Prefeito de Nagoia quer ajudar o atleta ugandense que fugiu

Se ele fugiu do pré-acampamento, para Nagoia, porque ‘quer trabalhar no Japão’, o prefeito quer ajudá-lo.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Atleta olímpico postou essa foto no Instagram 2 dias antes da fuga

Na segunda-feira (19) o prefeito Takashi Kawamura, da cidade de Nagoia (Aichi), se manifestou sobre o atleta olímpico de Uganda, Julius Ssekitoleko, 20 anos, o qual tomou o shinkansen e desceu na cidade.

Publicidade

“Disse que quer trabalhar. Se me telefonar, posso lhe ajudar”, declarou o prefeito, na esperança que sua voz chegue até ele.

“I can help (posso ajudar). Todo ser humano tem coração, por isso não vamos dizer ‘não é possível que tenha fugido’”, afirmou Kawamura.

No entanto, enfatizou que para que possa trabalhar é preciso passar pelos procedimentos legais.

O professor Atsushi Kondo, da Faculdade de Direito da Universidade de Meijo, que está familiarizado com o emprego de estrangeiros, afirmou que “é necessário determinar cuidadosamente se é possível mudar para um status de residência que permita o emprego. Também existe a preocupação de que outros atletas façam o mesmo após essa declaração do prefeito”.  

Fontes: Chunichi e Mainichi

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Japão aprova coquetel de anticorpos para tratar Covid-19

Publicado em 20 de julho de 2021, em Sociedade

O tratamento também pode ser eficaz contra novas versões do coronavírus, como a altamente contagiosa variante Delta.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Desenvolvido pela Regeneron Pharmaceuticals, o coquetel obteve autorização de uso de emergência nos EUA em novembro passado (ilustrativa/banco de imagens)

Um coquetel de anticorpos desenvolvido pela Regeneron Parmaceuticals sediada nos EUA recebeu aprovação especial de emergência do Ministério da Saúde do Japão na segunda-feira (19), abrindo novas oportunidades para evitar que casos mais leves de coronavírus progridam e sobrecarreguem provedores de cuidados.

Publicidade

Desenvolvido junto com a Roche, o tratamento foi administrado ao então presidente Donald Trump quando ele contraiu Covid-19 no ano passado. Ele recebeu autorização de uso de emergência da Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA) em novembro passado.

Administrado uma vez por via intravenosa, o coquetel combina os anticorpos monoclonais casirivimabe e imdevimabe, que se ligam à superfície do vírus para evitar sua replicação.

Ele é destinado a pacientes com riscos subjacentes, como doença crônica ou obesidade, com sintomas leves a moderados, e pode ser administrado tanto para adultos como crianças com peso de 40kg ou mais.

O tratamento também pode ser eficaz contra novas versões do coronavírus, como a altamente contagiosa variante Delta, de acordo com o ministério.

Um ensaio clínico descobriu que o coquetel diminuiu a chance de hospitalização ou morte em 70% em pacientes de alto risco, de acordo com a Regeneron.

A unidade da Roche, a japonesa Chugai Pharmaceutical, será responsável por ensaios clínicos e distribuição do coquetel, que será fabricado no exterior.

Custos cobertos pelo governo

O governo japonês cobre custos de tratamento para coronavírus como regra geral, e o novo coquetel também será oferecido sem custo aos pacientes. O governo assinou um acordo de aquisição com a Chugai para tratamento pelo resto do ano.

Contudo, algumas preocupações existem. O coquetel teria piorado os sintomas em pacientes que precisam de alto fluxo de oxigênio e ventiladores. Ensaios clínicos também não estabilizaram sua eficácia em pacientes que vêm apresentando sintomas por 8 dias ou mais.

Outros tratamentos disponíveis

Os outros três tratamentos para coronavírus que estão disponíveis agora no Japão são o remdesivir da Gilead Sciences, a dexametasona e o baracitinibe da Eli Lilly. Todos foram originalmente desenvolvidos para outras doenças, como reumatismo.

Fonte: Asia Nikkei

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência