‘Homem mais velho do mundo’ celebra 122 anos no Brasil e segue forte

Andrelino Vieira da Silva mora na cidade de Aparecida de Goiânia no Brasil. Um ano após vencer a Covid, sua neta diz que ele ‘segue forte’.

Ilustrativa (banco de imagens)

Um brasileiro que afirma ser o homem mais velho do mundo celebrou seu “122º aniversário” um ano após ter vencido a Covid, e sua família diz que ele “segue forte”.

Publicidade

Andrelino Vieira da Silva, que mora na cidade de Aparecida de Goiânia no estado de Goiás, nasceu em 3 de fevereiro de 1901, de acordo com seu RG (Registro Geral).

A neta de Andrelino, Janaína Lemes de Souza, disse à mídia local nesta semana que ele “segue forte”.

“Neste ano não fizemos nada para comemorar o aniversário dele porque algumas pessoas na família estão passando por problemas, então não estamos com ânimo para uma festa”.

Janaína disse que a família tem 3 casas no mesmo terreno.

Ela mora em uma com seu marido e uma filha, sua mãe, pai e outro irmão vivem na segunda e seu avô reside sozinho na terceira.

Andrelino foi casado e teve 7 filhos, cinco dos quais ainda estão vivos. Ele tem 13 netos, 16 bisnetos e 1 tataraneto.

No ano passado ele marcou seu aniversário durante uma reunião familiar, quando todos se recuperaram da Covid, com um bolo de topo escrito “O Terror do INSS”.

De acordo com seu RG, ele fez 122 anos, tornando-o a pessoa mais velha do mundo. Entretanto, Andrelino não tentou certificar sua idade junto ao Guinness World Records.

O recorde oficial é atualmente detido por Maria Branyas Morera de São Francisco, nos EUA, que tem 115 anos e recebeu o título após a morte da freira francesa irmã André, de 118 anos, no início deste ano.

Fonte: Daily Mail

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Sete mil vítimas fatais do mortífero terremoto na Turquia

Publicado em 8 de fevereiro de 2023, em Notícias do Mundo

O forte terremoto ocorrido na Turquia, seguido de uma réplica de grande magnitude, é considerado um dos mais mortíferos deste século.

Equipe de resgate buscando pessoas sob os escombros (NHK)

As equipes de resgate trabalham incansavelmente sob condições climáticas rigorosas no inverno para salvar vidas na Turquia e na Síria. A temperatura chega a ficar abaixo de zero e assim mesmo, as atividades de resgate não param sequer à noite.

Publicidade

No entanto, até a manhã de quarta-feira (8), no horário de Tóquio, estima-se que o número de mortos passe de 7 mil pessoas.

30 mil pessoas feridas

Já se passaram duas noites após o devastador e mortífero terremoto de magnitude 7,8 seguido de muitas réplicas, entre elas uma de 7,5. Mais de 10 províncias da Turquia foram devastadas e outras da Síria, país vizinho. O governo turco declarou estado de emergência por 3 meses para acelerar as operações de resgate.

Segundo informação do governo da Turquia, até a manhã de quarta-feira, foram constatados 5.434 mortos e calcula-se que o número de pessoas feridas passe de 30 mil.

Além disso, na Síria, o Ministério da Saúde anunciou na terça-feira (7) que 812 pessoas morreram até agora, principalmente no noroeste, incluindo uma mulher que se foi logo após dar à luz. E que os  grupos que conduzem operações de resgate em áreas controladas pelos rebeldes no noroeste informaram que são 1.020 mortos.

Portanto, a soma dos dois países é de 7.266 vítimas fatais dos desastres causados pelo terremoto, mas ainda poderá aumentar.

Estado de emergência e solidariedade do mundo, incluindo a Ucrânia

O Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) informou que 12 equipes de resgate de cerca de 1,4 mil pessoas chegaram à Turquia, do exterior, até agora. Outras 27 equipes são esperadas para chegar na segunda-feira. O Japão também enviou mais bombeiros especializados em desastres, depois do despacho de 3 de Tóquio, além de uma equipe de um médico e enfermeiros de uma ONG.

Em meio à grave situação no seu país, o presidente da Ucrânia informou que enviará uma equipe de 87 profissionais resgatistas e da saúde, incluindo médicos, para a Turquia

No entanto, devido aos estragos causados ​​pelos sucessivos sismos, o acesso terrestre às áreas afetadas é limitado, existindo também a preocupação com as dificuldades nas operações de salvamento devido à escassez de viaturas para deslocar as equipes de salvamento.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o número de vítimas na Turquia e na Síria chegue a 23 milhões de pessoas e apela para a necessidade de apoio de longo prazo pela comunidade internacional.

Tensão na Turquia: 271 sismos de magnitude 4 ou mais

As autoridades de prevenção de desastres da Turquia postaram no Twitter que, além de dois terremotos de magnitude 7 ou superior, que ocorreram na segunda-feira (6), somam 271 sismos de magnitude 4 ou mais até as 23h30 de terça-feira, horário de Tóquio.  

A imprensa local teme que as réplicas atrapalhem as atividades de resgate.

Comida quente para os desabrigados

A Cruz Vermelha se mobilizou rapidamente para fornecer refeições quentes para as pessoas desabrigadas em várias cidades da Turquia. Em Adana, ao sul do país, uma das cidades mais afetadas, são mais de 100 voluntários que preparam sopa de lentilha ou outra leguminosa e pão para servir uma refeição quentinha às 20 mil pessoas que perderam suas moradias. 

Assista ao vídeo da NBC News e veja a tragédia causada pelo terremoto.

O vídeo da Al Jazeera mostra as atividades de resgate sob condições rigorosas.

Fontes: NHK e CNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - faça remessas com segurança!
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!