China critica Japão pela decisão de liberar água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar

A China reagiu à decisão do Japão em liberar a água tratada da usina nuclear, com planos de descartá-la no oceano.

Imagem ilustrativa da Usina Nuclear de Fukushima (JNN)

O governo da China criticou fortemente a decisão do governo do Japão de liberar a água tratada da usina nuclear Fukushima Daiichi da Tokyo Electric Power Company (Tepco) no oceano, nesta primavera ou no verão, chamando-a de “atitude extremamente irresponsável”.

Publicidade

Em reunião ministerial realizada na sexta-feira (13), o governo japonês anunciou que a água tratada da Usina Nuclear de Fukushima Daiichi será lançada no oceano, na primavera ou no verão deste ano. Será feita após a conclusão da construção da instalação de descarga e inspeção pelo Comitê de Regulação Nuclear.  

Em reação a esse anúncio, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, criticou veementemente o lado japonês em uma entrevista coletiva na segunda-feira (16).

“O lado japonês forçosamente permitiu o plano de liberar água contaminada da usina nuclear no oceano, mas esta é uma maneira extremamente irresponsável de fazer as coisas”, criticou.

“O lado chinês expressou sérias preocupações sobre o impacto no meio ambiente e na saúde das pessoas, mas o lado japonês não forneceu uma explicação científica sobre a eficácia do equipamento de purificação”, apontou Wang. 

“O Japão não deve liberar a água da usina nuclear no mar sem consultar os países vizinhos e as organizações internacionais”, criticou o porta-voz.

Fonte: JNN 

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Um minuto de silêncio às vítimas do Grande Terremoto Hanshin-Awaji ocorrido há 28 anos

Publicado em 17 de janeiro de 2023, em Sociedade

Esse terremoto ocorrido em 1995 foi destruidor: 6.434 pessoas morreram, entre elas diversos estrangeiros, incluindo brasileiros.

Família reunida para o memorial das vítimas do terremoto (NHK)

Às 5h46 de 17 de janeiro de 1995 ocorreu o Grande Terremoto Hanshin-Awaji, o qual devastou a cidade de Kobe (Hyogo) e arredores.

Publicidade

Há 28 anos, 6.434 vidas foram ceifadas, entre elas 8 brasileiros que moravam perto do epicentro. Estrangeiros de outros países também foram vítimas fatais.

Uma das milhares de cenas doloridas do terremoto (Wikimedia)

O forte terremoto causou uma série de desabamentos de casas, edifícios danificados, incêndios e destruições de vias expressas e outros. 

No Parque Higashi Yuenchi em Chuo-ku, cidade de Kobe, uma reunião memorial foi realizada por um comitê executivo composto por grupos de cidadãos e pela prefeitura.  

Velas com a escrita ‘musubu’ (NHK)

Sob a luz de muitas velas com a escrita むすぶ (musubu), as pessoas ofereceram um minuto de silêncio.

A palavra むすぶ expressa o desejo de transmitir a sabedoria e as lições aprendidas pelas pessoas que vivenciaram o desastre para as gerações que não conhecem as consequências do terremoto dessa magnitude.

Também foi realizada uma cerimônia ecumênica, em uma igreja católica, em Nagata-ku, Kobe, em oração, além das religiões e nacionalidades das vítimas

Um minuto de silêncio em memória das vítimas do terremoto (NHK)

Fonte: NHK 

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros