Um mês depois da fuga: polícia sem pistas

Na quarta-feira completará 1 mês que o japonês Junya Hida fugiu do presídio da Delegacia de Tondabayashi, em Osaka.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Policiais instalam pôster e entregam folhetos com foto e desenho da tatuagem do fugitivo (Sankei)

Detido na Delegacia de Tondabayashi (Osaka) o japonês Junya Hida, 30 anos, fugiu depois de uma audiência com seu advogado. Prestes a completar 1 mês da fuga, a polícia local pede ajuda à população para localizá-lo.

Publicidade

Na terça-feira (11) policiais de Tondabayashi providenciaram pôsteres e folhetos. Foram para as calçadas onde há grande passagem de público para pedir informações sobre seu paradeiro.

Também estão visitando lojas de conveniência, saunas e internet cafés para perguntar aos frequentadores se Hida tem aparecido nesses locais.

O pôster e folheto têm a foto inteira do fugitivo, bem como a reprodução da tatuagem, um coelho.

O fugitivo ainda deve estar com uma motoneta preta furtada. Na semana passada deixou um bilhete na bicicleta de um conhecido de Amagasaki (Hyogo), pedindo ajuda na fuga.  

Foi instalado um telefone para ligação gratuita – 0120-224-110 – durante 24 horas com a esperança de obter informações quentes.

Segundo a polícia, já recebeu mais de 2,3 mil informações até a manhã de terça-feira. No entanto, sem pistas concretas ainda.  

Fontes: FNN e Sankei 
Fotos: Sankei 

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Casos de rubéola aumentam no Japão

Publicado em 11 de setembro de 2018, em Sociedade

Mais de 70% dos casos foram detectados em Tóquio e nas províncias próximas.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Publicidade

O número de pacientes infectados com rubéola – também conhecida como sarampo alemão – situou-se a 362, quase o dobro do ano anterior, com muitos dos casos detectados em Tóquio e províncias próximas, informou o NIID- Instituto Nacional de Doenças Infecciosas nesta terça-feira (11).

O NIID alerta que um potencial surto de rubéola pode até afetar a operação dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos no Japão em 2020 e está pedindo às pessoas, principalmente homens japoneses de 30 e 50 anos, que se vacinem, visto que muitos não foram imunizados suficientemente contra a rubéola.

O mais recente relatório, até 2 de setembro, mostrou que 75 novos casos foram relatados em uma semana, queda de 97 em relação à anterior. Desses, 28 foram em Tóquio, 11 em Chiba, 8 em Kanagawa, 7 em Aichi, 5 em Ibaraki e 5 em Saitama.

A rubéola (fushin, em japonês), doença altamente contagiosa geralmente transmitida através de gotículas da tosse e espirro, tem um impacto grave na saúde se contraída por mulheres nos estágios iniciais da gravidez, visto que ela pode causar problemas cardíacos, auditivos e de visão nos bebês.

A vacinação é eficaz na prevenção da infecção, mas as mulheres que já estão grávidas não podem ser imunizadas, visto que a vacina em si pode ter um impacto sobre o bebê.

Em 2013, o Japão vivenciou um surto de rubéola, com mais de 10.000 pessoas infectadas. Desde então, casos de infecção caíram, mas houve um ressurgimento desde julho deste ano, com muitos dos pacientes sendo homens com faixa etária de 30 anos ou mais velhos.

A rubéola

O agente etiológico da rubéola é um vírus do tipo Rubivirus que é facilmente transmitido de pessoa para pessoa através de pequenas gotículas de saliva, que podem acabar sendo distribuídas no ambiente quando alguém infectado com a doença espirra, tosse ou fala, por exemplo.

Normalmente, a pessoa com rubéola pode transmitir a doença durante cerca de 2 semanas ou até que os sintomas na pele desapareçam completamente.

Seu tratamento é apenas para controlar os sintomas, e normalmente, esta doença não tem graves complicações.

No entanto, a contaminação com rubéola durante a gravidez pode ser grave. Se a mulher nunca teve contato com a doença ou nunca foi vacinada deve fazer a imunização antes de engravidar.

Fonte: Kyodo, Japan Today
Imagem: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância