Segunda-feira: 37 mil novos casos

A redução em relação ao mesmo dia da semana anterior foi sensível, de 14,2 mil casos.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

SARS-CoV-2 (CDC)

O Japão teve 37.083 testados positivo para o novo coronavírus na segunda-feira (7). Desde 17 de janeiro o país não tinha um número na faixa dos 40 mil.

Publicidade

Tóquio teve uma queda de 4,2 mil casos em comparação com a segunda-feira passada, fechando o dia 5.374. Mesmo nas províncias onde os números estavam elevados, se percebeu a queda. Foram 5.622 em Kanagawa, 3.536 em Saitama, 2.406 em Chiba, 2.198 em Aichi, 2.037 em Osaka e 1.759 em Fukuoka.

Foram 1.139 em Ibaraki, 629 em Shizuoka, 493 em Shiga, 363 em Gifu, 343 em Mie, 312 em Tochigi, 308 em Gunma, 222 em Nagano e 81 em Shimane.

Mas, foram 559 em Fukui, recorde desta epidemia, sendo 160 na capital homônima, 49 em Tsuruga, 41 em Sakai, 38 em Echizen e em outras cidades. Segundo o governo da província, 30% dos testados positivo têm idade de 0 a 20 anos, por isso, são 45 instituições de educação com classes sem aula ou escolas temporariamente fechadas.

O total de óbitos é de 121, sendo 14 em Chiba, 11 em Kanagawa, 10 em Aichi, 9 em Osaka, 8 em Tóquio e em Quioto, 6 em Hokkaido, entre outras.

São 700.253 pacientes em tratamento, com queda de 6,2 mil em relação ao dia anterior. Dentre eles, 1.354 estão em estado grave.

Em contrapartida, 4.715.197 pessoas se recuperam da covid.

No domingo (6) foram aplicadas 392.312 doses de reforço da vacina contra o coronavírus, além de 9,2 mil de primeira e segunda doses. Portanto, até essa data o Japão aplicou 233.632.708 doses, o que significa que 80% da população está inoculada. 

Veja o número dos testados positivo por província.

REGIÃO PROVÍNCIA TOTAL
Hokkaido 1.106
Tohoku Aomori 277
Iwate 168
Miyagi 407
Akita 113
Yamagata 155
Fukushima 249
Kanto Ibaraki 1.139
Tochigi 312
Gunma 308
Saitama 3.536
Chiba 2.406
Tóquio 5.374
Kanagawa 5.622
Hokuriku Niigata 232
Toyama 237
Ishikawa 290
Fukui 559
Koshin Yamanashi 126
Nagano 222
Tokai Gifu 363
Shizuoka 629
Aichi 2.198
Mie 343
Kinki Shiga 493
Quioto 761
Osaka 2.037
Hyogo 1.362
Nara 584
Wakayama 172
Chugoku Tottori 56
Shimane 81
Okayama 366
Hiroshima 471
Yamaguchi 184
Shikoku Tokushima 164
Kagawa 179
Ehime 146
Kochi 116
Kyushu Fukuoka 1.759
Saga 289
Nagasaki 168
Kumamoto 419
Oita 230
Miyazaki 118
Kagoshima 215
Okinawa 278
Aeroportos 64
TOTAL GERAL 37.083
Fontes: News Digest, Fukui Shimbun, Fukui TV e NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Rússia diz que abrirá corredores humanitários em cidades ucranianas

Publicado em 7 de março de 2022, em Notícias do Mundo

Mapas publicados pela agência de notícias RIA mostram que os corredores levarão a Belarus, Rússia e outras cidades ucranianas.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Refugiados da Ucrânia caminham em direção à Romênia após atravessarem a fronteira, em 2 de março de 2022 (banco de imagens)

O exército russo disse que vai aguardar e abrir corredores humanitários em várias cidades ucranianas, incluindo Kiev e Mariupol, a partir das 10h, horário de Moscou, desta segunda-feira (7).

Publicidade

Os corredores, que também serão abertos a partir das cidades de Kharkiv e Sumy, estão sendo estabelecidos a pedido pessoal do presidente francês Emmanuel Macron, de acordo com agência de notícias Interfax citando palavras do Ministério da Defesa da Rússia.

De acordo com mapas publicados pela agência de notícias RIA e vistos pela Reuters, o corredor de Kiev levará a Belarus, e civis de Kharkiv terão apenas um corredor que leva à Rússia.

Corredores de Mariupol e Sumy levarão para cidades ucranianas e a Rússia.

No último fim de semana a Ucrânia disse que bombardeios sobre cidades no leste, incluindo o porto de Mariupol, estavam impedindo que residentes evacuassem a área em corredores concordados na última rodada de negociações de cessar-fogo.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha disse que as evacuações haviam falhado em parte porque os dois lados não haviam concordado em um plano claro.

Uma terceira rodada de negociações entre líderes russos e ucranianos está planejada para esta segunda-feira.

Ucrânia: corredores humanitários propostos são ‘inaceitáveis’

A vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk, chamou os seis corredores humanitários propostos pela Rússia de “inaceitáveis”.

Das quatro cidades mencionadas na proposta da Rússia, apenas Mariupol e Sumy têm rotas de evacuação que levam a outras partes da Ucrânia. Todas as outras rotas levam diretamente para Rússia ou Belarus, um aliado chave do Kremlin na guerra.

“Isso é uma maneira inaceitável de abrir corredores humanitários”, disse Vereshchuk.

“Nosso povo não irá de Kiev a Belarus para então serem levados à Federação Russa”.

Na noite de domingo, a Rússia enviou uma carta propondo uma janela de cessar-fogo temporária a partir das 10h (horário russo). Em resposta, a Ucrânia enviou suas condições sobre as rotas, especificamente a abertura de corredores para evacuação de pessoas para o oeste da Ucrânia – distante da Rússia.

Vereshchuk pediu assistência dos EUA, Reino Unido e França na estabilização de corredores.

Cidadãos ucranianos devem ter permissão para deixar suas casas através de território ucraniano, disse um porta-voz do presidente Volodymyr Zelensky.

Fonte: Sky News, BBC

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância