Recorde de jornalistas detidos no mundo: 533 em 2022

O relatório mostra os abusos e violências contra repórteres e jornalistas do mundo que estão em campo para levar as informações sempre atualizadas.

Imagem meramente ilustrativa de homem preso (Pexels)

A associação internacional Repórteres sem Fronteiras (RSF), com sede em Paris, na França, anunciou que 2022 teve um novo recorde, de 533 jornalistas detidos em todo o mundo, de acordo com o relatório anual de violência e abusos contra os profissionais da informação.

Publicidade

As mulheres agora representam quase 15% dos jornalistas detidos, em comparação com menos de 7% cinco anos atrás.

Segundo o relatório publicado na quarta-feira (14), do período entre 1.º de janeiro a 1.º de dezembro de 2022, esse número aumentou 13,4% em relação ao ano anterior.

“O número de mortos voltou a aumentar este ano – para 57 – enquanto 65 jornalistas são mantidos como reféns e 49 estão desaparecidos”, segundo o texto divulgado. Oito das 57 pessoas que morreram foram vítimas da invasão russa na Ucrânia.

A China teve o maior número de detidos, com 110. Myanmar vem em segundo com 62, seguida do Irã, com 47 jornalistas. “A China, onde a censura e a vigilância atingiram níveis extremos, continua a ser o maior carcereiro de jornalistas do mundo”, descreve. “A República Islâmica do Irã, tornou-se o terceiro maior carcereiro de jornalistas do mundo apenas um mês após o início dos protestos em massa”, pontuou.

“Os regimes ditatoriais e autoritários estão enchendo suas prisões mais rápido do que nunca, prendendo jornalistas. Este novo recorde no número de jornalistas detidos confirma a necessidade premente e urgente de resistir a estes governos sem escrúpulos e de estender a nossa solidariedade ativa a todos aqueles que personificam o ideal de liberdade jornalística, independência e pluralismo”, protestou Christophe Deloire, secretário-geral do RSF.

Fontes: NTV e RSF

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Fugitivo é procurado há 9 anos: recompensa de até 1 milhão de ienes

Publicado em 15 de dezembro de 2022, em Sociedade

Para captura do ladrão fugitivo, procurado em todo o país, a polícia está oferecendo recompensa.

Fugitivo japonês, na lista dos procurados sob recompensa (YTV)

O japonês 宮内雄大, 47 anos, é um procurado da polícia desde 2013, quando foi preso e ao levá-lo para a Delegacia de Kusakabe, na cidade de Yamanashi (província homônima), escapou quando desceu da viatura policial.

Publicidade

Em fevereiro de 2013 ele invadiu uma casa na cidade de Yamanashi, feriu uma pessoa e roubou o dinheiro. 

No dia seguinte à fuga, as câmeras de segurança de uma loja de conveniência de Komagane (Nagano), registraram suas imagens, mas depois disso a polícia o perdeu de vista. 

O fugitivo Miyauchi está na lista de procurados em todo o país desde então. A associação dos policiais aposentados de Yamanashi providenciou uma recompensa de até 1 milhão de ienes para quem fornecer uma informação precisa para prendê-lo. 

O prazo para o oferecimento dessa recompensa venceria em 20 deste mês, mas a polícia de Yamanashi o estendeu por mais um ano, segundo anúncio de quarta-feira (14).

As informações podem ser oferecidas para a Delegacia de Polícia de Kusakabe através dos telefones 0553-22-0110 e 0120-114-087 (ligação gratuita).

Pôster divulgado pela polícia, à procura do fugitivo japonês (YTV)

Fontes: YTV e NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros