Coreia do Norte anuncia que míssil balístico lançado era uma versão melhorada

A Coreia do Norte anunciou que obteve sucesso no lançamento da nova versão de mísseis balísticos. Veja mais.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Imagem/Reprodução: AFP/Getty Images

Por volta 5h28 de domingo (14), a Coreia do Norte lançou um míssil balístico na direção do Mar do Japão. O míssil foi lançado de Kusong, ao noroeste de Pyongyang, e voou cerca de 800 quilômetros antes de cair. O míssil subiu a 2000km, sendo o primeiro que atingiu essa altitude tão elevada.

Publicidade

Na manhã de segunda-feira (15), através de uma mídia nacional, Kim Jong-Un anunciou que obteve sucesso no lançamento da nova versão do míssil balístico de médio alcance “Hwasong-12″. O lançamento nuclear foi supervisionado pelo líder norte-coreano.

O Rodong Sinmun, “jornal do trabalho” da Coreia do Norte, datado para o dia 15, publicou uma extensa matéria sobre o lançamento. Nessa matéria, foram publicadas imagens do lançamento do míssil a partir de uma plataforma móvel e do estágio final da construção em uma instalação militar.

Esse lançamento utilizou a trajetória planeada, que eleva a altitude alcançada pelo míssil a partir de um lançamento com um ângulo maior do que o normal. Kim Jong-Un falou que “o lançamento também levou em conta a segurança dos países vizinhos”.

A matéria do Rondong Sinmun explicou que o míssil atingiu a altitude de 2111km e, após percorrer 787km, caiu exatamente no local previsto.

Após o lançamento do míssil, Kim Jong-Un declarou: “Os EUA e as zonas estratégicas do Oceano Pacífico estão dentro de nossa área de ataque”.

Segundo a CNN News, a agência oficial norte-coreana (KCNA) noticiou que o lançamento desse míssil balístico “visava analisar os detalhes táticos e tecnológico do míssil balístico desenvolvido recentemente, que é capaz de transportar uma grande ogiva nuclear”.

Fonte: NHK News

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Aumentam os casos de infecção por Anisakis associadas ao consumo de peixe cru

Publicado em 15 de maio de 2017, em Saúde, Bem-Estar e Cotidiano

A infecção por Anisakis está associada ao consumo de peixe cru ou mal cozido. Saiba mais.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

A infecção por Anisakis está associada ao consumo de peixe cru ou mal cozido (NHK)

O Ministério da Saúde emitiu um aviso oficial sobre o número crescente de infecções por Anisakis (アニサキス), associadas ao consumo de peixe cru ou mal cozido.

Publicidade

As larvas do parasita de cor branca em formato de cordão têm cerca de 5mm de largura e até 3cm de comprimento. Elas são geralmente encontradas em espécies como cavalinha (saba), salmão, sanma, sardinha e lula.

De acordo com o ministério, o número relatado de infecções por Anisakis aumentou de 79 em 2013 para 126 em 2016. Houve somente quatro casos em 2004.

Normalmente os sintomas incluem fortes dores abdominais, náusea, vômito, febre baixa e podem se desenvolver dentro de 1 hora a 2 semanas após consumir o peixe infectado. Aqueles que sentirem muita dor abdominal devem procurar atendimento médico e se for constatada a infecção por Anisakis, o parasita é retirado com o uso de endoscópio.

De acordo com um estudo de 2008 publicado no jornal americano Clinical Microbiology Reviews, o Anisakis também pode induzir reações alérgicas e hipersensibilidade imunológica.

O ministério pede aos consumidores que mantenham o peixe congelado a uma temperatura abaixo dos 20 graus por pelo menos 1 dia, ou aqueça-o por 1 minuto em temperaturas que excedam 60 graus, o que deve matar as larvas.

Keiko Saito, agente do ministério, pede aos consumidores que verifiquem cuidadosamente os frutos do mar antes de comprá-los ou consumi-los.

“Sugerimos aos consumidores que compram o peixe cru inteiro que removam os órgãos internos, onde as larvas geralmente se encontram”, disse Saito. “É provável que haja várias delas nos intestinos”.

Hiromu Sugiyama, agente do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas, disse que cada vez mais frutos do mar sendo transportados crus ao invés de congelados podem ser a causa do aumento acentuado no número de infecções.

Fonte: Japan Times
Imagem: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância