‘Variante ômicron não é gripe’, alerta OMS para não subestimá-la

A infectologista e líder técnica da OMS explicou que a ômicron não é uma gripe comum e que causa morte sim.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Dra. Maria Van Kerkhove, líder técnica da OMS (ANN)

A líder técnica de resposta à Covid-19 da OMS-Organização Mundial da Saúde, Maria Van Kerkhove, chamou a atenção para não subestimar a nova variante, dizendo “a ômicron não é uma gripe comum”.

Publicidade

“Embora alguns relatórios mostrem um risco reduzido de hospitalização da ômicron em comparação com Delta, há muitas pessoas infectadas, doentes e morrendo no hospital“, acrescentou ela.

6 sintomas

Os 4 sintomas mais comuns da variante ômicron são tosse, fadiga, congestão e coriza, de acordo com uma análise do CDC-Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos. Um estudo recente do aplicativo Zoe Covid, do Reino Unido, acrescentou náusea e perda de apetite à categoria.

Vários estudos da África do Sul, Estados Unidos e Reino Unido mostraram que a infecção causada pela variante altamente transmissível é geralmente leve, com menos necessidade de hospitalização, mas há casos de piora do quadro.

Alto risco para não vacinados

O Reino Unido teve 14 mortes devido à variante ômicron, enquanto os EUA e a Coréia do Sul já tiveram uma morte cada. As mortes ocorreram principalmente em pessoas não vacinadas.

“É importante ter sistemas para testar, aconselhar e monitorar um grande número de pacientes, pois o aumento pode ser repentino e enorme“, alertou a infectologista Maria Van Kerkhove.

Em particular, apontou que pessoas não vacinadas tendem a ter o quadro agravado ou morrem, assim como acontece com outras cepas mutantes.

Fontes: ANN e Deccan Herald

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Quase 100 mil crianças no Peru perderam os pais para a covid-19

Publicado em 7 de janeiro de 2022, em Notícias do Mundo

A covid-19 causou a morte de pelo menos um pai ou cuidador primário de cerca de 100 mil crianças no país.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Ilustrativa (banco de imagens)

A covid-19 causou a morte de pelo menos um pai ou cuidador primário de cerca de 100 mil crianças no Peru, o país com a maior taxa de mortes por coronavírus do mundo, divulgou o governo da nação na quinta-feira (6).

Publicidade

“Infelizmente, nosso país tem quase 98 mil crianças que perderam seu pai, mãe ou guardião durante a pandemia”, disse a Ministra das Mulheres do Peru, Anahi Durand, citando números publicados no jornal médico The Lancet.

O Peru lidera o mundo em mortes totais por covid-19 per capita, com mais de 6 mil peruanos por milhão tendo morrido em decorrência da doença, de acordo com uma análise de números oficiais da AFP.

O país de 33 milhões de pessoas está passando pela sua 3ª onda de covid-19 e registrou mais de 2 milhões de casos.

Mais de 202.900 pessoas no Peru morreram desde o início da pandemia global em 2020.

Fonte: Japan Today

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha oportunidades