Participantes do Conselho de Segurança da ONU fazem momento de silêncio para Abe

Shinzo Abe foi fatalmente baleado enquanto fazia um discurso de campanha política em Nara na sexta-feira (8).

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Embaixadores e outros no Conselho de Segurança das Nações Unidas fizeram um momento de silêncio para Shinzo Abe (NHK)

Participantes em uma reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas fizeram um momento de silêncio para o ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, que foi fatalmente baleado enquanto fazia um discurso de campanha política em Nara.

Publicidade

No início das discussões na sexta-feira (8), o embaixador do Brasil nas Nações Unidas, Ronaldo Costa Filho, que presidiu a sessão, manifestou “tristeza e choque com o assassinato sem sentido” e estendeu suas “condolências e mais profundas” para a família de Abe, ao governo e à população do Japão.

Embaixadores e outros ficaram de pé em silêncio por cerca de 30 segundos.

Em Varanasi, no norte da Índia, pessoas se reuniram às margens do Rio Gange segurando fotos de Abe.

Elas acenderam velas e colocaram pequenos pratos de cerâmica com flores na água. Uma pessoa descreveu a morte do ex-primeiro-ministro do Japão como um grande choque para a Índia.

Abe visitou Varanasi em 2015.

Fonte: NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Corpo de Shinzo Abe chega a Tóquio

Publicado em 9 de julho de 2022, em Sociedade

Apesar de renunciar como primeiro-ministro do Japão em 2020, Abe se manteve como uma figura influente no panorama político do país.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Abe foi baleado em Nara e morreu na sexta-feira, 8 de julho, causando choque nas pessoas no Japão e no mundo (NHK)

O corpo do ex-primeiro-ministro Shinzo Abe chegou a Tóquio, sua terra natal, neste sábado (9), um dia após ele ter sido assassinado em plena luz do dia, chocando e enfurecendo uma nação que não está acostumada com violência envolvendo armas.

Publicidade

A viúva Akie Abe acompanhou o corpo do marido saindo de Nara para Tóquio, onde a família reside. Autoridades agora se encontrarão com familiares para discutir sobre o funeral, disse o escritório de Abe à rede CNN.

Enquanto o corpo de Abe chegava a Tóquio, a polícia continuava a questionar o atirador suspeito.

Em sua casa foram encontrados vários tipos de armas caseiras montadas com canos de metal, disseram autoridades.

Presidentes, primeiros-ministros e outros líderes internacionais enviaram suas mensagens de condolências manifestando indignação e tristeza pelo assassinato.

Abe, de 67 anos, teve a morte anunciada pelos médicos no Hospital Universitário de Nara às 17h03 de sexta-feira (8), apenas 5 horas após ele ter sido baleado enquanto fazia um discurso de campanha em frente a uma pequena multidão na rua.

No momento do ataque, Abe estava falando em suporte aos candidatos do dominante Partido Liberal Democrático (PLD) antes das eleições da Câmara dos Conselheiros no domingo (10), a qual ainda está programada para acontecer.

Apesar de renunciar como primeiro-ministro do Japão em 2020 devido a razões de saúde, Abe se manteve como uma figura influente no panorama político do país e continuava a fazer campanha para o PLD.

Abe chegou ao hospital em estado de parada cardiorrespiratória e, apesar de uma equipe médica ter lutado para ressuscitá-lo, o ex-primeiro-ministro morreu em decorrência de sangramento excessivo causado por ferimento de bala em seu pescoço e coração, disseram médicos.

Tetsuya Yamagami, de 41 anos, admitiu ter atirado em Abe com uma arma feita em casa, disse a polícia de Nara Nishi durante uma coletiva de imprensa na sexta-feira.

Yamagami, que está desempregado, disse aos investigadores que ele tinha ódio de um certo grupo o qual ele acreditava ter ligação com Abe. A polícia não identificou o grupo.

Fonte: CNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência