Províncias com aumento e outras com queda de crimes em 2022

As 3 que mais tiveram redução de crimes foram Toyama, Akita e Yamagata. Veja quais foram as com aumento e quais os crimes mais destacados.

Imagem ilustrativa de viatura da polícia (Wikimedia)

Segundo o relatório dos crimes de janeiro a novembro de 2022, divulgado pela Agência Nacional de Polícia do Japão (NPA), o total desse período de 11 meses foi de 549.884, o que marca um aumento de 5,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Publicidade

Entre 2018 e 2021 houve queda nos números de crimes, mas durante a pandemia do coronavírus aumentou.

Os crimes que mais tiveram aumento foram os de furtos, com 39,9%, seguidos de relações sexuais forçadas (19,6%), mostrando aumento em ambos. 

Por outro lado, o crime de batida de carteira diminuiu 4,4%. Também tiveram leve queda os de intrusão em casa alheia, assassinato e roubo

O que as províncias de Okinawa e Toyama têm em comum são que ficaram em primeiro lugar no ranking, sendo que a primeira pelo maior aumento e a segunda pela maior queda. 

10 províncias com aumento de crimes

  1. Okinawa com 17,4%
  2. Shiga com 15,9%
  3. Aomori com 12,7%
  4. Ishikawa com 11,7%
  5. Gunma com 11,4%
  6. Ibaraki com 10,4%
  7. Nagano com 10,1%
  8. Hyogo com 10%
  9. Kanagawa com 9,7%
  10. Hiroshima com 9,5%

10 províncias com queda de crimes

  1. Toyama com -14,5%
  2. Akita com -7%
  3. Yamagata com -6,6%
  4. Kumamoto com -5,5%
  5. Shimane com -5,2%
  6. Kochi com -3,5%
  7. Niigata com -3,4%
  8. Oita com -3,2%
  9. Tokushima com -3%
  10. Tochigi com -2,8%
Fonte: Bengoshi

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Governo pede a farmácias no Japão que evitem vendas em volume de remédios para febre

Publicado em 10 de janeiro de 2023, em Sociedade

Como muitos chineses vem comprando muitos medicamentos para gripe e outros no Japão para seus familiares na China, a possibilidade de uma escassez está se tornando um motivo de preocupação.

O medicamento EVE de venda livre é também um para baixar febre (Wikimedia Commons/Osaka)

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar pediu a drogarias e farmácias que tomem medidas para evitar que consumidores comprem grandes quantidades de remédios para baixar febre de venda livre, visto que muitos chineses vêm fazendo compras em volume, em meio ao rápido aumento das infecções por coronavírus.

Publicidade

O ministério enviou um aviso à Associação de Rede de Lojas do Japão e à Associação Farmacêutica do Japão, dentre outras organizações.

Ele pediu a drogarias e farmácias que estabeleçam um limite sobre a quantidade que uma pessoa pode adquirir e evitar compras frequentes.

De acordo com o ministério, clientes estão comprando grandes quantidade de tais medicamentos de venda livre como aqueles para baixar febre e de gripe que são tipicamente usados por pacientes da Covid.

Ainda há um fornecimento estável desses medicamentos, entretanto, se as pessoas continuarem a comprar esses tipos de remédios em volume, isso poderá levar a uma escassez.

Visto que o número de chineses que vem comprando grandes quantidades de medicamentos para gripe e outros no Japão para seus amigos e familiares na China, onde o coronavírus está se espalhando rapidamente, a possibilidade de uma escassez está se tornando um motivo de preocupação.

Fonte: Yomiuri

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros