Não há evidência de que vírus da varíola dos macacos sofreu mutação, diz OMS

Mutações desse vírus são de baixa frrequência, cita a OMS, embora sequenciamento genético de casos ajudem a compreender o surto atual.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

A doença infecciosa é endêmica no oeste e na central da África (NHK)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) não tem evidência de que o vírus da varíola dos macacos (monkeypox) sofreu mutação, disse uma executiva sênior da agência das Nações Unidas na segunda-feira (23), citando que a doença infecciosa que é endêmica no oeste e na central da África tendeu a não mudar.

Publicidade

Rosamund Lewis, chefe do secretariado de varíola que faz parte do Programa de Emergências da OMS, disse em uma coletiva que mutações desse vírus são tipicamente de baixa frequência, embora sequenciamento genético de casos ajudem a compreender o surto atual.

Os mais de 100 casos suspeitos e confirmados no surto recente na Europa e América do Norte não foram severos, disse a líder técnica sobre covid-19 e de doenças emergentes e zoonoses da OMS, Maria van Kerkhove.

“Essa é uma situação controlável”, disse ela.

Os surtos são atípicos, de acordo com a OMS, visto que eles estão ocorrendo em países onde o vírus não circula regularmente. Cientistas estão buscando compreender a origem dos casos e se algo sobre o vírus mudou.

Fonte: Channel News Asia

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

China pode estar treinando ataque contra aeronave de vigilância do Japão

Publicado em 24 de maio de 2022, em Sociedade

A companhia de satélite dos EUA, Planet Labs PBC, capturou a imagem em 13 de maio.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

A companhia de satélite dos EUA, Planet Labs PBC, capturou a imagem em 13 de maio (NHK)

Uma imagem de satélite dos EUA mostra que o exército chinês montou um modelo de uma aeronave de vigilância usada pelas Forças de Autodefesa do Japão.

Publicidade

Especialistas no arquipélago suspeitam que ela é destinada para prática de alvo de míssil.

A companhia de satélite dos EUA, Planet Labs PBC, capturou a imagem em 13 de maio. Ela mostra objetos que parecem ser uma aeronave em uma pista em um deserto na Região Autônoma Uigure de Xinjiang da China.

Um ex-analista da inteligência no Ministério da Defesa do Japão, Nishimura Kinichi, diz que um grande objeto no centro provavelmente é um modelo de uma aeronave de vigilância AWACS. A aeronave tem um grande radar em formato de disco e pode detectar aviões suspeitos que se aproximam do espaço aéreo do Japão.

Nishimura diz que a localização pode ser uma zona de teste de míssil e que o objeto pode ser um alvo para testes de mísseis. Ele acredita que sua existência indica que a China tem a intenção de atacar o Japão se ele intervier em uma contingência envolvendo Taiwan.

Enquanto isso, Masayuki Masuda do Instituto Nacional para Estudos da Defesa do Ministério da Defesa diz que o objeto no deserto não deveria ser considerado uma mensagem para o mundo exterior.

Masuda diz que a invasão russa à Ucrânia deixou Pequim mais alerta para quais ações os EUA e o Japão tomariam em uma emergência. Ele acrescenta que a China parece estar realizando uma série de exercícios em preparação para todos os possíveis cenários.

Fonte: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância