Micron planeja corte de 10% de sua força de trabalho por baixa demanda de chips

A Micron indicou que a queda na demanda por componentes de computador continuaria, e anunciou que reduziria sua força de trabalho em cerca de 10% no próximo ano.

Por baixa demanda de chips, Micron anuncia redução na força de trabalho (ilustrativa/banco de imagens)

A Micron Technology Inc., a maior fabricante de chips de memória dos EUA, revelou uma perspectiva de vendas desanimadora para o período atual, indicando que a queda na demanda por componentes de computador continuaria, e anunciou que reduziria sua força de trabalho em cerca de 10% no próximo ano.

Publicidade

Fabricantes de semicondutores estão sofrendo com uma queda na demanda por seus produtos menos de 1 ano após elas não conseguirem produzir o suficiente para atender pedidos.

Consumidores estão adiando a compra de computadores e smartphones devido à inflação em aumento e uma economia incerta. As fabricantes desses dispositivos, os principais usuários de chips de memória, estão agora face a um estoque ocioso de componentes e estão diminuindo os pedidos de novos.

Ao contrário de outras partes no ramo de chips, os produtos da Micron são fabricados para padrões da indústria, o que significa que eles são intercambiáveis com aqueles da concorrência.

Visto que memórias podem ser comercializadas como um commodity, suas fabricantes estão sujeitas a maiores flutuações de preços.

A Micron está empenhada em diminuir a produção em suas fábricas e reduzir projetos de expansão para limitar a quantidade de chips disponíveis e deter a maré.

No mês passado, a companhia alertou que cortaria a produção em cerca de 20% “em repostas às condições de mercado.

Fonte: Canada Today, Bloomberg

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Míssil intercontinental de Putin é capaz de transportar ogivas nucleares

Publicado em 22 de dezembro de 2022, em Notícias do Mundo

Foi o que anunciou o presidente russo, dizendo que poderá usá-lo no combate, em breve.

Lançamento de um ICBM (imagem de arquivo, de abril, da NHK)

O presidente russo, Vladimir Putin, disse que em breve terá um míssil balístico intercontinental (ICBM) que pode carregar várias ogivas nucleares.

Publicidade

Parece que o objetivo é controlar a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e os Estados Unidos, que continuam a fornecer apoio militar para a Ucrânia.

Vladimir Putin fez um discurso em uma reunião do Ministério da Defesa em Moscou, capital da Rússia, na quarta-feira (21), afirmando que “vamos manter e melhorar nossa postura estratégica de guerra nuclear. Isso servirá como garantia para manter o equilíbrio de poder”. Enfatizou que está promovendo o aperfeiçoamento das forças nucleares.

Ele disse que a Rússia manterá e melhorará a prontidão de combate da força nuclear estratégica. Justificou que será uma garantia para manter a soberania e a integridade territorial do país, bem como o equilíbrio de poder global.

Vladimir Putin na reunião, às 21h no horário de Tóquio, na quarta-feira (NHK)

A agência de notícias estatal Tass citou Putin dizendo que os ICBMs Sarmat “em breve, e pela primeira vez assumirão o alerta de combate “.

Ele acrescentou que mísseis de cruzeiro hipersônicos Zircon serão implantados em uma fragata em janeiro.

Fonte: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros