitar a propagação da infecção pelo coronavírus em mais 13 províncias, no período de 21 de janeiro a 13 de fevereiro

Publicidade

O anúncio será feito no final da tarde, pelo Primeiro-Ministro do Japão, Fumio Kishida. 

Atualmente são 3 províncias sob essas medidas: Yamaguchi, Hiroshima e Okinawa, até 31

As 13 províncias a partir do dia 21 são: Tóquio, Saitama, Chiba, Kanagawa e Gunma (5 da região Kanto); Niigata, Kagawa, Nagasaki, Kumamoto e Miyazaki; além de Aichi, Gifu e Mie (3 da região Tokai). 

O que muda para os cidadãos

Basicamente, em todas elas, o que muda é o horário de expediente reduzido dos bares, restaurantes, clubes, karaokês e outros que servem bebidas alcoólicas. 

Dependendo da província o pedido é para fechar às 20h ou 20h30 e outras às 21h, com compensação financeira para os donos desses locais, cujo valor é definido por província. 

Também, cada governador pede que os grupos sejam pequenos, de até 4 a 5 pessoas, para ir a esses estabelecimentos. Outro pedido que os governadores fazem é o de evitar sair da província sem urgência ou necessidade.

Dependendo da província, a aplicação pode ser para todas as cidades ou parcialmente.

O que desejam – governo do país e governantes locais – é tentar frear o aumento para não colapsar o sistema médico. 

Por causa do efeito breakthrough, aumento de pessoas testando positivo mesmo vacinadas, o governo quer suspender o pacote vacina e teste como forma de aliviar as restrições às pessoas, em eventos e locais com grande aglomeração.

Fontes: FNN, Asahi e NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância