Google cria programa de pinturas 3D em realidade virtual para artistas

A arte pode ser transportada para o mundo virtual, provou a Google. A empresa criou o “Tilt Brush” para que artistas pudessem transportar suas criações ao mundo da realidade virtual.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Em Abril de 2016, o aplicativo “Tilt Brush” foi lançado exclusivamente na HTC Vive. O Tilt Brush é a personificação do sonho que todos já tivemos: desenhar livremente no ar.

Publicidade

Este aplicativo permite o usuário, literalmente, mergulhar no mundo de pintura leve das fotos, escolher o tipo de pincel com o controlador e desenhar livremente no mundo 3D.

Há vários tipos de pinceis e, além do efeito de trajetória da luz, existem efeitos coloridos de tinta, fumaça, fogo, estrelas e outros. Todas as ferramentas existem na paleta de cores do controlador, permitindo acesso a uma interface intuitiva e futurística.

A Google deseja impulsionar as pinturas feitas com o Tilt Brush. Com o programa “Artist-in-residence”, a empresa pediu para mais 60 artistas fazerem pinturas com o Tilt Brush. Geralmente, esses tipos de programa colocam os participantes a conviverem juntos pelo período de tempo determinado, mas 60 pessoas é um número muito alto.

Para entender melhor, assista o vídeo explicativo produzido pela Road to VR sobre o Google VR.

Foram reunidos pessoas de diversos campos da arte, como artistas contemporâneos, ilustradores de revistas e cartunistas. O vídeo mostra a maioria dos artistas tendo sua primeira interação com o Tilt Brush.

No site oficial do programa, é possível visualizar explicações sobre os artistas e checar suas pinturas VR (realidade virtual).

Há muita expectativa em relação ao Tilt Brush como uma ferramenta contemporânea revolucionária que pode aplicar mais movimento na arte.

Fonte: Gizmodo JP

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Suicídios no Japão: abaixo de 22 mil pessoas, primeira vez em 22 anos

Publicado em 21 de janeiro de 2017, em Comportamento

O número de suicídios no Japão diminui a cada ano, com queda histórica no número de mulheres. Saiba mais.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Governo lamenta a perda dessas vidas, ainda que o número de suicídios tenha diminuído no Japão

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem Estar do Japão anunciou para a imprensa nesta sexta-feira (20), por volta das 11 horas, a estatística mais recente sobre o número de pessoas que tiraram a própria vida no ano passado. Os dados foram compilados pela Agência Nacional de Polícia e trazem informações positivas.

Publicidade

Houve uma redução de 9,4% em relação ao ano anterior (2015), totalizando 21.764 pessoas em 2016.

Segundo a Agência, a redução é histórica, especialmente no caso das mulheres. Desde 1978, quando o país começou a coleta de dados para estatística, houve uma redução significativa. No ano passado, foram 6.747 mulheres que desistiram de viver, o menor registrado na história.

Os dados mostram que homens cometem mais suicídios que as mulheres: 15.017 no ano passado. Esse índice é constante em todo o mundo, pois os homens são mais precisos quando querem tirar a vida, explicam os psiquiatras.

O ministério, ao fazer o anúncio, lamentou a perda dessas vidas. “Ainda que as medidas de prevenção com canais de consulta e sensibilização tenham sido adotadas e o número tenha se reduzido, a situação é grave”, declarou.

Redução de suicídios em todas as faixas etárias

Durante os períodos de 1998 a 2002, mais de 30 mil pessoas preferiram deixar de viver anualmente. Em 2003 foram registrados 34.427 casos como lamentável recorde.

Nos últimos 7 anos consecutivos, o país obteve queda nesses números e, segundo o ministério, em todas as faixas etárias. De acordo com estatísticas do ministério, de janeiro a novembro do ano passado, houve uma queda nos números das pessoas com idade inferior a 19 anos até as com mais de 80.

Motivos dos suicídios no Japão

Os motivos apurados são vários. As maiores incidências são por conta da questão econômica ou saúde e de subsistência. O ministério constatou que em 40 províncias houve queda no número, porém, em 7 houve um pequeno aumento. As que mais se sobressaíram foram Wakayama, Kochi, Fukui e Tokushima, onde há registros de aumento de 10 pessoas.

Mesmo nas províncias afetadas pelo Grande Terremoto do Leste do Japão – Iwate, Miyagi e Fukushima – a tendência no ano passado foi de queda.

Brasil é o oitavo país com mais suicídios no mundo

O paradigma de que o Japão é um país com o maior número de suicídios no mundo e que o Brasil tem poucos merece revisão.

O Brasil, em 2015, entrou no ranking na 8ª posição no número de suicídios, ou seja, a cada 1 hora, uma pessoa tira a própria vida, segundo a OMS-Organização Mundial de Saúde. A taxa é de 10,7 por 100 mil pessoas entre a população masculina e há uma crescente entre os jovens.

Entre os países desenvolvidos, a Coreia do Sul teve 28,9 suicídios por 100 mil habitantes, em 2015; enquanto o Japão registrava 18,5 suicídios para cada 100 mil habitantes, um número bem acima dos Estados Unidos (12,1), da Áustria (11,5) e da França (12,3), segundo a BBC.

Fontes: Sankei, ANN e BBC
Imagem ilustrativa: Wikimedia Commons

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência