Okinawa entrou na sétima onda de infecção e pode pedir medidas prioritárias

Com o aumento dos novos casos nos últimos dias, o governador disse reconhecer que Okinawa entrou na sétima onda.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Imagem ilustrativa de gráfico subindo e coronavírus (MaxPixel e Pixabay)

O governador da província de Okinawa, Denny Tamaki, disse na quinta-feira (7) que “entramos na 7.ª onda” e expressou sua intenção de solicitar a aplicação das medidas prioritárias para prevenção da propagação do coronavírus.

Publicidade

“Dado que o número de novos casos em todas as faixas etárias está aumentando, temos que reconhecer que já entramos na 7.ª onda”, declarou.

Desde 29 de março os números de testados positivo ultrapassam 900 por dia, sendo que na quarta e quinta-feira foram superiores a 1,3 mil.

Na quinta-feira o índice de infecção a cada 100 mil habitantes chegou a 540, o dobro da média nacional, de 262. Assim, voltou a ser o pior do país, como no começo da sexta onda.  

Governador Denny Tamaki (FNN)

Tamaki lamentou que se os novos casos diários continuarem subindo terá que pedir para a população local abster-se de sair sem necessidade, inclusive no feriado de Golden Week.

Ele apelou para os residentes locais para evitar contato com os idosos com possibilidade de adoecerem e também frear as saídas para comer e beber em restaurantes e bares em grande número de pessoas.

Fontes: Mainichi, FNN e News Digest

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Japão vai reduzir importações de carvão russo

Publicado em 8 de abril de 2022, em Sociedade

O carvão russo constitui 13% do total usado para geração de energia no Japão.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Guindastes no Porto de Vyborg, na Rússia, e carvão para carregamento no trem de carga (ilustrativa/banco de imagens)

O Japão reduzirá importações de carvão russo como parte de sanções sobre Moscou pela sua invasão na Ucrânia, disse o ministro da Indústria nesta sexta-feira (8), juntando-se ao Grupo das 7 Nações Industrializadas na ação.

Publicidade

O ministro Koichi Hagiuda disse em uma coletiva de imprensa regular que o Japão reduzirá gradualmente a quantidade importada da Rússia e eventualmente acabará com a dependência sobre o carvão russo, dizendo, “Buscaremos no final parar a importação”.

O primeiro-ministro Fumio Kishida deve anunciar sanções adicionais sobre a Rússia, incluindo detalhar as restrições sobre importação de carvão, em uma coletiva de imprensa no fim da tarde desta sexta-feira.

O carvão russo constitui 13% do total usado para geração de energia no Japão.

O Japão, que é pobre em recursos naturais, tem tomado uma abordagem cautelosa sobre sanções contra a energia russa, mas avançou com outras nações ocidentais após indignação internacional causada por imagens de civis mortos em ruas na Ucrânia.

Na quinta-feira (7), a União Europeia concordou sobre uma proibição na importação de carvão russo.

Fonte: Mainichi

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência