Guerra na Ucrânia colocou 71 milhões de pessoas na extrema pobreza

Regiões geograficamente próximas à Rússia e Ucrânia enfrentam os impactos mais drásticos, junto com nações africanas.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Ilustrativa (banco de imagens)

Uma agência das Nações Unidas diz que o número de pessoas na extrema pobreza em países em desenvolvimento aumentou em 71 milhões nos 3 meses após o início da invasão da Ucrânia pela Rússia.

Publicidade

O Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento (UNDP) divulgou na quinta-feira (7) um relatório sobre o impacto da guerra na Ucrânia, a qual fez aumentar os preços de energia e alimentos.

O UNDP diz que preços em alta para commodities principais estão tendo impactos imediatos e devastadores sobre os lares mais pobres.

Ele diz que países na Ásia Central e em outras regiões geograficamente próximas à Rússia e Ucrânia enfrentam os impactos mais drásticos, junto com nações africanas que dependem de importações de alimentos.

A agência também diz que nações em desenvolvimento não podem responder ao problema devido aos seus altos níveis de dívidas soberanas e reservas fiscais esgotadas.

O UNDP diz que essas dificuldades empurraram o número daqueles vivendo com menos de US$3,2 por dia em 71 milhões em 3 meses desde março.

A agência das Nações Unidas está pedindo à comunidade internacional que dê suporte aos países através de alívio de dívida e outras medidas.

Fonte: NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Tóquio na sétima onda: estimativa de chegar a 55 mil novos casos diários em agosto

Publicado em 8 de julho de 2022, em Sociedade

Diante dessa estimativa, a governadora de Tóquio pediu à população o reforço das medidas de prevenção ao coronavírus.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

SARS-CoV-2 (PxHere)

Na coletiva de imprensa de quinta-feira (7) a governadora de Tóquio, Yuriko Keiko, disse “me foi apontado que entramos na sétima onda”, se referindo à infecção pelo novo coronavírus.

Publicidade

Na reunião de especialistas em coronavírus da região metropolitana, foi apontado que o número de novos casos diários dos últimos 7 dias dobrou em relação ao mesmo período da semana anterior.

Se continuar nesse ritmo, a possibilidade numérica aponta que poderá chegar a 54.902 testados positivo em 3 de agosto.

Diante dessa estimativa, a governadora Koike pediu à população para receber a dose de reforço da vacina. Além disso, solicitou medidas de controle da infecção, como “ficar com o menor número de pessoas, por pouco tempo em ambiente ventilado o máximo possível”.  

Na quarta e quinta-feira os números foram elevados em Tóquio, 8.341 e 8.529, respectivamente, os maiores desde 14 de abril. Em 2 de fevereiro a capital japonesa teve um pico de 21.562 novos casos.

Fontes: FNN e News Digest

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência