Nissan expandirá linha de elétricos com sedan de luxo

A Nissan, fabricante do elétrico Leaf planeja desenvolver o novo modelo com base em um sedan existente vendido no exterior sob a marca Infiniti.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Um carro conceito elétrico Infiniti. O primeiro sedan de luxo elétrico da Nissan terá base em um carro vendido sob a marca Infiniti (Nikkei)

A Nissan Motor começará a produzir um sedan de luxo elétrico até o final de 2020, de acordo com fontes.

Publicidade

A fabricante japonesa do carro elétrico Leaf planeja desenvolver o novo modelo com base em um sedan existente vendido no exterior sob a marca Infiniti. No Japão, a nova versão elétrica será comercializada sob a marca Nissan.

A fabricante abriu novos caminhos com o compacto elétrico Leaf em 2010, continuando a vender mais de 350.000 unidades em todo o mundo. A medida da empresa para expandir sua linha de elétricos para o segmento de luxo marca um passo significante na mudança global que se afasta dos carros movidos a gasolina.

O novo modelo será produzido na fábrica da Nissan na província de Tochigi. A empresa planeja gastar várias centenas de milhões de dólares na planta para produção de carro elétrico, com a meta de introduzir o modelo em 2021.

Atualmente o Leaf é produzido nos EUA e Reino Unido, assim como a na planta de Oppama da Nissan ao sul de Tóquio.

As prioridades atuais para o novo modelo são baterias e outras tecnologias para aumentar a quilometragem.

Esforços iniciais para desenvolver carros elétricos tiveram foco nos compactos, enquanto as montadoras trabalhavam para superar problemas de desempenho. Progresso na tecnologia de motor e bateria está tornando os modelos maiores mais viáveis.

A estratégia da Nissan é posicionar o Leaf como um carro elétrico acessível, enquanto confina o mercado de gama alta com o novo modelo.

Fonte: Nikkei
Imagem: Nikkei, Banco de imagens

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Homem que protegia pequena ilha remota há 32 anos morre em serviço

Publicado em 19 de setembro de 2018, em Ásia

O homem vinha protegendo a pequena e remota ilha na costa leste da China por 32 anos, até ele morrer em seu posto.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Ilha Kaishan (Xinhua)

A ilha fica ao largo da costa leste da China e cobre uma área de apenas 0.013 quilômetros quadrados. Está situada no extremo das águas territoriais do país.

Publicidade

Wang Jicai começou a trabalhar como vigia na Ilha Kaishan em 1986 e posteriormente sua esposa deixou o trabalho para fazer companhia a ele.

Wang Jicai protegeu a ilha por 32 anos (Xinhua)

“Era difícil e nós não estávamos acostumados, principalmente quando viemos pela primeira vez. Havia muitos mosquitos e ratos circulavam pelo local’, disse Wang Shihua, esposa de Jicai.

“Os ventos eram uivantes e era difícil pegar no sono. Água potável e comida tinham que ser enviadas através de um barco pesqueiro”, frisou Shihua.

Wang Shihua, esposa de Wang Jicai (Xinhua)

Devido às condições difíceis, nenhum dos predecessores de Wang ficou na ilha por mais de 13 dias.

Contudo, Jicai disse que protegeria a ilha e não importava como. Essa foi uma promessa que ele manteve pelo resto de sua vida.

A cada manhã, o ato de hastear a bandeira nacional se tornou uma rotina.

Hastear a bandeira todos os dias (Xinhua)

Apesar de ser uma ilha pequena, estava na ponta de nossas águas territoriais. Quando hasteamos a bandeira, isso mostra que alguém na China está protegendo a ilha.

O casal foi homenageado como “modelos de função nacional da época” em 2014.

Os anos se passaram e foi um tempo mínimo que Jicai passou ao lado de outros membros de sua família, com exceção da esposa.

O filho de Jicai, Wang Zhiguo (Xinhua)

“Na época eu os odiava muito”, disse Wang Zhiguo.

“Eu sentia que ele tinha me dado a vida, mas não amor. Mas agora quando as memórias vêm à minha mente, eu sinto que meu pai estava nos banhando com todo o amor que ele poderia oferecer”.

Jicai dedicou toda a sua juventude ao posto militar estratégico e solitário no Mar Amarelo.

Em 27 de julho deste ano, Jicai morreu em decorrência de uma doença repentina, aos 58 anos de idade. Ele foi aclamado um herói, apesar de ter servido em um posto comum.

Após a morte de Jicai, vigias são enviados à ilha alternadamente para manter a guarda.

“A esposa de Jicai foi nomeada como supervisora honorária desse posto de guarda para que ela pudesse oferecer orientação a outros vigias”, disse Liu Jun, do departamento militar do Condado de Guanyun.

“Vamos levar à frente o espírito da Ilha de Kaishan e de Wang Jicai, e manter nossas funções”, disse Liu.

Assista ao vídeo e emocione-se com a dedicação de Wang Jicai:

Fonte: China Xinhua News

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância