Roupas da Uniqlo foram bloqueadas nos EUA

O bloqueio das camisetas relacionado a trabalho forçado em Xinjiang na China foi revelado em um documento aduaneiro dos EUA em 10 de maio.

Uma loja da Uniqlo em São Francisco, Califórnia, EUA (banco de imagens)

A agência aduaneira dos EUA bloqueou um lote de camisetas da marca Uniqlo, da Fast Retailing, em janeiro por violar uma ordem proibindo importações de itens suspeitos de terem sido produzidos por trabalho forçado da estatal Xinjiang Production and Construction Corps. da China.

Publicidade

O bloqueio das camisetas de algodão masculinas da Uniqlo, que aconteceu no Porto de Los Angeles, foi revelado em um documento da Alfândega e Proteção de Fronteira dos EUA com data de 10 de maio, em que a agência negou um recurso da Uniqlo para liberar seus produtos.

A Uniqlo é a principal marca da maior varejista de roupas da Ásia, a Fast Retailing, e fundada pelo homem mais rico do Japão, Tadashi Yanai.

O documento aduaneiro dos EUA cita que a Uniqlo havia argumentado e forneceu prova de que algodão cru usado para produzir as camisetas não se originou da Xinjiang Production.

Mesmo assim, a Uniqlo falhou em fornecer informação suficiente para definir que os itens não foram produzidos em parte por trabalho forçado na região de Xinjiang, no extremo oeste da China, de acordo com a agência aduaneira.

Não ficou claro se os EUA bloquearam outros envios da Uniqlo ou de outras marcas sob a ordem emitida pela então administração do presidente Donald Trump em dezembro.

Fabricantes globais de vestuário vêm sendo pegas em controvérsias neste ano em relação a algodão originário de Xinjiang, com consumidores chineses boicotando marcas internacionais que criticam as ações da China e governos ocidentais como o dos EUA reprimindo itens vindos da região.

A Uniqlo não tem sido um alvo principal de boicotes na China comparada à H&M.

Desde abril, havia 47 lojas da Uniqlo nos EUA. A Fast Retailing tem cerca de 809 filiais na China, que formam cerca de um quinto dos lucros da companhia.

Fonte: Japan Times

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Arco de Darwin: famosa formação rochosa das Ilhas Galápagos desmorona

Publicado em 19 de maio de 2021, em Notícias do Mundo

Imagens da estrutura, que agora tem somente 2 pilares, foram publicadas em contas da mídia social do ministério do Equador.

Arco de Darwin em novembro de 2008 (Wikimedia/obv)

O Ministério do Meio Ambiente do Equador divulgou o colapso do arco em sua página no Facebook na segunda-feira (17) e culpou a erosão natural das rochas.

Publicidade

Uma das formações rochosas mais famosas nas Ilhas Galápagos desmoronou no mar.

O topo do Arco de Darwin, localizado no norte do arquipélago, desmoronou como “consequência de erosão natural”, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente do Equador.

Imagens da estrutura, que agora tem somente dois pilares, foram publicadas em contas da mídia social do ministério na segunda-feira (17) junto com uma declaração confirmando a notícia.

Com nome em homenagem a Charles Darwin, o arco é considerado um dos melhores locais de mergulho no arquipélago no Oceano Pacífico que faz parte do Equador e localizado a centenas de quilômetros da costa do país.

O Local de Patrimônio Mundial da UNESCO, conhecido pelas suas espécies endêmicas de plantas e animais, inspiraram a teoria da evolução de Darwin.

Fonte: CNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Empregos no Japão - HUMAN