Número de crimes no Japão cai para o menor nível em mais de 70 anos

Mais empregos e coordenação mais próxima entre voluntários locais e a polícia são alguns dos fatores que contribuem para a diminuição de crimes.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

O número de crimes registrados caiu para 915.042 ano passado, o nível mais baixo na era pós-guerra (imagem ilustrativa)

O número de crimes no Japão está diminuindo em meio a mais longa expansão econômica em quase três décadas.

Publicidade

De acordo com a reportagem do Bloomberg, o número de crimes registrados caiu para 915.042 no ano passado, o nível mais baixo na era pós-guerra, segundo dados divulgados pela ANP- Agência Nacional de Polícia no início deste mês.

Isso ocorre enquanto a economia da nação presenciou sua faixa de crescimento sustentado mais longa em quase 30 anos, que reduziu a taxa de desemprego para 2,8%.

“A recuperação econômica está ajudando na redução de crimes”, disse Akiyoshi Takumori, economista-chefe do Sumitomo Mitsui Asset Management Co. “A necessidade de roubar diminui quando se tem um emprego seguro”.

Há outros fatores para a queda no crime – coordenação mais próxima entre voluntários locais e a polícia, e o uso mais amplo de câmeras de vigilância tem auxiliado na prevenção, de acordo com a ANP.

Contudo, Masayuki Kiriu, professor de psicologia social na Universidade de Toyo em Tóquio, disse que as formas de crimes estão mudando. Ao invés de roubar um cofre ou banco, os criminosos estão tentando levar vantagem do crescente número de idosos, que geralmente possuem mais patrimônios financeiros.

Tem sido registrado um aumento no chamado “esquema dos avós” em que um criminoso liga para uma pessoa idosa, fingindo ser um parente – geralmente filho ou neto – em perigo, e pede dinheiro.

Fonte: Bloomberg
Imagem: Bank Image

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Adoçantes no Japão: guia de opções para compra

Publicado em 23 de fevereiro de 2018, em Sociedade

Existem dezenas de tipos de adoçantes, desde os encontrados na natureza, os processados e os artificiais. Saiba os que você pode encontrar no Japão.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Adoçantes naturais como de palmeiras até os sintéticos para dieta e diabetes

Os adoçantes encontrados no Japão são os mundialmente conhecidos, classificados em naturais, processados, artificiais e em suplementos.

Publicidade

Os naturais são os encontrados nas plantas ou extraídos biotecnologicamente, como glicose, isomaltose, sacarose, oligosacarose, lactose, xilitol, entre outros.

Esta matéria tem a finalidade de servir de guia para sua compra, sem julgamento dos produtos, se fazem bem para a saúde ou não.

Adoçantes naturais ou açúcares

Você pode escolher entre esses edulcorantes ou açúcares produzidos a partir dos recursos naturais e facilmente encontrados no Japão. Conhecendo os nomes em japonês fica fácil para fazer a compra.

Açúcares branco, cristalizado e caramelizado e o mascavo, todos populares

  • Açúcar da cana-de-açúcar ou beterraba (砂糖, lê-se sato) e é o refinado, em cristal fino ou em grãos secos, como o do Brasil
  • Quase açúcar mascavo (和三盆, lê-se wasanbon): é produzido em Shikoku, tem um sabor parecido como açúcar mascavo, de cor amarelo pálido e caracteriza-se por partículas finas e fácil de dissolver. É considerado um açúcar sofisticado
  • Mascavo (黒糖, lê-se kurozato) é produzido a partir da cana-de-açúcar, especialmente em Okinawa e em Kagoshima. Sua coloração varia do marrom claro ao quase preto, tanto em pedras – parecidas com a rapadura – como granulado ou em pó
  • Espécie de cristal japonês (三温糖, lê-se san-oto) é um granulado, com coloração de caramelo
  • Mel de abelhas (蜂蜜, lê-se hachimitsu)
  • Xarope de maple (メープルシロップ), é produzido a partir da árvore maple, tanto no Canadá quanto nos Estados Unidos. No Japão é muito usado para fazer doces ou como cobertura de panquecas, junto com manteiga
  • Xarope de agave (アガベシロップ) é originário do México, extraído da planta de mesmo nome. Em espanhol o nome é aguamiel, é tão doce quanto o mel, mas não tão denso

O da esq. é o xarope de agave e o da dir. é o de maple

  • Açúcar da palmeira ou do coco (パームシュガー) é encontrada nas lojas que vendem produtos asiáticos e também nos supermercados. Está em alta por ser mais saudável que o açúcar refinado

Em destaque no mundo, o açúcar obtido das palmeiras, incluindo as de coco

  • Melaço (糖蜜, lê-se tomitsu) é o mesmo encontrado em diversas países do mundo, inclusive no Brasil
  • Mizuame (水飴) é largamente utilizado na culinária doce do Japão. É uma espécie de xarope feito pela sacarificação de amido com ácido ou enzima de sacarificação. É uma mistura de glicose, maltose, dextrina e outros
  • Xarope de milho com alto teor de frutose (ブドウ糖果糖液糖, lê-se budotokatoekito), podendo ser usado o amido da batata ou batata doce para sua produção. É muito usado para fazer doces

Mizuame pode ser transparente como pode ter cor de caramelo

Biotecnologicamente produzidos

Os adoçantes mais famosos produzidos a partir das plantas, e encontrados no Japão são: stévia (ステビア), xilitol (キシリトール), sorbitol (ソルビトール), extrato de Glycyrrhiza (甘草抽出物, lê-se kanzo chushutsubutsu), extrato de Siraitia (羅漢果抽出物, lê-se rakanka chushutsubutsu), uma planta originária da Ásia, usada para tratamento de doenças como a diabetes, obesidade e problemas de saúde relacionados com os rins ou fígado, entre outros.

Adoçantes sintéticos

São os mesmos encontrados no Brasil e em outros países, produzidos através de processos industriais. São o acesulfame-k, aspartame, ciclamato, lactitol, lisozima, neotame, polidextrose, sacarina, sorbitol ou sucralose. No meio da lista abaixo tem também o adoçante de stévia por ser uma das opções dos consumidores japoneses que querem controlar o consumo de açúcar comum. Outros são os sintéticos, muito usados por quem quer fazer dieta ou precisa reduzir o consumo do açúcar comum por causa de doenças como diabetes.

Livita

Conhecido como パルスイートtem 3 versões: líquida, em pó para adoçar as bebidas e outro granulado para o preparo culinário. Os 3 produtos tem assinatura da Ajinomoto e fabricados pela Taisho. A embalagem líquida tem 600ml e custa em torno de 1.100 ienes, o pacote com 100 sticks para adoçar bebidas custa em torno de 800 ienes e o pacote com 200g para temperar a comida custa em torno de 900 ienes.

Adoçante Nichiga

O fabricante anuncia que adoça dez vezes mais que o açúcar. É composto de dextrina combinada com stévia. O pacote com 200g pode ser adquirido por cerca de mil ienes na Amazon.

Stévia da LohaStyle

O fabricante informa que adoça duas vezes mais que o açúcar e o produto é de stévia. Pode ser usado para adoçar bebidas quanto usado para fins culinários. O pacote com meio quilo custa em torno de 1,6 mil ienes.

Dextrina

O fabricante envia junto uma colher com 5,5g para facilitar a medida. A recomendação é usar no máximo 10g por dia. O pacote com 2Kg custa em média 3.240 ienes.

Sucralose Sweetopia

O fabricante garante que o sabor é próximo ao do açúcar, adoça 3 vezes mais e pode ser usado em bebidas quanto para o preparo dos pratos preferidos. O pacote com 800g custa 2.100 na Rakuten (スイートピア スクラロース).

Sugar Cut Zero

É um adoçante com zero de calorias e açúcar. É feito de hidratos de carbono eritritol obtidos por fermentação de glicose e sucralose, por isso tem doçura natural semelhante ao açúcar. Voltado para quem quer limitar calorias. O pacote com 500g custa 1.569 ienes na Rakuten.

Linha Lakanto

Extraído do milho, o edulcorante é natural para oferecer baixíssima caloria para o usuário. Pode ser encontrado nas formas líquida, granulada ou em torrões, nos supermercados e farmácias. Um pacote de 150g no supermercado o preço sugerido é de 570 ienes, na forma líquida, o frasco de 280g custa 551 ienes.

Fontes: Diabetes Resource Guide Japan, Amazon, Rakuten, Woman Navi e Kininaru
Fotos: Amazon e fabricantes

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância