O que comer nos horários dos lanches

Aprenda o que comer nos intervalos das refeições que não afetem seu objetivo de emagrecimento ou saúde.

Imagem ilustrativa (PM)

Quando se trata de escolher um lanche para o intervalo, surgem diversas dúvidas sobre como fazê-lo sem comprometer nossos objetivos de emagrecimento e saúde. O propósito do famoso “lanchinho” é manter nossa saciedade por aproximadamente 2 a 3 horas, até a próxima refeição principal do dia, seja o almoço ou o jantar. Portanto, é crucial evitar o excesso calórico no lanche do intervalo, a ponto de prolongar a sensação de saciedade para além do horário das refeições principais.

Publicidade

É de extrema importância que nossas principais refeições sejam equilibradas em termos nutricionais. Consumir o lanche de forma inadequada pode perturbar esse equilíbrio e criar hábitos não saudáveis que podem prejudicar a longo prazo.

Os 12 lanches ideais incluem:

  • Frutas frescas, como banana, pera, maçã, ameixa, pêssego ou uma salada de frutas, acompanhadas de ingredientes saudáveis como granola, aveia, linhaça, iogurte ou mel.
  • Oleaginosas, como amêndoas, amendoim, avelãs, castanhas, macadâmia e nozes. Lembre-se de controlar a quantidade, pois uma unidade de castanha equivale a 30 calorias.
  • Frutas secas, como damasco, ameixa, figo ou banana. Também é importante controlar a quantidade, pois uma unidade de damasco contém 30 calorias.
  • Frutas desidratadas, como maçã, banana, abacaxi ou uva passas.
  • Chips de legumes desidratados.
  • Iogurte ou coalhada, de preferência os mais magros ou desnatados.
  • Sucos de frutas naturais, smoothies ou vitaminas com leite.
  • Snacks de legumes, como cenoura baby, pepino, salsão ou tomate cereja.
  • Chá acompanhado de torradas, cuscuz, tapioca ou pão, com queijo Minas frescal, patês caseiros ou geleias.
  • Gelatina, de preferência à base de ágar ágar ou mocotó.
  • Milho cozido ou tubérculos, como batata-doce cozida.
  • Chá ou água de coco com biscoitos integrais.

Lembrando que, para escolhas mais personalizadas, é fundamental consultar um nutricionista. Assim, podemos garantir que nossos lanches sejam tanto saborosos quanto benéficos para nossa saúde a longo prazo. Cuide da sua saúde e mantenha o equilíbrio nutricional com opções saborosas.

Nutricionista Silvia Tsutsumi –  WhatsAppInstagram

Veja também: Dicas nutricionais contra a celulite: sua saúde e estética em sintonia!

Para quem busca orientações sobre nutrição e planos de dietas alimentares personalizados, entre em contato com a Silvia. Faça uma consulta e tenha suporte de uma profissional qualificada. Há planos específicos para quem mora no Japão.

WhatsApp - Instagram

Para quem busca orientações sobre nutrição e planos de dietas alimentares personalizados, entre em contato com a Silvia. Faça uma consulta e tenha suporte de uma profissional qualificada. Há planos específicos para quem mora no Japão.

Os textos publicados nesta página não refletem necessariamente a opinião do Portal Mie, são de criação e responsabilidade do autor Nutricionista Silvia Tsutsumi


– Pós-graduada em Nutrição do Nascimento a Adolescência pelo Centro Universitário São Camilo – SP
– Formada em Nutrição há 14 anos, onde concluí com Honra e Mérito, sendo homenageada como 1º lugar no curso pela Reitoria.
Tive a oportunidade de viver uma experiência incrível trabalhando em uma creche no Japão. Essa experiência me permitiu aprender muito sobre alimentação saudável, principalmente para crianças.
Atualmente moro no Brasil, atendendo via teleconsulta brasileiros que moram em diversos países, mas em especial no Japão. Hoje mais de 1000 vidas foram transformadas.

WhatsApp: +55 11 97315-7409 (toque para conectar)

Site: www.nutricionistasilviatsutsumi.com

Instagram: @nutricaovivida

Twitter: @Nutricaovivida

Facebook: Nutrição Vivida

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Síndrome de Burnout, a difícil tarefa de adequar o trabalho ao bem-estar

Publicado em 30 de setembro de 2023, em Eliana A. C. I. Nonaka

Lutando contra o cansaço extremo, estresse crônico e exaustão no trabalho? Descubra como identificar, prevenir e tratar a Síndrome de Burnout.

Imagem ilustrativa (PM)

Desde meados da década de 1980, brasileiros descendentes de japoneses, realizam o movimento imigratório Brasil/Japão, por inúmeros motivos tais como: a diferença socioeconômica entre os países, o critério segurança, o desemprego, os baixos salários no Brasil e até mesmo uma curiosidade ou necessidade de experienciar a vida no país de origem dos seus ascendentes.

Publicidade

O trabalho exerce um papel de destaque na vida das pessoas, ele fala muito sobre o que somos. Para muitos é a via de alcance de sonhos e objetivos. É uma atividade que ocupa grande parte do tempo na vida das pessoas em sociedade. Podemos notar que frente ao cenário econômico atual, o trabalho passou a ser muito mais uma fonte de subsistência do que de criação ou transformação. Muito mais uma necessidade do que uma forma de realização pessoal.

Pessoas em todo o mundo passaram a buscar cada vez mais ajuda na clínica psicológica, inclusive os brasileiros que trabalham no Japão, apresentando como queixa sintomas de esgotamento físico e emocional associados a condições do trabalho, sugerindo assim um possível quadro de burnout.

O termo burnout é utilizado no jargão popular inglês para significar aquilo que deixou de funcionar por total falta de energia. Herbert J. Freudenberger (médico, psicólogo e psicanalista) foi o primeiro a utilizar esse termo, em 1974 no seu artigo Staff Burn-out, alertando a comunidade científica acerca dos problemas a que profissionais da saúde estariam expostos em decorrência de seu trabalho. Interesse que surgiu a partir da percepção de sintomas de esgotamento profissional dele mesmo e da sua equipe no trabalho intenso e de poucos resultados alcançados com dependentes químicos.

A síndrome de burnout ou síndrome do esgotamento profissional, é um distúrbio psíquico que consiste em tensão emocional e estresse crônico resultantes de um trabalho intenso, onde o trabalhador prioriza as necessidades de outras pessoas e acaba por negligenciar as suas próprias.

O sujeito inicia suas atividades em uma empresa repleto de esperanças, dedicação e engajamento, esse mesmo sujeito vai perdendo o entusiasmo e começam a surgir alguns sintomas, mas vejam, segundo Carlotto; Gobbi, 1999, esse tempo é diferente para cada um, pode ser de anos ou até mesmo décadas. Assim, podemos entender que o burnout é uma resposta individual relacionada diretamente ao ambiente de trabalho, não se dá imediatamente, ele ocorre de forma gradual, manifestando-se através de vários sinais na condição física e psicológica.

Sintomas Físicos

A exaustão é a característica mais marcante no quadro de esgotamento profissional, soma-se ao cansaço físico e mental, dores musculares, insônia, trato gástrico alterado ocasionando possível desregulação a nível de neurotransmissores e batimentos cardíacos acelerados com elevação da pressão arterial e sudorese.

Sintomas Psicológicos

A saúde mental fica bastante comprometida, o sujeito tem as suas atividades rotineiras afetadas, tendência ao isolamento, diminuição da autoestima, sentimento de incapacidade e resposta cognitiva alterada, além da dificuldade de concentração, irritabilidade e oscilação de humor.

A vida de trabalho no Japão está longe de ser a ideal, não é mesmo? Muita exigência, pressão, controle, certos ambientes de trabalho com condições insalubres, muitas horas de trabalho e muito poucas horas de sono.

Como pensar em saúde e bem-estar quando ambos são afetados pelo excesso de atividades laborais e metas produtivas tão altas?

O tratamento e a prevenção para a síndrome de burnout podem ser realizados com a ajuda psicológica ou em parceria com o médico quando a medicação se faz necessária. O profissional da psicologia é capaz de identificar os sintomas e os possíveis gatilhos emocionais que resultam nesse quadro.  Profissional e paciente poderão caminhar juntos na criação de estratégias de alívio das cargas emocionais envolvidas, na capacitação da leitura dos ambientes estressores e como lidar melhor com eles, no emprego de estratégias de relaxamento e no autoconhecimento necessário para o fortalecimento do eu e um melhor posicionamento diante do mundo e do outro.

Não se deixe para depois, ao perceber que algo não está bem busque ajuda psicológica ou médica.

Boas reflexões!

Eliana Nonaka (toque para conectar no Facebook) ou (toque para conectar no Whatsapp).

Se deseja conversar, desabafar ou busca orientações, entre em contato com a autora e solicite atendimento online. É mais prático e eficaz do que se imagina. Link no card abaixo.

Leia também: A felicidade: uma busca constante

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - junto a comunidade no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!