Brasileira, médica e apaixonada pelo saquê, em Yamagata

Autodidata na produção artesanal de saquê, a médica brasileira veio ao Japão para um treinamento de 2 semanas, para levar o know-how dessa bebida fermentada.

No Japão, trocou o jaleco de média pelo vestuário de produtora de saquê (TUY)

A médica ginecologista e obstetra Patrícia Tello, do Rio Grande do Sul, viajou do outro lado do mundo para tornar realidade um sonho perseguido desde 15 anos atrás, quando se apaixonou pelo saquê.

Publicidade

Apesar do “frio congelante” como ela disse “mas estou amando”, está fazendo uma imersão de aprendizagem de todo o processo para a produção da bebida típica japonesa.

Dra. Patrícia manuseando a transferência do arroz a 100ºC para o refrigerador (TUY)

A médica obstetra gaúcha trocou o jaleco de todos os dias pelas vestes e botas típicas de quem põe a mão na massa, um trabalho nada leve, para obter o “vinho” do arroz. Para isso são necessários dois ingredientes: boa água e arroz para a fermentação.

Ela foi entrevistada pela equipe da emissora local, a TUY, cuja matéria foi levada ao ar na quarta-feira (8). Estava transferindo o arroz a uma temperatura próxima de 100ºC para o refrigerador, nas instalações do Dewazakura Sake Brewery, na cidade de Yamagata (província homônima).

A médica Patrícia no processo artesanal da produção de saquê (TUY)

Enquanto executava o processo conversou em inglês com a repórter dizendo que “queria aprender a autêntica fabricação do maravilhoso saquê”, por isso veio para um treinamento de 2 semanas. E mostrou que entende do assunto ao mencionar os termos técnicos usados pelos produtores. 

“Quero fazer saquê no Brasil. Atualmente faço porque sou autodidata”, explicou. Contou que é uma grande fã do saquê, bebida que combina com vários pratos, e começou a produzir no Rio Grande do Sul, por conta própria, há 5 anos, enquanto exerce a profissão de médica. No ano retrasado pegou uma área de uma cervejaria para isso.  

A doutora Patrícia mostra uma garrafa de saquê (TUY)

“Aqui é 20 vezes maior”, exclama, enquanto manuseia tudo com destreza, mostrando que tem habilidades.

“Estou surpreso que alguém saiba tanto sobre a fabricação artesanal de saquê. Não existem muitas pessoas no nosso mundo com as destrezas dela. Gostaria que depois desta experiência, Patrícia possa transmitir o espírito e a cultura do saquê na sua terra”, elogiou Naoki Kamoda, gerente de exportação do Dewazakura Sake Brewery.

“Quero aprender todo este know-how de saquê para produzir um ótimo”, disse animada. 

A médica brasileira que tem a produção do saquê como hobby pretende produzir e comercializar a bebida fermentada japonesa já no ano que vem. “O mais importante é transmitir a cultura do saquê aos brasileiros”, pontuou.

Assista à matéria veiculada tocando aqui

Fonte: TUY

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Uso de máscara será opcional a bordo de aviões de companhias aéreas no Japão

Publicado em 10 de fevereiro de 2023, em Sociedade

O grupo de companhias aéreas no Japão planeja tornar o uso de máscara uma ‘escolha pessoal’, em linha com a planejada reclassificação da covid-19 pelo governo.

Passageira de máscara em avião (ilustrativa/banco de imagens)

Um grupo de companhias aéreas no Japão, incluindo a Japan Airlines (JAL) e a All Nippon Airways (ANA), planeja tornar em maio o uso de máscara uma “escolha pessoal” em linha com a planejada reclassificação da covid-19 pelo governo, que envolve a revisão de diretrizes relacionadas ao acessório de proteção.

Publicidade

A medida ocorre com várias operadoras de companhias aéreas em países no Ocidente já tendo suspendido suas exigências sobre uso de máscara no ano passado, tornando-as opcionais.

Sob as atuais diretrizes da Associação Organizada de Companhia Aéreas do Japão, que reúne 19 empresas, passageiros com exceção de crianças pequenas, são solicitados a usar máscara e conversar o menos possível enquanto estiverem a bordo.

Se o passageiro tem alguma doença ou incapacidade que o impede de usar máscara, ele é solicitado a se consultar com a empresa aérea com antecedência. Se um passageiro recusar o uso do acessório de proteção sem uma razão justificável, a companhia aérea pode negar o embarque.

O grupo da indústria anunciou a mudança de política na segunda-feira (6) após a decisão do governo no mês passado de reclassificar a covid-19 na mesma categoria da influenza sazonal em 8 de maio.

Fonte: Japan Times

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - faça remessas com segurança!
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!