Em novo acordo, Japão importará 2 milhões de toneladas de gás natural de Omã por ano

O Japão, que depende de GNL para cerca de 40% da geração de eletricidade, vem se engajando em esforços diplomáticos para garantir fontes de gás de vários países.

Navio transportando GNL (ilustrativa/banco de imagens)

As empresas comerciais japonesas Mitsui & Co., a Itochu Corp, e a companhia de eletricidade Jera Co., entraram em acordo na terça-feira (27) com Omã para comprar cerca de 2.35 milhões de toneladas de gás natural liquefeito (GNL) por ano do país do Oriente Médio, disse o Ministério da Indústria do Japão.

Publicidade

Contra o cenário de interrupções no fornecimento de energia devido à invasão da Rússia à Ucrânia, a exploradora de petróleo e gás Inpex Corp. também anunciou no mesmo dia que assinou um acordo de 20 anos com a Venture Global LNG para adquirir 1 milhão de toneladas de gás por ano dos EUA, um dos maiores exportadores do mundo.

“É extremamente significativo em termos de segurança de energia, visto que seremos capazes de garantir fornecimento estável de GNL tanto em quantidade como qualidade em uma base a longo prazo”, disse o ministro da Indústria Yasutoshi Nishimura em uma coletiva de imprensa.

Em meio a preocupações com a segurança, o governo do Japão, que depende de GNL para cerca de 40% da geração de eletricidade, vem se engajando em esforços diplomáticos para garantir fontes de gás de vários países.

Fonte: Mainichi

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Homem com 102 filhos decide parar de aumentar família devido ao ‘custo de vida’

Publicado em 28 de dezembro de 2022, em Notícias do Mundo

O ugandense Musa Hasahya, de 67 anos, pediu as suas 12 esposas que começassem a usar métodos contraceptivos para que a família pudesse comprar mais comida.

Ilustrativa (banco de imagens)

Um agricultor ugandense que tem 102 filhos e 568 netos decidiu parar de aumentar a família devido ao “alto custo de vida”.

Publicidade

Musa Hasahya, de 67 anos, de Lusaka, pediu as suas 12 esposas que começassem a usar métodos contraceptivos para que a família pudesse comprar mais comida, divulga o site The Sun.

Minha renda foi diminuindo ao longo dos anos devido ao alto custo de vida e minha família se tornou maior e maior”, disse ele.

“Eu me casei com uma mulher atrás da outra”.

“Como um homem pode se satisfazer com apenas uma mulher?”.

A poligamia é permitida em Uganda, mas todas as esposas de Musa são monitoradas na mesma casa para evitar que elas fujam com outros homens.

Somando às pressões financeiras, Musa não pode mais trabalhar devido a sua saúde debilitada, e duas de suas esposas o deixaram por problemas financeiros.

Zulaika, sua esposa mais jovem e mãe de 11 de seus filhos, disse: “Não vou ter mais nenhuma criança”.

“Eu vejo a situação financeira ruim e agora estou tomando pílula”.

Mas contraceptivos são um tabu no país, visto que eles são ligados à promiscuidade.

As idades dos filhos de Musa vão de 6 a 51 anos, com o primogênito sendo 21 anos mais velho do que Zulaika.

Cerca de um terço dos filhos de Musa vive com ele em sua fazenda.

Fonte: Metro UK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros