Residentes em Xangai enfrentam escassez de alimentos em meio ao lockdown da covid-19

O governo de Xangai disse que não consideraria suspender as restrições até que os testes mais recentes fossem concluídos e os resultados avaliados.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Residentes em Xangai estão cada vez mais frustrados com as restrições (NHK)

Residentes no principal centro financeiro de Xangai, na China, onde 26 milhões de pessoas estão em lockdown, vêm enfrentando dificuldades para garantir alimentos, com supermercados fechados e entregas restritas.

Publicidade

Com muitos complexos já em lockdown por mais de duas semanas, residentes estão cada vez mais frustrados com as restrições, exigências de testes e disponibilidade precária de comida e de outras necessidades.

O governo da cidade, que vivencia seu maior surto de covid-19, disse na quarta-feira (6) que não consideraria suspender as restrições até que os testes mais recentes fossem concluídos e os resultados avaliados.

Grande parte do leste de Xangai, que estaria livre do lockdown na sexta-feira passada, continua isolada junto com a metade oeste da cidade.

Wu Qianyu, funcionário da comissão de saúde da cidade, disse em uma coletiva que Xangai estava em uma “corrida contra o tempo” para conter o surto.

Xangai detectou um recorde de 16.766 novos casos assintomáticos de coronavírus em 5 de abril, alta dos 13.086 no dia anterior. Casos sintomáticos também aumentaram. De 268 no dia anterior para 311.

Nenhuma morte em decorrência do surto de ômicron foi registrada.

Fonte: ABC News

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Relaxamento das medidas de fronteira do Japão para 106 países começa na sexta-feira

Publicado em 7 de abril de 2022, em Política

O governo decidiu suspender a medida de negação de entrada a 106 países como Estados Unidos, Reino Unido, outros da Europa e América do Sul.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Estação de Quarentena do KIX, Osaka (Nikkei)

O governo realizou uma reunião ministerial de emergência do Conselho de Segurança Nacional do Japão na quarta-feira (6) e decidiu suspender a negação de entrada das pessoas de 106 países a partir de sexta-feira (8). 

Publicidade

Mesmo após essa medida de relaxamento, a emissão de vistos para entrada no Japão continuará rigorosa, limitando para fins de negócios, trabalho e estudo. Por isso, não deverá haver grandes mudanças nos números de estrangeiros que chegam ao Japão, pois para os turistas ainda não está liberado.

Essa medida foi tomada após a avaliação de forma abrangente das situações da infecção pelo novo coronavírus e da vacinação. E também porque o governo relaxou o alerta de viagem dos japoneses para esses 106 países.

Por outro lado, as negações de entrada continuarão para 56 países e regiões, incluindo Rússia e Iraque.

Os países alvo desse cancelamento, ou seja, do rebaixamento do nível 3 para o 2, são 41 da Ásia, incluindo Índia e Indonésia; os 2 da América do Norte; 44 da Europa; 31 da África e Oriente Médio; e 27 da América Central e do Sul, incluindo Paraguai, Peru, Bolívia e Brasil.

Caso queira conferir algum país específico pode consultar a tabela tocando aqui.

Fontes: Nikkei, JNN e Gov.

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência