OMS sugere que não há necessidade de nova vacina contra a ômicron

A posição da OMS é que uma distribuição global justa de vacinas para países em desenvolvimento ajudará a acabar com a pandemia.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

A Pfizer e a Moderna indicaram que estão desenvolvendo vacinas específicas contra a ômicron (ilustrativa/banco de imagens)

A Organização Mundial da Saúde – OMS sugeriu que não há necessidade neste momento de desenvolver novas vacinas para lidar com a variante ômicron da covid-19.

Publicidade

O diretor executivo do Programa de Emergências da Saúde da OMS, Michael Ryan, comentou sobre vacinas contra covid-19 em uma coletiva de imprensa na terça-feira (18).

Ryan disse que a maioria das vacinas originais continuam “eficazes contra a variante ômicron em termos de prevenir hospitalizações e mortes”.

Ele disse que a OMS não tem intenção imediata de recomendar e alterar a “composição da vacina”.

O conselheiro médico chefe da Casa Branca, Anthony Fauci, disse em dezembro que a eficácia das duas doses da vacina da Pfizer ou da Moderna em prevenir infecção e doença grave pela ômicron é “significantemente baixa”.

Contudo, ele disse que estudos preliminares mostram que uma terceira dose aumenta substancialmente os anticorpos neutralizantes contra a variante.

A Pfizer e a Moderna indicaram que estão desenvolvendo vacinas para lidar com a ômicron.

A posição da OMS é que uma distribuição global justa de vacinas atualmente disponíveis para países em desenvolvimento e outros ajudará a acabar com a pandemia.

Fonte: NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Atletas são alertados a usarem telefones descartáveis nos Jogos de Pequim

Publicado em 19 de janeiro de 2022, em Ásia

Um app que deve ser instalado pelos participantes dos Jogos contém falhas de segurança, dizem analistas.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Iustrativa (banco de imagens)

O app das Olimpíadas de Inverno de Pequim que todos os participantes dos Jogos devem usar, contém falhas de segurança que deixam os usuários expostos à violação de dados, dizem analistas.

Publicidade

O My2022 será usado pelos atletas, membros do público e mídia para monitoramento diário da covid-19.

Entretanto, o grupo de cibersegurança Citizen Lab diz que o app falha em fornecer criptografia em muitos de seus arquivos. A China descartou as preocupações.

Pessoas que participarem das Olimpíadas de Pequim, com início programado para 4 de fevereiro, devem trazer telefones descartáveis e criarem e-mails para o tempo que ficarem na China, disse na terça-feira (18) a empresa de cibersegurança da Internet 2.0.

Vários países também teriam orientado seus atletas a deixarem seus telefones principais em casa.

Todos que participarem dos Jogos devem fazer o download do app 14 dias antes da partida para a China, e usá-lo para registrar seus status diários sobre a covid-19.

A Citizen Lab disse que falhas de transmissão no software do app poderiam levar a uma fácil exploração de dados por um hacker, se visado.

Em uma reportagem, a empresa enfatizou a necessidade de usar um telefone descartável e orientou as pessoas a não usarem esses dispositivos após saírem da China.

Fonte: BBC

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância