Infecções confirmadas por coronavírus passam das 11 mil China

O número de casos também está aumentando em outros lugares. Mais de 150 infecções foram confirmadas em cerca de 20 países e territórios.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Números divulgados por autoridades chinesas confirmam mais de 11 mil infectados (NHK)

Autoridades chinesas informaram que 258 pessoas morreram no país em decorrência da pneumonia causada pelo novo coronavírus, o 2019-nCoV, enquanto o número de infecções confirmadas passa dos 11 mil.

Publicidade

Em Pequim, autoridades estão intensificando medidas para combater o surto enquanto o período de feriado de Ano Novo Lunar se encerra no domingo (2) quando muitas pessoas devem retornar para áreas urbanas.

Na sexta-feira (31), autoridades emitiram um aviso às empresas para que façam seus funcionários trabalharem homeoffice até 9 de fevereiro.

Instalações na linha de salvamento e empresas que lidam com itens como alimentos e medicamentos estão excluídos da medida.

A cidade de Wuhan na província de Hubei é o epicentro do surto e instalações médicas na área estão sobrecarregadas, com mais de 30 mil pessoas por dia chegando a clínicas e hospitais.

Em algumas áreas rurais, residentes bloquearam ruas com ônibus, cercas e pedras. Eles aparentemente estavam tentando evitar que pessoas de fora trouxessem o vírus.

O número de casos também está aumentando em outros lugares. Mais de 150 infecções foram confirmadas em mais de 20 países e territórios.

Na sexta-feira (31), a Rússia confirmou seus primeiro casos de infecção em dois chineses que visitaram o país.

No fim deste sábado (1º), autoridades em Singapura devem proibir a entrada e trânsito de qualquer pessoa que esteve recentemente na China continental.

Nas Filipinas, o presidente emitiu uma ordem proibindo temporariamente a entrada de todos os viajantes de Hubei.

Fonte: NHK World

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Reino Unido deixa oficialmente a União Europeia

Publicado em 1 de fevereiro de 2020, em Notícias do Mundo

O Reino Unido entrou em uma fase de transição onde ele não mais será legalmente um membro de estado da União Europeia.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Publicidade

Reuino Unido deixa oficialmente a UE (ilustrativa PM)O Reino Unido deixou formalmente a União Europeia – UE na noite de sexta-feira (31) após quase 47 anos de adesão, preparando o caminho para novo negócios com o Japão e Estados Unidos.

O Reino Unido deixou o bloco de 28 países membros quando o relógio marcava os últimos minutos na Downing Street, residência oficial do primeiro-ministro Boris Johnson, e defensores do Brexit reunidos no lado de fora do Parlamento para celebrar o momento histórico.

Em um discurso televiviso para a nação no início de sexta-feira, Johnson disse: “Nosso trabalho como governo – meu trabalho – é unir esse país e nos fazer progredir. E a coisa mais importante a dizer esta noite é que isso não é o fim, mas um começo”.

“Esse é o momento quando anoitece e a cortina sobe para um novo ato. É um momento de renovação nacional real e mudança”, disse Johnson.

O Reino Unido entrou em uma fase de transição onde ele não mais será legalmente um membro de estado da União Europeia, mas continuará a estar sujeito às regras e regulamentos do que agora será um bloco de 27 nações.

Nos próximos poucos meses, Bruxelas (sede da UE) e Londres tentarão entrar em acordo em termos de um novo tratado de livre comércio. A meta é chegar a um acordo até o fim deste ano.

Alguns especialistas preveem que isso é muito ambicioso e esperam um acordo básico sobre comércio de produtos até dezembro após subsequentes negócios sobre serviços.

O Reino Unido está buscando uma relação de negócios livre de tarifas e cotas com a União Europeia fora da união aduaneira e mercado único.

Londres está disposta a divergir da órbita regulatória de Bruxelas em muitas áreas e visa chegar a um novo acordo de negócios com os EUA e Japão.

Bruxelas, no entanto, vem dizendo a Londres que a divergência impactará o nível de seu acesso ao mercado único no futuro.

Em um referendo de 2016, o Reino Unido votou 52-48 por cento para deixar a União Europeia e negociações formais sobre um acordo de saída em 2017.

Johnson sucedeu Theresa May como primeiro-ministro no ano passado após ela falhar três vezes para conseguir seu projeto de Tratado de Saída através do Parlamento em meio a temores que isso manteria o país em uma união alfandegária.

Em dezembro, ele ganhou uma grande maioria em uma eleição geral e desde então conseguiu ter seu próprio negócio revisado aprovado no Parlamento.

Bandeira do Reino Unido sendo retirada do prédio do Conselho Europeu:

Fonte: Kyodo

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância