Pai e filho brasileiros encontrados mortos no rio

Polícia acredita que morreram afogados no rio Kiso (Kisogawa), na altura de Kobi-cho, em Minokamo (Gifu).

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Local onde foram encontrados os corpos de pai e filho brasileiros no rio Kiso, em Gifu (NHK)

Por volta das 5h15 de domingo (3), uma pessoa que corria às margens do rio Kiso acionou o 110. “Tem um corpo adulto boiando no rio”, teria dito o homem de 75 anos. Policiais da Delegacia de Kamo (Gifu) encontraram o corpo de um homem adulto e, cerca de 30 metros abaixo, o de um bebê.

Publicidade

Mais tarde, a polícia os identificou como sendo da cidade de Kani (Gifu). Fábio Koji Uyeno, 32 e seu filho de um ano Matheus Adrian Akino. Fábio trabalhava através de empreiteira e residia no bairro de Imawatari. Segundo o jornal Chunichi, Mateus tem cidadania filipina. 

Saíram para brincar no rio

O pai estava vestido de bermuda e o bebê com fralda. Como não havia nenhuma lesão nos corpos, os policiais acreditam que a morte tenha sido por afogamento. O carro utilizado por Fábio foi encontrado no leito do rio.

Depois de apurar os fatos, soube-se que ele teria deixado um bilhete para a esposa “vamos brincar no rio Kiso”, na tarde de sábado, por volta das 16h30, e saiu com o bebê.

Os corpos foram encontrados próximo ao Kisogawa Ryokuchi Line Park, em Kobi-cho, na cidade de Minokamo (Gifu). No leito do rio, perto do carro do brasileiro, a camiseta e o smartphone dele foram encontrados.

Fontes: NHK, Chunichi, Sankei e FNN
Foto: NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Trump abre as portas para um ataque após teste nuclear da Coreia do Norte

Publicado em 4 de setembro de 2017, em Ásia

O presidente americano atacou verbalmente o recente teste nuclear da Coreia do Norte, deixando aberta a possibilidade de uma resposta militar contra Pyongyang.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

No domingo (3), a Coreia do Norte disse que testou com “perfeito sucesso” uma bomba de hidrogênio capaz de ser montada em um míssil balístico (ANN)

O presidente americano Donald Trump atacou verbalmente o recente teste nuclear da Coreia do Norte, declarando as ações da nação como “hostis e perigosas” aos EUA e deixando aberta a possibilidade de uma resposta militar contra Pyongyang, divulgou a reportagem do Financial Times.

Publicidade

No domingo (3), a Coreia do Norte disse que testou com “perfeito sucesso” uma bomba de hidrogênio capaz de ser montada em um míssil balístico. O teste, cuja estimativa de potência foi 10 vezes maior que as detonações anteriores, desencadeou um terremoto de magnitude 6.3.

Após uma reunião com o presidente Trump no domingo, o secretário de defesa, James Mattis, apareceu no lado de fora da Casa Branca para alertar a Coreia do Norte que qualquer ameaça aos EUA ou seus aliados iria de encontro com uma “massiva resposta militar”.

O ato da Coreia do Norte provocou forte reação dos presidentes chinês e russo no domingo, que estavam discutindo nos bastidores de uma cúpula do Brics na China. Xi Jiping e Vladimir Putin concordaram em “lidar de forma apropriada” com o recente teste nuclear.

Na Europa, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse que as provocações da Coreia do Norte tinham “atingido uma nova dimensão”.

O teste nuclear conduzido pelo líder norte-coreano Kim Jong-un é a mais recente demonstração de provocação à comunidade internacional, principalmente aos EUA, em meio às elevadas tensões de que Pyongyang está cada vez mais perto de ser capaz de atingir o país com um míssil balístico intercontinental.

No mês passado, Trump alertou sobre “fogo e fúria” se Pyongyang continuasse a ameaçar os EUA após o Norte ter testado um míssil balístico de longo alcance em julho. Quando questionado por um repórter no domingo se os Estados Unidos atacariam a Coreia do Norte, Trump disse: “Veremos”.

Steven Mnuchin, secretário do Tesouro, disse que os EUA continuariam aplicando pressão econômica ao colocar  junto um pacote de novas sanções que cortariam potencialmente todo o comércio global com Pyongyang.

A China tem a opção de cortar o fornecimento de petróleo à Coreia do Norte, mas vem evitando a ação por temores de que isso desencadearia uma crise de refugiados.

A Coreia do Sul condenou o teste de domingo e colocou sua equipe de crise nuclear em operação, enquanto Japão e a China disseram que estavam monitorando os níveis de radiação.

Recentemente, os EUA começaram a impor sanções sobre empresas chinesas ligadas ao programa de armas nucleares norte-coreano. Contudo, alguns especialistas duvidam que a China colocaria pressão suficiente sobre o Norte por causa das preocupações de Pequim em relação ao colapso do regime em sua fronteira.

Fonte: Financial Times
Imagem: ANN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância