Homem é encontrado ferido a facadas em frente ao apartamento em chamas

A polícia e os bombeiros foram ao local por causa de um incêndio visto por uma pessoa da vizinhança, mas também encontraram um homem ferido a facadas.

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Pais revoltados com maternal que revelou abusos com bebê só 3 meses depois

Publicado em 1 de dezembro de 2022, em Sociedade

Segundo os relatos, foram 3 professoras que cometeram uma lista de 15 tipos de abuso contra um aluninho de apenas 1 ano.

Maternal Sakura Hoikuen, onde ocorreram os abusos contra um bebê (FNN)

Em um maternal e jardim de infância situado na cidade de Susono (Shizuoka), o Sakura Hoikuen (さくら保育園), descobriu-se que 3 professoras cometeram abusos contra um bebê, de 1 ano de idade.

Publicidade

Segundo os relatos, elas seguraram repetidamente o bebê pelas pernas, deixando-o de cabeça para baixo; xingavam de “feio”, apontavam estilete, colocavam-no dentro do depósito, batiam a cabeça dele com prancheta, entre outros atos de violência. 

Esses atos de abuso teriam ocorrido entre junho e agosto deste ano, descobertos porque uma das colegas denunciou o que viu à diretoria.

Mesmo diante da gravidade, a instituição só realizou uma reunião explicativa 3 meses depois, na terça-feira (29), com cerca de 30 tutores das crianças.

O clima ficou pesado, pois os pais começaram a questionar mais e mais, com razão. Perguntaram “se fosse com seu filho, o que fariam?” ou se ouviu “estou desesperada para me conter, mas minha vontade é de socar vocês agora”. Pediram para trazer as 3 professoras e a resposta que veio da diretoria é que uma delas sequer atende à porta.

Diretores do maternal em reunião com os pais dos alunos (FNN)

A reunião terminou sem explicações dos motivos do comportamento problemático das professoras do maternal ou qual foi a criança que sofreu o abuso ou que tipos de violência foram, deixando os tutores revoltados.  

Relatos de 15 tipos de abuso e “cala-boca”

Na prefeitura da cidade de Susono foi realizada uma reunião na quarta-feira (30) e a informação é de que será realizada uma auditoria. Se forem confirmadas essas atitudes de abuso, considera-se fazer acusação criminal contra essas 3 professoras, na faixa dos 30 aos 40 anos.

Uma delas pediu demissão, segundo o maternal privado, e as outras duas consideram sair, sendo que uma delas é contratada por tempo determinado e a outra é efetiva.

Segundo os resultados de um levantamento interno, foram cometidos 15 atos de abuso diferentes, tudo “em nome da disciplina”, justificaram as 3 professoras nessa ocasião.

No entanto, essa instituição particular fez as demais professoras e os funcionários assinarem um termo de confidencialidade desses abusos, de forma que o caso não vazasse para fora. Assim, a prefeitura avalia que a instituição escondeu os fatos e considera analisar como caso criminal.

Afinal, além de esconder os abusos dos pais dos alunos, uma criança, ainda bebê, de apenas 1 ano, é totalmente indefesa e tampouco pode narrar o que sofreu. 

Fontes: Asahi, ANN e FNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros