Companhia aérea demite comissários após alegação de discriminação

Três comissários foram demitidos porque zombaram de um passageiro que não conseguiu pedir um cobertor em inglês.

Uma aeronave da aérea Hong Kong Cathay Pacific (banco de imagens)

A companhia aérea de Hong Kong Cathay Pacific diz que demitiu três comissários de bordo acusados de discriminação contra pessoas cujo inglês não era a língua nativa.

Publicidade

A acusação foi feita online contra os membros da tripulação do voo que partiu da cidade chinesa de Chengdu com destino a Hong Kong no domingo (21).

A mídia de Hong Kong diz que eles zombaram de um passageiro que misturou os termos em inglês “carpet” (carpete) e “blanket” (cobertor).

No que pareceu ser um registro da conversa no voo que circulou amplamente online, alguém diz, “Se você não consegue dizer “cobertor” em inglês, você não pode ter ele”.

O post viralizou, atraindo acusações de discriminação contra chineses.

O CEO da Cathay Pacific, Ronald Lam, disse na quarta-feira (24) que a companhia aérea havia demitido os três, e estendeu suas “profundas desculpas”. Ele disse que conduziria uma revisão compreensiva dos serviços e treinamento de pessoal e prometeu melhorar o atendimento da aérea.

O chefe executivo da Cathay Pacific, John Lee, disse na quarta-feira que ele estava desapontado em saber sobre o incidente e pediu à aérea que prevenisse uma recorrência.

Fonte: NHK

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Professora imobilizou criança na cadeira com adesivo nas pernas

Publicado em 25 de maio de 2023, em Sociedade

Depois dessa ocorrência com um menino do primário, alguns colegas estão com medo de ir à escola.

Foto ilustrativa de uma sala de aula do primário (FNN)

A reportagem da FNN soube que uma professora imobilizou uma criança, estudante do primário, de uma escola municipal de Shimizu-ku, cidade de Shizuoka (província homônima). Por causa dessa ocorrência de abuso, há muitos alunos com medo e que não querem mais ir à escola.

Publicidade

Ela teria feito o aluno se sentar e, para que ficasse quieto, teria passado fita adesiva sobre suas pernas para imobilizá-lo. Isso teria ocorrido durante a aula, na segunda quinzena de abril. 

De acordo com o Conselho de Educação da Cidade de Shizuoka, uma criança, ainda em uma das séries iniciais, começou a andar pela sala de aula, quando foi chamada à atenção. Como não obedeceu, a professora resolveu tomar esse tipo de reprimenda.  

Imagem em CG reproduzindo o abuso da professora (FNN)

O aluno não teve nenhum tipo de lesão. Os pais de uma outra criança, da mesma sala, comunicaram a ocorrência em 12 deste mês para a diretoria da escola.

Mas, a direção só pediu desculpas aos pais da criança na terça-feira (23), data em que o conselho foi comunicado.

A mãe de um dos alunos, colega de classe desse que foi imobilizado, disse para a FNN que essa professora é bem rude. Com frequência costuma gritar うるせー (urusee), algo como “cale a boca”.

Outra mãe disse que “acho que ela exagerou. Se uma pessoa adulta age de forma violenta, as crianças vão achar que isso é certo e, eventualmente, poderão evoluir para o bullying, transformando em um sala de aula violenta”.

O porta-voz do conselho de educação pediu desculpas às crianças e seus pais, dizendo que “considera uma ação disciplinar necessária” para a professora em questão.

Fonte: FNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - junto a comunidade no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!